Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/19390
Título: Influência da variação temporal no controle das teias tróficas em reservatório que abastece o complexo portuário do Pecém (CE)
Autor(es): Bezerra, Luis Artur Valões
Orientador(es): Botero, Jorge Iván Sánchez
Palavras-chave: Limnologia - Pecém - CE
Barragens e açudes
Data do documento: 2015
Citação: BEZERRA, L. A. V. (2015)
Resumo: As variações climáticas em ecossistemas do semiárido, ligadas ao controle de teia trófica (top-down, bottom-up, wasp-waist, alternado) são questões-chave para melhorar o manejo da pesca e de ecossistemas aquáticos. Nesse estudo, o papel das chuvas e da estiagem prolongada são simulados no reservatório Sítios Novos, localizado no semiárido brasileiro,considerando teias tróficas compostas espécies nativas e exóticas. Para isso, foram desenvolvidos modelos em períodos de chuvas, estiagem e estiagem prolongada, utilizando o software Ecopath with Ecosim (EwE). O reservatório Sítios Novos está localizado no estado do Ceará, com 16,48 km² e 126,10 m³. Espécies de peixes, tais como Oreochromis niloticus, Atherinella brasiliensis, Cichla monoculus, Plagioscion squamosissimus e Arapaima gigas foram introduzidas nesse ambiente artificial para incrementar a pesca artesanal, exercida em média, por 16 pescadores, ao dia. Os peixes e invertebrados foram amostrados no reservatório por “arrastos de praia” padronizados, rede de plâncton, garrafa Kemmerer e draga de Ekman. Aves foram inventariadas no reservatório e identificadas por especialistas. Os grupos-chave foram peixes, principalmente C. monoculus adulto, A. brasiliensis juvenil e O. niloticus adulto e juvenil. O maior consumo é exercido pelo nível trófico II, em que a detritivoria é duas vezes superior à herbivoria. As interações tróficas de A. brasiliensis juvenis e O. niloticus adultos representam a influência positiva de grupos tróficos intermediários sobre a dieta do predador de topo C. monoculus, considerada do tipo wasp-waist. A sustentação do ecossistema é baseada em fitoplâncton e principalmente detritos, uma vez que o primeiro chega a ter sua biomassa constituída por 96% de cianobactérias. A elevada produtividade fitoplânctonica neste reservatório favorece o controle da teia trófica por C. monoculus, A. brasiliensis e O. niloticus. Ademais, as chuvas ocorreram como um evento natural que provoca um distúrbio sobre a teia trófica exótica, com uma resiliência de 17,05 ton.km-2 .ano -1 . A prolongada estiagem (de 2010 a 2015) intensifica o controle top-down exercido por Cichla sp. e pela pesca no ecossistema, especialmente as interações wasp-waist.
Descrição: BEZERRA, L. A. V. Influência da variação temporal no controle das teias tróficas em reservatório que abastece o complexo portuário do Pecém (CE). 2015. Dissertação (Mestrado em Ciências Marinhas Tropicias) - Instituto de Ciências do Mar, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2015.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/19390
Aparece nas coleções:LABOMAR - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2015_dis_lavbezerra.pdf1,35 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.