Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/18839
Título: Efeito antiinflamatório e antinociceptivo da lectina de sementes de Canavalia boliviana Piper: mecanismos e mediadores envolvidos
Título em inglês: Potencial anti-inflammatory and antinociceptive activities of lectin from Canavalia boliviana seeds Piper
Autor(es): Figueiredo, Jozi Godoy
Orientador(es): Cavada, Benildo Sousa
Coorientador(es): Alencar, Nylane Maria Nunes de
Palavras-chave: Bioquimica
Canavalia boliviana
Antiinflamatória
Antinociceptiva
Receptor opióide
Dor
Canavalia boliviana
Anti-inflammatory
Antinociceptive, Opoid receptor
Pain
Lectinas de plantas
Leguminosa
Inflamação
Medição da Dor
Data do documento: 2010
Citação: FIGUEIREDO, J. G. (2010)
Resumo: Lectinas são (glico) proteínas de origem não imune e que podem reconhecer e se ligar reversivelmente a carboidratos ou a outras substâncias derivadas de açúcares. A lectina de sementes de Canavalia boliviana Piper (CboL) é uma proteína de aproximadamente 100 KDa e especificidade de ligação a D-Glicose. O objetivo deste trabalho foi avaliar a atividade antiinflamatória e antinociceptiva da CboL. Para tal, utilizamos camundongos Swiss (25-35g) e ratos Wistar (150-220g). No estudo da atividade antiinflamatória, CboL (1, 5 e 10 mg/kg; e.v.; 15 minutos) reduziu a permeabilidade vascular e inibiu a migração de neutrófilos (rolamento e adesão) para a cavidade peritoneal de animais estimulados com carragenina (Cg), e este efeito parece estar relacionado com a redução da concentração de citocinas pró-inflamatórias (TNF-alfa, IL-1beta) e aumento da concentração da citocina antiinflamatória (IL-10). A administração conjunta de CboL com D-Glicose (açúcar ligante) reverteu sua atividade antiinflamatória, sugerindo participação do sítio lectínico nesta atividade; o aquecimento de CboL a 100oC, por 10 minutos, inibiu seu efeito antiinflamatório, indicando a importância de sua estrutura na atividade biológica relatada. A lectina não induziu a produção de óxido nítrico no soro. Ainda em relação à atividade antiinflamatória, CboL foi capaz de inibir a migração de neutrófilos para a cavidade peritoneal de animais imunizados e estimulados com ovoalbumina (OVA), esta mesma lectina foi eficaz em inibir a migração de neutrófilos in vitro estimulada por MIP-2, demonstrando então um papel direto da CboL na inibição da migração. No estudo da atividade antinociceptiva, CboL (1, 5 e 10 mg/kg; e.v.; 15 minutos) reduziu as contorções abdominais induzidas por ácido acético e diminuiu a primeira e segunda fase do teste da formalina, demonstrando uma atividade sobre a dor neurogênica e inflamatória. No teste da placa quente, CboL apresentou efeito possivelmente envolvendo receptores opióides confirmado pela modulação com naloxona. Para avaliar a hipernocicepção foi utilizado o estesiômetro mecânico. Assim, CboL (1, 5 e 10 mg/kg; e.v.; 15 minutos) inibiu a hipernocicepção mecânica induzida por administração intraplantar de Cg, prostaglandina E2 (PGE2) e OVA (animais imunizados). Este efeito foi correlacionado ao bloqueio do influxo de neutrófilos, sugerido pela redução da atividade da mieloperoxidase nas patas de animais pré-tratados com CboL (5 mg/kg; e.v.; 15 minutos) e estimulados por Cg e OVA. Este efeito anti-hipernociceptivo não parece estar envolvido com a redução local das concentrações de TNF- e IL-1 ou aumento de IL-10, uma vez que CboL (5 mg/kg; e.v.; 15 minutos) não reduziu os níveis destes mediadores no tecido da pata de animais estimulados com Cg. CboL também foi hábil em demonstrar efeito sobre o limiar basal noiceptivo no modelo de hipernocicepção. A via intra-cerebro-ventricular CboL (10, 30 e 100 µg) se mostrou eficiente em inibir a hipernocicepção induzida por Cg confirmando mais uma vez o efeito de receptores opióides através da moludação com naloxona. Em relação a efeitos provocados por uma atividade central, CboL (1, 5 e 10 mg/kg; e.v.) não alterou a atividade motora e locomotora nos animais. A toxicidade subcrônica foi avaliada pelo tratamento de camundongos com CboL (5 mg/kg; e.v.), durante 14 dias consecutivos, através de vários parâmetros: funções do rim (dosagem de uréia) e do fígado (avaliação da cinética da aspartato amino transaminase e alanina amino transaminase), coração, estômago (avaliação de possíveis lesões), massa corporal e leucograma. Os resultados obtidos não mostraram qualquer alteração dos parâmetros avaliados, demonstrando que a CboL não apresenta toxicidade. Portanto, a atividade antiinflamatória e antinociceptiva da CboL está associada com a inibição da migração de neutrófilos, que provavelmente é reflexo da inibição da liberação de TNF-alfa e IL-1beta e aumento de IL-10 e que há envolvimento de PGE2 e da via antigênica. O efeito central parece ocorrer via sistema opióide.
