Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/19359
Título: Sustentabilida da matriz energética Brasilieira
Título em inglês: Sustainability of the Brazilian Energy Matrix
Autor(es): Bezerra, Filomena Nádia Rodrigues
Orientador(es): Lemos, José de Jesus Sousa
Palavras-chave: Energia renovável
Energia não renovável
Dependência externa de energia
sustentabilidade
Data do documento: 2016
Citação: BEZERRA, F. N. R. (2016)
Resumo: A conjuntura energética mundial vem experimentando alterações, em virtude da disponibilidade dos recursos, das tecnologias implantadas, do custo de produção, das políticas adotadas pelos países, bem como da quantidade de reservas existentes e, recentemente, da necessidade de migração para fontes menos poluentes. Nessa perspectiva, o presente trabalho objetivou mensurar a evolução da composição e sustentabilidade econômica da Matriz Energética Brasileira, entre os anos de 1970 a 2014. De maneira específica a pesquisa buscou: avaliar a evolução da produção energética brasileira no período de 1970 a 2014; aferir o comportamento da oferta de energia e dependência externa energética no Brasil e verificar o impacto do Índice de Dependência Externa de Energia (IDEXT) sobre a evolução do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro no período sob investigação. Os dados utilizados na pesquisa foram de natureza secundária e analisados em nível Brasil. Para estimar os índices optou-se pela técnica multivariada de Análise Fatorial, com decomposição em componentes principais. Diante dos resultados obtidos, observou-se que desde as crises do petróleo (1973 e 1979) a Matriz Energética Brasileira experimentou transformações, com destaque para a inserção de fontes renováveis. Em contrapartida, houve uma redução da produção de lenha, que em 1970 representava 64,2% das fontes renováveis, já em 2014 teve uma participação de apenas 9,1% da matriz renovável. Para as fontes não renováveis, destacaram-se o petróleo e o gás natural, que apesar dos incentivos para a redução de fontes de origem fóssil, apresentaram tendência de crescimento de 1970 a 2014. Constatou-se que, durante 25 anos (1970-1995) e, em 24 anos (1970-1994), o Brasil não apresentou um desempenho satisfatório na produção e na oferta per capita energética, respectivamente, apresentando elevada instabilidade ao longo do período. Entretanto, mesmo com o aumento na oferta energética, a dependência externa apresentou tendência ascendente, com uma Taxa Geométrica de Crescimento de 8,35% ao ano, atentando que mesmo com todos os investimentos alocados para alcançar a autossuficiência energética, a necessidade de importação se manteve em ascendência para suprir a demanda interna de energia. Além disso, a pesquisa mostrou que um aumento de 0,1 unidade na dependência externa aferida pelo IDEXT provoca, em média, uma redução de 0,545 unidade do índice do PIB brasileiro. Deste modo, a dependência de importação de energia causa efeito negativo na economia interna do país, dificultando o crescimento do produto agregado. Diante dessa conjuntura, permite-se afirmar que a Matriz Energética Brasileira, entre os anos de 1970 e 2014, não é sustentável economicamente no quesito fornecimento energético, havendo necessidade de importação para suprir a demanda interna por este importante insumo de produção e de qualidade de vida. Além disso, a dependência externa crescente, tal como mensurada pelo IDEXT nesta pesquisa, provoca impactos negativos na formação da riqueza do país.
Abstract: The world energy situation is undergoing changes due to the availability of resources, deployed technologies, the cost of production, the policies adopted by countries, and the amount of existing reserves and recently the need to move to cleaner sources. In this perspective, the present work aimed to measure the evolution of the composition and economic sustainability of the Brazilian energy matrix, between the years 1970 to 2014. In a specific way: to evaluate the evolution of Brazilian energy production in the period 1970 to 2014; assess the behavior of the energy supply and energy dependence on external in Brazil and check the impact of the index of external energy dependency (IDEXT) on the evolution of the Gross Domestic Product (GDP) in Brazil in the period under investigation. The data used in the study were of secondary nature and analyzed in level Brazil. To estimate the indices we opted for the multivariate technique of factorial analysis, with decomposition in main componentes. Considering the obtained results, it was observed that since the oil crises of (1973 and 1979) the Brazilian energy matrix experienced transformations, with emphasis to the insertion of renewable sources. In contrast, there was a reduction in the production of wood, which in 1970 accounted for 64.2% of renewable sources, already in 2014 had a share of just 9.1% of the matrix renewable. For non-renewable sources, stood out the oil and natural gas, which despite the incentives for the reduction of sources of fossil origin, the same presented a trend of growth from 1970 to 2014. It was found that, during 25 years (1970- 1995) and in 24 years (1970-1994), Brazil has not presented a satisfactory performance in the production and supply of energy per capita, respectively, presenting high instability over the period. However, even with the increase in energy supply, the IDEXT presented upward trend, with a geometric rate of growth of 8.35%, considering that even with all the investment allocated to achieve the energy self-sufficiency, the need for import remained in ancestry to supply the domestic demand of energy. In addition, the survey showed that an increase of 0,1 unit in external dependence measured by IDEXT causes, in average, a reduction of 0.545 unit of the index in the Brazilian GDP. In this way, the dependence on energy imports cause negative effect in the internal economy of the country, making the product growth of aggregate. Faced with this situation, allows you to say that the Brazilian energy matrix,between the years 1970 and 2014, is not sustainable economically at delivering energy supply, and there is need for imports to meet the internal demand for this important production input and of quality of life. Moreover, the growing external dependence, as measured by IDEXT in this research, causes negative impacts in the formation of the wealth of the country.
Descrição: BEZERRA, Filomena Nádia Rodrigues. Sustentabilidade da matriz energética Brasilieira. 2016. 124 f. :Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Ceará, Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Economia Agrícola, Programa de Pós-Graduação em Economia Rural. Fortaleza-CE, 2016
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/19359
Aparece nas coleções:DEA - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_dis_fnrbezerra.pdf1,68 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.