Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/19183
Título: Mulheres e homens alienados no Ceará: o perfil dos internos do São Vicente de Paula
Autor(es): OLIVEIRA, Cláudia Freitas de
Palavras-chave: Alienação no Ceará
Asilo de alienados São Vicente de Paula
História da loucura
Data do documento: 2015
Editor: I ENCONTRO INTERNACIONAL HISTÓRIA, MEMÓRIA, ORALIDADE E CULTURAS
Citação: OLIVEIRA, C. F. (2015)
Resumo: A loucura institucionalizou-se no Ceará, a partir da inauguração do Asilo São Vicente de Paula, em 1886, primeiro estabelecimento voltado para o tratamento da alienação no qual abrangia uma demanda correspondente a toda a Província. No primeiro mês de seu funcionamento, foram matriculados quinze alienados, cinco ficaram em observação, dois receberam alta e, no total, dezoito permaneceram na instituição. No final do ano, encontravam-se em tratamento trinta e três alienados, provenientes tanto da capital como do interior. No ano de 1920, quando encerra esta pesquisa de doutorado, o número de mulheres e homens contabilizava um total de cento oitenta e um internos. O presente trabalho visa analisar quem eram os insanos do Asilo de alienados São Vicente de Paula e como eles eram divididos e distribuídos nos Mapas Demonstrativos do Movimento do Asilo São Vicente de Paula – mapas em que é detalhada a movimentação interna mensal na qual eram expostos números correspondentes à entrada, cura, ao falecimento e às saídas, em geral, dos loucos. A partir da leitura interpretativa dos mapas é possível reconstruir um perfil da loucura no Ceará em fins do século XIX e nas primeiras décadas do XX. Além dessa problemática, serão discutidas as seguintes questões: como era formado o corpo de funcionários do estabelecimento, quem eram os médicos responsáveis pela parte clínica e quais os principais problemas enfrentados no cotidiano asilar. Para que essas problemáticas pudessem ser construídas foram fundamentais a análise da documentação existente na Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza, instituição mantenedora do asilo, em especial dos livros de atas das reuniões ordinárias e extraordinárias, de 1886 a 1920.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/19183
ISSN: 2317-2657
Aparece nas coleções:DHIS - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2015_capliv_cfoliveira.docx21,9 kBMicrosoft Word XMLVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.