Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/19027
Título: A infância e a experiência do luto: uma interlocução entre cinema e psicanálise.
Autor(es): Laboreiro, T. I. S
Veras, M. L.
Pereira, C.L.
Palavras-chave: Cinema e Psicanálise
Luto
Infância
Data do documento: 2016
Editor: http://www.revistaprex.ufc.br/index.php/EXTA/article/view/221/153
Citação: LABOREIRO, T. I. S.; VERAS, M. L.; PEREIRA, C. L. (2016)
Resumo: O trabalho discorre sobre a experiência do projeto “Cine Freud, Cultura e Arte”. O Cine Freud busca o diálogo com a comunidade através do Cinema e da Psicanálise, sendo a principal atividade do Projeto de Extensão vinculado ao Laboratório de Psicanálise da Universidade Federal do Ceará (UFC). O tema foi delineado a partir da análise dos debates ocorridos dos filmes: Feito gente grande e Uma viagem extraordinária. O objetivo é analisar as linhas de força que compuseram os debates em torno do tema luto na infância. Considerando a relevância do debate, pretende-se extrair aspectos importantes levantados na discussão, assim como elaborar teoricamente os temas. A análise contribui para refletir sobre a extensão universitária visando o intuito do projeto: a apreensão dos processos de subjetivação nas produções cinematográficas e a escuta dos efeitos produzidos de sua recepção.
Descrição: LABOREIRO, T. I. S.; VERAS, M. L.; PEREIRA, C. L. . A infância e a experiência do luto: uma interlocução entre cinema e psicanálise. Revista Extensão em ação, Fortaleza, v.1, n.10, p. 72-81, 2016. Disponível em:http://www.revistaprex.ufc.br/index.php/EXTA/article/view/221/153 Acesso em: 08 ago. 2016
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/19027
ISSN: 2316-400X
Aparece nas coleções:PREX - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
art_2016_tislaboreiro.pdf304,42 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.