Abstract: Lectins are non-immune (glyco)proteins that can recognize and reversibly bind to carbohydrates or other substances derived from sugars. The lectin from seeds of Canavalia boliviana Piper (CboL) is a protein of aproximately ± 100 KDa with a binding specificity to D-Glucose. The aim of this work was to evaluate the anti-inflammatory and antinoceptive activity of lectin from Canavalia boliviana seeds. To this end, we used Swiss mice (25-35g) and Wistar rats (150-220g). In the study of anti-inflammatory activity, CboL (1, 5 and 10 mg / kg, and i.v. 15 minutes) reduced vascular permeability and inhibited the migration of neutrophils (rolling and adhesion) to the peritoneal cavity of animals stimulated with carrageenan (Cg), and this effect seems to be related to the reduction of the concentration of proinflammatory cytokines (TNF-α, IL-1β) and the concentration of anti-inflammatory cytokine (IL-10). Co-administration of CboL with D-glucose (sugar ligand) reversed its anti-inflammatory activity, suggesting involvement of the lectin site in this activity. CboL heated at 100°C for 10 minutes inhibited the anti-inflammatory effect, indicating the importance of the reported biological structure activity. The lectin did not induce the production of nitric oxide in serum. What is more, in relation to anti-inflammatory activity, CboL was able to inhibit the migration of neutrophils into the peritoneal cavity of immunized animals and when stimulated with ovoalbumin (OVA), the same lectin was effective in inhibiting the migration of neutrophils in vitro stimulated by MIP-2, thus demonstrating a direct role of CboL inhibition in migration. In the study of antinociceptive activity, CbolL (1, 5 and 10 mg / kg, i.v.; 15 minutes) reduced the writhing induced by acetic acid and decreased the first and second phase of the formalin test, showing activity on pain and neurogenic inflammation. In the hot plate test, CboL had no effect involving opioid receptors, wich was confirmed by modulation with naloxone. To assess the hypernociception, esthesiometer mechanic was used. Thus CboL (1, 5 and 10 mg / kg, i.v.; 15 minutes) inhibited the induced mechanical hypernociception intraplantar administration of Cg, prostaglandin E2 (PGE2) and OVA (immunized animals). This effect correlated to the blockade of the influx of neutrophils, suggested by the decreased activity of myeloperoxidase in the legs of animals pretreated with CboL (5 mg / kg, and v, 15 minutes) and stimulated by Cg and OVA. This anti-hipernociception did not seem to be involved in the reduction of local concentrations of TNF-α and IL-1β or increase in IL-10 since CboL (5 mg / kg, i.v.; 15 minutes) did not reduce levels in these mediators in the paw tissue of animals stimulated with Cg. CboL was also able to establish itself in the model hypernociceptive effect. The intra-cerebro-ventricular CboL (10, 30 and 100 µg) proved effective in inhibiting the hypernociception induced by Cg, confirming once again the effect of opioid receptors by modulation with naloxone. Regarding the effects caused by central activity, CboL (1, 5 and 10 mg / kg) did not alter the locomotor and motor activity in animals. The subchronic toxicity was evaluated by treating mice with CboL (5 mg / kg, i.v.) for 14 consecutive days for several parameters of kidney function (blood urea nitrogen) and liver (evaluation of the kinetics of aspartate transaminase and alanine amino transaminase), heart, stomach (evaluation of possible injuries), body weight and leukogram. The results did not show any change in the parameters evaluated, demonstrating that the CboL did not show any toxicity in animals. Therefore, anti-inflammatory and antinociceptive CboL is associated with inhibition of neutrophil migration, which probably reflects the inhibition of the release of TNF- α and IL-1β and increased IL-10, and that there is involvement of PGE2 via antigen. The effect seems to occur via the central opioid system.
Descrição: FIGUEIREDO, Jozi Godoy. Efeito antiinflamatório e antinociceptivo da lectina de sementes de Canavalia boliviana Piper: mecanismos e mediadores envolvidos. 2010. 157 f. Tese (Doutorado em Bioquímica)-Universidade Federal do Ceará, Fortaleza-CE, 2010.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/18839
Aparece nas coleções:DBBM - Teses defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2010_tese_jgfigueiredo.pdf3,48 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.