Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/18482
Título: Vitamina D, adiponectina e alterações do sono nos estados de resistência à insulina
Título em inglês: Vitamin D, adiponectin and sleep disturbances in insulin resistant states
Autor(es): Oliveira, Roseane Feitosa de
Orientador(es): Bruin, Veralice Meireles Sales de
Palavras-chave: Vitamina D
Adiponectina
Sono
Resistência à Insulina
Exercício
Data do documento: 22-Abr-2016
Citação: OLIVEIRA, R. F. ; BRUIN, V. M. S. (2016)
Resumo: Os distúrbios endócrino-metabólicos (DEM) são frequentes e associam-se a comorbidades graves e aumento da mortalidade. O sono insuficiente, potencialmente, tem efeito negativo sobre a saúde incluindo os trantornos endócrino-metabólicos. A vitamina D é importante para o funcionamento geral do organismo e a adiponectina é um hormônio essencial para a regulação do metabolismo lipídico. Este é um estudo transversal que tem por objetivo investigar o perfil dos pacientes com DEM, o status da vitamina D e da adiponectina, a presença da restrição crônica do sono e os fatores de riscos associados. Foram estudados pacientes do Centro Integrado de Diabetes e Hipertensão, recrutados consecutivamente no período de 2010-2011. Os níveis de vitamina D e de adiponectina foram determinados. A restrição crônica do sono ou sono insuficiente foi caracterizada como sono habitual <6h de sono >4 vezes/semana. A presença de exercício físico regular ou vida sedentária foi investigada. Foram estudados duzentos e cinquenta pacientes com idade entre 29-82 anos (58,2 ± 11,3) sendo 58,4% do sexo feminino. Hipertensão arterial (HA, 76,4%), diabetes 2 (DM2, 79,2%) e intolerância à glicose (13,2%) estavam presentes. Excesso de peso (42,8%) e obesidade (43,6%) eram frequentes. Entre os pacientes com HA, 59,7% eram mulheres e com comumente na menopausa (87,7%). A maioria dos pacientes com HA também tinha diabetes tipo 2 (79,6). Os indivíduos com insuficiência/deficiência de vitamina D apresentavam níveis mais elevados de pressão diastólica. Aqueles com insuficiência/deficiência de vitamina D apresentavam um aumento da gama-glutamil-transpherase (GGT, p 0,005). A análise de regressão múltipla mostrou que a menopausa, diabetes tipo 2, HA e exercício físico associaram-se de forma independente com níveis mais baixos de vitamina D. Em uma segunda fase, restrição crônica do sono e os níveis de adiponetina foram avaliados em 332 pacientes (18 a 80 anos). Níveis mais elevados de adiponectina associaram-se com a idade mais avançada (p=0.02) e com a restrição crônica do sono (0,005). A associação entre os níveis de adiponectina e sono insuficiente foi mantida após o ajuste para sexo, idade, menopausa, IMC, hipertensão arterial, classificação ADA e nível de exercício físico (p = 0,001). Em conclusão, os pacientes com hipertensão arterial, diabetes tipo 2, menopausa e estilo de vida sedentário estão em alto risco insuficiência/deficiência de vitamina D. Indivíduos com DEM que têm insuficiência/deficiência de vitamina D apresentam níveis mais elevados de GGT e potencialmente mais toxicidade hepática. Restrição crônica do sono é comum em pacientes com DEM. Idade mais avançada e a restrição crônica do sono associam-se de forma independente com níveis de adiponectina mais elevados. Um mecanismo compensatório pode explicar os últimosachados.
Abstract: Endocrine-metabolic disorders (EMD) are frequent and associated with severe comorbidities and mortality. Chronics leep restriction relates to EMD and potentially aggravates health problems including EMD. Vitamin D is important for organ functions and adiponectin is essential for the regulation of lipid metabolism. This study evaluates clinical characteristics of patients with EMD and risk factors in connection with vitamin D and adiponectin levels. The objectives were to investigate the profile of EMD patients regarding vitamin D status and risk factors associated with vitamin D abnormalities and to examine clinical characteristics of EMD patients with insufficient sleep, and risk factors associated with adiponectin levels. This is a cross-sectional investigation of patients with EMD from the Centro Integrado de Hipertensão e Diabetes, consecutively recruited in the period of 2010-2011. Vitamin D and adiponectin levels were determined. Insufficient sleep, characterized as habitual <6h of sleep, was identified. Physical exercise status was investigated. Two-hundred-fifty patients aged 29-82 years (58.2±11.3), 58.4% female were studied. Arterial hypertension (AH, 76.4%), type 2 diabetes (T2D, 79.2%) and glucose intolerance (13.2%) were present. Overweight (42.8%) and obesity (43.6%) were common. Among AH patients, 59.7% were women and mostly in menopause (87.7%). Most patients with AH also had T2D (79.6). Individuals with Vitamin D insufficiency/deficiency had higher diastolic pressure. Patients with Vitamin D insufficiency/deficiency showed a commensurate increase of gamma glutamyl transpherase (GGT, p=0.005). Multiple logistic regression analysis showed that menopause, T2D, arterial hypertension and reduced exercise were independently associated with lower levels of vitamin D. In another study, 332 patients (18 to 80 y) with EMD underwent clinical evaluation, and adiponetin levels were determined. Older age and increased adiponectin levels were associated with reduced hours of sleep. The association between insufficient sleep and adiponectin levels was maintained after adjusting for gender, age, menopause, BMI, arterial hypertension, ADA classification and physical exercise level (p=0.001). In conclusion, patients with arterial hypertension, T2D, menopause and sedentary life style are at high risk of vitamin D insufficiency/deficiency. Individuals with EMD that have Vitamin D insufficiency/deficiency present higher levels of GGT and potentially more liver toxicity. Insufficient sleep is common in patients with EMD. High adiponectin levels are independently associated with insufficient sleep. A compensatory mechanism may explain the latter findings.
Descrição: OLIVEIRA, R. F. Vitamina D, adiponectina e alterações do sono nos estados de resistência à insulina. 2016. 76 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/18482
Aparece nas coleções:DMC - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_dis_rfoliveira.pdf2,68 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.