Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/18844
Título: Efeitos de uma fração polissacarídica sulfatada da alga marinha verde Caulerpa racemosa (FORSSKÅL) j. Agardh na nocicepção e inflamação.
Título em inglês: Effects of a sulfated polysaccharide of the green seaweed Caulerpa racemosa (Forsskål) J. Agardh in Nociception and inflammation
Autor(es): Ribeiro, Natássia Albuquerque
Orientador(es): Benevides, Norma Maria Barros
Palavras-chave: Bioquimica
Algas marinhas verdes
Polissacarídeos sulfatados
Nocicepção
Inflamação
Green seaweed
Sulfated polysaccharides
Nociception
Inflammation
Alga marinha - Uso terapêutico
Alga marinha - Polissacarídeos
Alga marinha - Agentes antiinflamatórios
Data do documento: 2012
Citação: RIBEIRO, N. A. (2012)
Resumo: As algas marinhas são fontes abundantes de polissacarídeos sulfatados com várias atividades biológicas dessa forma suas biomoléculas são de grande interesse comercial principalmente nas indústrias farmacêutica e alimentícia No presente trabalho investigou-se uma fração polissacarídica sulfatada obtida da alga marinha verde Caulerpa racemosa (CrII) quanto aos seus efeitos na nocicepção e inflamação Inicialmente a CrII (1,0 mg/kg i.v.) foi avaliada quanto a toxicidade em camundongos utilizando um modelo por dose repetida (sete dias) Após o período experimental a CrII mostrou-se atóxica A atividade antinociceptiva foi avaliada através dos ensaios de contorções abdominais induzidas por ácido acético teste da formalina e da placa quente Camundongos Swiss machos foram tratados com CrII (0,01 0,1 e 1,0 mg/kg i.v.) 30 min antes de receber os estímulos de dor (ácido acético 0,8% ou formalina 2%) ou exposição ao calor Nos ensaios de contorções abdominais induzidas por ácido acético CrII reduziu significativamente o número de contorções abdominais e no teste da formalina CrII também foi capaz de reduzir o tempo de lambedura da pata na segunda fase do experimento Em relação ao estímulo térmico CrII não foi capaz de prolongar o tempo de reação dos animais. Com relação aos efeitos na inflamação CrII (0,01 0,1 e 1,0 mg/kg i.v.) foi avaliada quanto seu potencial anti-inflamatório utilizando-se ratos Wistar Foram utilizados ensaios de migração celular para a cavidade peritoneal induzida por carragenana (Cg - 700 µg/cavidade) de edema de pata induzido por Cg (700 µg/pata) ou dextrana (300 µg/pata) Com relação a migração celular para a cavidade peritoneal ocorreu uma redução significativa de neutrófilos em todos os grupos tratados com a CrII No ensaio de edema de pata induzido por Cg ou dextrana CrII também foi capaz de reduzir significativamente o edema em todas as doses utilizadas O efeito anti-inflamatório da CrII foi confirmado através da redução dos níveis teciduais da mieloperoxidase do tecido das patas nos grupos com Cg Além disso foi realizado um ensaio de inibição da enzima Hemo-oxygenase-1 (HO-1) utilizando-se o inibidor ZnPP IX com o intuito de avaliar se o efeito anti-inflamatório da CrII estava relacionado com a expressão dessa enzima Os resultados demonstraram que a inibição da via HO-1 está associada à inibição da resposta anti-inflamatória da CrII No intuito de avaliar se CrII também possui efeito pró-inflamatório CrII (0,01 0,1 e 1,0 mg/kg i.pl) foi injetada na pata de ratos Wistar onde o resultado obtido demonstrou um processo inflamatório apenas para animais que receberam a dose de 1,0 mg/kg Portanto os possíveis mediadores que poderiam estar envolvidos com o processo inflamatório da CrII foram avaliados utilizando-se o ensaio de edema de pata induzido por CrII Os resultados demonstraram que a ação pró-inflamatória da CrII pode estar relacionada com a liberação de mediadores provindos da via da ciclooxigenase (COX-2 prostaglandinas e tromboxanos) A CrII quando utilizada como agente anti-inflamatório não foi capaz de inibir seu efeito pró- inflamatório no ensaio de edema de pata em nenhuma das doses utilizadas (0,01 0,1 e 1,0 mg/kg i.v.) confirmando que sua ação anti-inflamatória está relacionada com a via da HO-1.
Abstract: Marine algae are abundant sources of sulfated polysaccharides with various biological activities thereby altering its biomolecules are great of commercial interest especially in the pharmaceutical and food industries In this study we investigated a sulfated polysaccharide obtained from the green seaweed Caulerpa racemosa (CrII) as to its effects on nociception and inflammation Initially the CrII (1.0 mg/kg, i.v.) was evaluated for toxicity in mice using a repeated dose model (seven days) After the trial period the CrII proved to be nontoxic The antinociceptive activity was evaluated by the writings of abdominal constrictions induced by acetic acid formalin test and hot plate Swiss male mice were treated with CrII (0.01 0.1 and 1.0 mg/kg i.v.) 30 min before receiving pain stimuli (acetic acid 0.8% or 2% formalin) or heat exposure In trials of abdominal constrictions induced by acetic acid and the formalin test CrII significantly reduced the number of abdominal writhing and paw licking time in the second phase of the experiment respectively In relation to thermal stimulation CrII was unable to prolong the reaction time of animals With respect to effects on inflammation CrII (0.01 0.1 and 1.0 mg/kg i.v.) was evaluated for its potential antiinflammatory using Wistar rats We used assays of cell migration into the peritoneal cavity induced by carrageenan (Cg - 700 mg/cavity) paw edema induced by Cg (700 µg/paw) or dextran (300 µg/paw)With respect to cell migration into the peritoneal cavity there was a significant reduction of neutrophils in all groups treated with the CrII In the test paw edema induced by dextran or Cg CrII was also able to significantly reduce the swelling at all doses used The anti-inflammatory effect of CrII was confirmed by reducing the tissue levels of myeloperoxidase in the tissue of the paws Cg groups In addition we performed an enzyme inhibition assay Hemo-oxygenase-1 (HO-1) using the inhibitor ZnPP IX in order to assess whether the anti-inflammatory effect of CrII was related to the expression of this enzyme The results showed that the inhibition of the HO-1 is associated with inhibition of the inflammatory response of CrII In order to assess whether CrII also has pro-inflammatory effect CrII (0.01 0.1 and 1.0 mg/kg i.pl) was injected into the paw of the rats where the result demonstrated a process inflammation only for animals which received the dose of 1.0 mg/kg Therefore the potential mediators that could be involved in the inflammatory process of CrII were evaluated using the test paw edema induced by CrII The results showed that the pro-inflammatory effect of CrII may be related to the release of mediators emanating from the path of cyclooxygenase (COX-2 prostaglandins and thromboxanes) The CrII when used as anti-inflammatory agent was unable to inhibit pro-inflammatory effect in the paw edema test in any of the doses (0.01 0.1 and 1.0 mg/kg i.v.) confirming that its anti-inflammatory effect is related to HO-1.
Descrição: RIBEIRO, Natássia Albuquerque Ribeiro. Efeitos de uma fração polissacarídica sulfatada da alga marinha verde Caulerpa racemosa (FORSSKÅL) j. Agardh na nocicepção e inflamação. 2012. 105 f. Dissertação (Mestrado em Bioquímica) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza-CE, 2012.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/18844
Aparece nas coleções:DBBM - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2012_dis_naribeiro.pdf1,51 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.