Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/19642
Título: O pictórico na poesia cabo-verdiana: dos Claridosos a Kiki Lima
Autor(es): OLIVEIRA JÚNIOR, José Leite
Orientador(es): DANTAS, Elisalva de Fátima Madruga
Palavras-chave: Literatura
Pintura
Cabo Verde
Semiótica
Data do documento: 2009
Editor: Universidade Federal da Paraíba
Citação: OLIVEIRA JÚNIOR, J. L.; DANTAS, E. F. M. (2009)
Resumo: A relação entre literatura e pintura vem instigando filósofos desde a antiguidade greco-latina. Atualmente desenvolvem-se novos ramos na Semiotiko com esse propósito. Esta pesquisa se baseia sobre a teoria semiótica de Jean-Marie Floch ou, mais precisamente, sobre a adaptação da teoria deste à cultura brasileira feita por Antonio Vicente Pietroforte. Para objeto de pesquisa escolheu-se a pintura e a poesia de Cabo Verde, objetivando-se esclarecer a seguinte questão: A obra pictórica de Kiki Lima relaciona-se com a histórica revista Claridade? A revista Claridade somou apenas nove números (1936 até 1960). No entanto, em torno da revista os escritores chamados "Claridosos" discutiram a tipologia cultural de Cabo Verde e influíram na decisão pela independência desse país. Apesar do regime ditatorial, os claridosos publicaram ensaios de alto nível, textos ficcionais e poemas, cujo conteúdo se tornou uma herança plena de significados para o povo de Cabo Verde. Através do espelho cultural do Brasil, os claridosos construíram uma tese sobre a criolização cabo-verdiana. Segundo Manuel Ferreira, os principais temas da revista Claridade eram a seca e a fome, a migração e a insularidade. A resistência à tendência de emigrar como solução para os problemas pessoais e nacionais eram recorrentes nos trabalhos dos claridosos. Kiki Lima (1953), o mais importante pintor de Cabo Verde, dialoga em sua pintura com a literatura da revista Claridade. Com a maturidade de seu trabalho artístico, mudou radicalmente sua estratégia de apresentar o povo cabo-verdiano. No lugar de mostrar um cenário miserável de seu país, ele decidiu apresentar imagens positivas da vida cotidiana do cabo-verdiano. Essa decisão de positivar a imagem de Cabo Verde influiu-lhe a técnica de pintar. Em sua fase madura, duas cores principais mostram-se sobre a tela: o azul-ciã e o laranja. Essas cores, complementares na paleta, são absolutamente contrárias entre si. Semioticamente visto, o papel do ciã e do laranja representa a exteriorização de um dicotomia mais profunda. Em se tratando do indivíduo, a dicotomia do sentido gerativo do sentido é a vida e a morte; se se tratada da relação social, o par dicotômico é a natureza e a cultura. Laranja é o corpo (indivíduo) e a terra (sociedade); ciã é a roupa (indivíduo) e o mar (sociedade). Kiki Lima favorece o papel da cor laranja e desfavorece o ciã. Negando o ciã, ele nega o mar e a roupa ou, por analogia, respectivamente ele nega a migração e a cultura estrangeira. Valorizando a tinta de cor laranja, ele se identifica com o corpo e a terra. E eis a solução para a tendência de migrar. Essa estratégia semiótica reponde positivamente à poética proposta pelos claridosos. Em conclusão, Kiki Lima intuitivamente transfere das páginas da poesia claridosa para a tela da pintura contemporânea o mais importante problema cultural de Cabo Verde, ou seja, a tendência para a emigração. Contudo, ele se propõe solucioná-lo não por imagens negativas da população cabo-verdiana, mas por um alegre contraste entre o ciã e o laranja. Nessa batalha de cores, vence o laranja. A sanção positiva dessa cor quente simboliza a vitória da cultura criola.
Abstract: The relationship between literature and painting has been urging philosophers from Greek and Latin ancient cultures. Currently new branches in Semiotiks are being developed for this purpose. This research is based on semiotic theory of Jean-Marie Floch or, more precisely, on the adaptation of this theory to the Brazilian culture made by Antonio Vicente Pietroforte. Fora research subject was chosen painting and poetry of Cape Verde, aiming to clarify the following question: The paintings by Kiki Lima relates to the historical journal Claridade?Claridade were in all only nine editions (1936 to 1960). However, around the magazinewriters called "Claridosos" discussed the cultural typology of Cape Verde and has influenced the decision for independence of that country. Despite the dictatorship, the claridosospublished trials of high-level ficcional texts and poems, whose content has become a full of meaning heritage for the people of Cape Verde. Through the cultural mirror of Brazil, theclaridosos built a thesis on the creolization in Cape Verde. According to Manuel Ferreira, themain editions of the journal Clarity was drought and famine, migration and insularity. Theresistance to the tendency to emigrate as a solution to personal and national problems wererecurring in the work of claridosos. Kiki Lima (1953), the most important painter of CapeVerde, establishes a connection between his painting and the literature journal Claridade. In the mature phase of his work, radically changed his strategy to show the Cape Verdean people. Instead of showing a miserable scene of his country, he decided to present positive images of the every day life in Cape Verde. That decision has influenced you the technique ofpainting. In the mature phase, two main colors show up on the screen: the blue-cyan andorange. These colors, complementary colors in the palette, are absolutely contraries one to theother. In a semiotic approach, the roles of cyan and orange represents the manifestation of amore abstract dichotomy. In a individual level, the dichotomy of the generative sense of meaning is the life and death; in the society relationship, the dichotomic words are nature and culture. Orange refers to the body (individual) and the land (society); cyan refers to theclothing (individual) and the sea (society). Kiki Lima favors the role of the orange while hedevalues the cyan. Denying the cyan, he denies the sea and the clothing or, by analogy,respectively he denies the migration and foreign culture. Valuing the orange paint, heidentifies with the body and the land. And here is the solution to the tendency to migrate. Thisstrategy responds positively to the semiotics proposed by the poetic of the group claridosos.In conclusion, Kiki Lima intuitively transfer from the pages of poetry of the generation of Claridade to the screen of contemporary art's most important cultural problem of Cape Verde, namely, the tendency to emigrate. However, he proposes to solve it not by negative images of the Cape Verdean population, but by a happy contrast between the cyan and orange. In this battle of colors, the orange wins. The positive sanction of the warm color symbolizes the victory of the Creole culture.
Descrição: OLIVEIRA JÚNIOR, José Leite. O pictórico na poesia cabo-verdiana: dos Claridosos a Kiki Lima. 2009. 163f. - Tese (Doutorado) - Universidade Federal da Paraíba, Pós-graduação em Letras, João Pessoa, 2009.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/19642
Aparece nas coleções:DLIT - Teses defendidas em outras instituições

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2009_tese_jleitejr.pdf1,99 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.