Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1866
Título: Estudo epidemiológico de lesões orais em laboratórios de anátomo patologia na cidade de Fortaleza-Ce
Título em inglês: Epidiological study of oral lesion in anatomopathological laboratories in Fortaleza-Ce
Autor(es): Osterne, Rafael Lima Verde
Orientador(es): Sousa , Fabrício Bitu
Palavras-chave: Patologia Bucal
Epidemiologia
Carcinoma de Células Escamosas
Data do documento: 2009
Citação: OSTERNE, R. L. V. (2009)
Resumo: A boca pode ser acometida por doenças, variando de alterações de desenvolvimento à neoplasias malignas agressivas e metastatizantes. O conhecimento destas condições auxilia no diagnóstico diferencial realizado pelo clínico. Este trabalho tem como objetivo realizar uma análise epidemiológica das lesões de cavidade oral em cinco laboratórios de anátomo patologia da cidade de Fortaleza, Ceará, Brasil. Métodos: Coleta de dados a partir de laudos histopatológicos de lesões orais, no período de 2001 a 2005, oriundos de cinco laboratórios, de anatomia patológica, públicos e privados. As variáveis utilizadas foram sexo, idade, raça, localização anatômica e laudo histopatológico. As lesões analisadas foram agrupadas em não-neoplásicas, neoplásicas e laudos descritivos. Resultados: No período analisado, foram coletadas 6231 lesões orais, das quais 41,41% oriundas de laboratórios particulares e 58,59% de laboratórios públicos. O sexo feminino foi o mais acometido, com proporção homem:mulher de 1:1,68. As lesões ocorreram em uma ampla faixa etária, variando de 0 a 100 anos, com pico de incidência entre 31 e 60 anos. As lesões não-neoplásicas representaram 64,89% dos casos, com as lesões inflamatórias/reativas sendo as mais prevalentes, seguidas pelas lesões inflamatórias de glândula salivar, cistos e hiperplasias epiteliais sem atipias. As neoplasias representaram 30,80% dos casos, das quais 59,52% eram benignas, 32,45% malignas e 8,03% eram lesões pré-malignas. A hiperplasia fibroepitelial foi a lesão mais prevalente em todo o estudo e o carcinoma de células escamosas, a neoplasia maligna mais comum, com 23,14% e 8,52% respectivamente Conclusão: As lesões foram mais comuns no sexo feminino, na faixa etária economicamente ativa, representadas principalmente por lesões inflamatórias/reativas. Apesar da alta ocorrência de lesões inflamatórias/reativas neste estudo, a prevalência de lesões malignas foi significativa, demonstrando a necessidade do conhecimento destas lesões pelo cirurgião dentista e a criação de políticas públicas que enfatizem a prevenção e o diagnóstico precoce das mesmas.
Abstract: A wide range of diseases can affect the oral cavity, from developmental defects to metastasizing malignant neoplasms. The knowledge on Oral Pathologies`s prevalence helps the clinician making differential diagnosis. The aim of this study was to perform an epidemiological survey of oral lesions in five anatomopathological laboratories in Fortaleza, Ceará, Brazil. Methods: The sample was obtained from histopathology reports of oral lesions diagnosed between the years of 2001 to 2005 in five anatomopathological laboratories. Data regarding sex, race, age, anatomical site and histopathological diagnosis were registered. Lesions were categorized in non-neoplastic, neoplastic and descritive reports. Results: During the five-year period, 6231 oral lesions reports were collected, 41,41% from private laboratories and 58,59% from public laboratories. Female were more affected, with a male:female ratio of 1:1,68. Lesions occurred in a wide age range, varying from 0 to 100 years old, with an incidence peak between 31 to 60 years. Non-neoplastic lesions represented 64,89% of cases, with inflammatory/reactive lesions being the most prevalent group, followed by inflammatory lesions of salivary glands, cysts and non-atypical epithelial hyperplasia. Neoplastic lesion represented 30,80% of cases, 59,52% benign, 32,45% malignant and 8,03% pre-malignant lesions. Fibroepithelial hyperplasia was the most common lesion in this study and squamous cell carcinoma was the most prevalent malignant neoplasm, with 23,14% and 8,52%, respectively. Conclusions: Oral lesions were more common among female’s reports, in economically active age, mainly represented by inflammatory/reactive lesion. Although, the occurrence of inflammatory/reactive lesions was high, the prevalence of malignant neoplastic and pre-malignant lesion was significant. There dental surgeon must know about the occurrence of such lesions, and public health politics for prevention and early diagnose must be enfasized.
Descrição: OSTERNE, Rafael Lima Verde. Estudo epidemiológico de lesões orais em laboratórios de anátomo patologia na cidade de Fortaleza-Ce. 2009. 68 f. Dissertação (Mestrado em Odontologia) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2009.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1866
Aparece nas coleções:DCOD - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2009_dis_rlvosterne.pdf374,1 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.