Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/19018
Título: Potenciais polinizadores e requerimentos de polinização do gergelim (Sesamum indicum)
Título em inglês: Potential polinizadores and petitions of polinização of the sesame (Sesamum indicum)
Autor(es): Andrade, Patricia Barreto de
Orientador(es): Freitas, Breno Magalhães
Palavras-chave: Zootecnia
Abelhas
Biologia floral
Eficiência de polinização
Polinização agrícola
Visitantes florais
Bees
Pollination efficiency
Agricultural pollination
Floral visitors
Data do documento: 2009
Citação: ANDRADE, P. B. (2009)
Resumo: O trabalho teve por objetivo estudar os requerimentos de polinização do gergelim (Sesamum indicum), assim como seus visitantes florais e os efeitos dos tipos de polinização na produção de frutos e qualidade de sementes. A pesquisa foi realizada em três localidades: no município de Sousa na Paraíba, com a variedade BRS SEDA, numa propriedade particular; no município de Barbalha no Ceará, com a variedade G2, em um campo experimental da Embrapa Algodão; e na Universidade Federal do Ceará (UFC) em Fortaleza, onde foram feitas as análises laboratoriais. As observações foram coletadas de dezembro de 2007 a fevereiro de 2008 em Sousa e de novembro de 2008 a janeiro de 2009 no município de Barbalha. O trabalho foi dividido em quatro etapas: 1 - diversidade e abundância dos visitantes florais no gergelim; 2 – comportamento de forrageamento dos visitantes florais; 3 - biologia floral, requerimentos de polinização e eficiência polinizadora de Apis mellifera com apenas uma visita e 4 - avaliação dos efeitos dos tipos de polinização na produção de frutos e na qualidade das sementes. Os experimentos foram montados em delineamento inteiramente casualizado e os dados analisados por meio de análise de variância com comparação de médias a posteriori pelo teste Tukey. Todos os visitantes observados foram da ordem Hymenoptera, sendo representados por três famílias diferentes: Apidae, Anthophoridae e Vespidae. As abelhas Apis mellifera e Trigona spinipes, em ambos os municípios, iniciaram a coleta de pólen junto à antese, às 7 horas, cessando às 11 horas. Após esse horário passaram somente a coletar néctar, cessando às 17 horas em Sousa e às 15 horas em Barbalha. Houve diferença significativa entre os tratamentos no número de frutos colhidos 30 dias após as polinizações, onde o maior número de frutos colhido foi observado na polinização livre e este tratamento apenas foi diferente da autopolinização manual. Com a polinização livre foi obtido o melhor resultado, tanto aos 5 dias, como aos 30, mesmo não sendo diferente da polinização manual cruzada. Os resultados deste trabalho mostram que não há carência de polinizadores e nem de déficit de polinização na área. Foi demonstrado que o gergelim é uma planta de polinização mista, pois os resultados deste experimento mostraram que ele pode produzir frutos sob qualquer um dos tipos de polinização testados. Suas flores são capazes de se autopolinizar, que não depende de agentes externos. As polinizações restritas com papel e restrita com filó apresentaram os frutos com sementes mais pesadas e uma maior quantidade delas dentro do fruto. Também não foram encontradas diferenças entre os tratamentos de polinização para a avaliação fisiológica das sementes. Conclui-se que as abelhas foram os visitantes florais mais abundantes e diversos, sendo a espécie Apis mellifera considerada uma potencial polinizadora, já que foi capaz de visitar as flores de gergelim para coleta legítima e ilegítima de néctar e pólen. A cultura do gergelim beneficia-se tanto da autopolinização quanto da polinização cruzada
Abstract: O trabalho teve por objetivo estudar os requerimentos de polinização do gergelim (Sesamum indicum), assim como seus visitantes florais e os efeitos dos tipos de polinização na produção de frutos e qualidade de sementes. A pesquisa foi realizada em três localidades: no município de Sousa na Paraíba, com a variedade BRS SEDA, numa propriedade particular; no município de Barbalha no Ceará, com a variedade G2, em um campo experimental da Embrapa Algodão; e na Universidade Federal do Ceará (UFC) em Fortaleza, onde foram feitas as análises laboratoriais. As observações foram coletadas de dezembro de 2007 a fevereiro de 2008 em Sousa e de novembro de 2008 a janeiro de 2009 no município de Barbalha. O trabalho foi dividido em quatro etapas: 1 - diversidade e abundância dos visitantes florais no gergelim; 2 – comportamento de forrageamento dos visitantes florais; 3 - biologia floral, requerimentos de polinização e eficiência polinizadora de Apis mellifera com apenas uma visita e 4 - avaliação dos efeitos dos tipos de polinização na produção de frutos e na qualidade das sementes. Os experimentos foram montados em delineamento inteiramente casualizado e os dados analisados por meio de análise de variância com comparação de médias a posteriori pelo teste Tukey. Todos os visitantes observados foram da ordem Hymenoptera, sendo representados por três famílias diferentes: Apidae, Anthophoridae e Vespidae. As abelhas Apis mellifera e Trigona spinipes, em ambos os municípios, iniciaram a coleta de pólen junto à antese, às 7 horas, cessando às 11 horas. Após esse horário passaram somente a coletar néctar, cessando às 17 horas em Sousa e às 15 horas em Barbalha. Houve diferença significativa entre os tratamentos no número de frutos colhidos 30 dias após as polinizações, onde o maior número de frutos colhido foi observado na polinização livre e este tratamento apenas foi diferente da autopolinização manual. Com a polinização livre foi obtido o melhor resultado, tanto aos 5 dias, como aos 30, mesmo não sendo diferente da polinização manual cruzada. Os resultados deste trabalho mostram que não há carência de polinizadores e nem de déficit de polinização na área. Foi demonstrado que o gergelim é uma planta de polinização mista, pois os resultados deste experimento mostraram que ele pode produzir frutos sob qualquer um dos tipos de polinização testados. Suas flores são capazes de se autopolinizar, que não depende de agentes externos. As polinizações restritas com papel e restrita com filó apresentaram os frutos com sementes mais pesadas e uma maior quantidade delas dentro do fruto. Também não foram encontradas diferenças entre os tratamentos de polinização para a avaliação fisiológica das sementes. Conclui-se que as abelhas foram os visitantes florais mais abundantes e diversos, sendo a espécie Apis mellifera considerada uma potencial polinizadora, já que foi capaz de visitar as flores de gergelim para coleta legítima e ilegítima de néctar e pólen. A cultura do gergelim beneficia-se tanto da autopolinização quanto da polinização cruzada
Descrição: ANDRADE, Patricia Barreto de. Potenciais polinizadores e requerimentos de polinização do gergelim (Sesamum indicum). 2009. 74 f. : Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Ceará, Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Zootecnia, Fortaleza-CE, 2009.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/19018
Aparece nas coleções:PPGZO - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2009_dis_pbandrade.pdf798,01 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.