Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1977
Título: Avaliação da assistência pré-natal de mulheres com síndrome hipertensiva gestacional
Título em inglês: Evaluation of prenatal assistance to women with hypertensive pregnancy syndrome
Autor(es): Herculano, Marta Maria Soares
Orientador(es): Damasceno , Ana Kelve Castro
Palavras-chave: Hipertensão Induzida pela Gravidez
Cuidado Pré-Natal
Data do documento: 2010
Citação: HERCULANO, M. M. S. (2010)
Resumo: Este estudo teve como objetivo avaliar à assistência pré-natal de mulheres com Síndrome Hipertensiva Gestacional. Estudo de avaliação, descritivo, transversal com abordagem quantitativa, realizado na MEAC em Fortaleza. A amostra foi constituída por 230 mulheres admitidas na referida maternidade com diagnóstico de Síndrome Hipertensiva Gestacional (SHG). A coleta de dados ocorreu no período de março a novembro de 2010, tendo sido utilizado um formulário estruturado, além de consultas aos prontuários das participantes. A idade prevalente foi a faixa etária de 20-34anos com 134 (58,3%) mulheres, a maioria (65,7%) proveniente da capital. Das 230 mulheres 126 (54,8) eram primíparas e 37 (16,1%) tinham história prévia de pré-eclâmpsia. Foram analisados separadamente 230 prontuários, desses 194 gestantes foram admitidas por pré-eclâmpsia correspondendo a 88,8%, porém com maior prevalência a pré-eclâmpsia grave, com 57,0% das internações. Nos achados referentes aos fatores de risco, o principal fator associado à SHG foi a pré-eclâmpsia prévia com 37(16,1%) casos, seguida de HAC 34 (14,8%). Entre os principais sinais e sintomas apresentados à admissão foram: aumento da PA num total de 200 mulheres, com uma média de PAS de 164,2 com DP 22,4, seguido por proteinúria (148) e cefaleia (127). A idade gestacional variou de 18 a 42 semanas, com média de 36,4, obtendo DP de 3,82. A via de parto prevalente foi a cesárea com (77,4%). Quanto aos dados do pré-natal 147 (63,91%) mulheres iniciaram as consultas no primeiro trimestre, 121 (48,5%) realizaram de 6 a 13 consultas com uma média de 5,9 e DP de 2,2. Do total dessas mulheres 128 foram acompanhadas pelos dois profissionais médico e enfermeiro. Observou-se a cobertura de todos os exames laboratoriais e procedimentos preconizados pelo PHPN, superiores a 80%, exceto a realização da segunda amostra dos seguintes exames: VDRL, Urina, HIV e Glicemia. Portanto, não cumprindo o que é estabelecido pelo PHPN, ou seja, a realização desta segunda amostra em torno da 30ª semana de gestação. Conclui-se, portanto que o estudo tem sua relevância por trilhar o percurso da assistência pré-natal até o desfecho no atendimento a nível hospitalar, mostrando-nos os fatores relacionados ao acompanhamento pré-natal, reafirmando que a sua simples realização não assegura a minimização do aparecimento da SHG, sendo fundamental o investimento qualitativo dessa ação
Abstract: This study aimed to evaluate prenatal care given to women with Gestational Hypertensive Syndrome. This is a descriptive, transversal and evaluation study with quantitative approach, held in the Maternity School Assis Chateaubriand (MEAC) in Fortaleza. The sample consisted of 230 women admitted at the maternity, diagnosed with Gestational Hypertensive Syndrome (GHS). The data was collected from March to November 2010, using a structured form and examination of the patients’ medical records. Most women, 134 (58.3%), were between the age of 20-34years, being the majority (65.7%) from the capital. 126 (54.8%) of the 230 women were young first-time mothers and 37 (16.1%) had a prior history of preeclampsia. 230 medical records were individually analyzed. From this it was found that 194 pregnant women were admitted with preeclampsia corresponding to 88.8%. However severe preeclampsia was the higher prevalence with 57.0% of admissions. Regarding risk factors, the main factor associated with SHG was prior preeclampsia with 37 (16.1%) cases, followed by HAC with 34 (14.8%). Among the key signs and symptoms at the time of admission were: increased High blood pressure totaling 200 women, with an average Systolic blood pressure of 164.2 with DP of 22.4, followed by proteinuria (148), and headache (127). The gestational age ranged from 18 to 42 weeks, with an average of 36.4, with a DP of 3.82. Caesarean was the prevalent choice of childbirth (77.4%). Regarding the pre natal data, 147 (63.91%) women began their appointments in the first trimester, 121 (48.5%) attended from 6 to 13 appointments with an average of 5.9 and DP of 2.2. 128 of these women were accompanied by two professionals: a doctor and a nurse. All laboratory tests and procedures recommended by PHPN were noted, over 80%, excepting the second samples of the following tests: VDRL, urine, HIV and blood glucose. Therefore, not fulfilling what is established by PHPN, in other words, the running of the second sample around the 30th week of gestation. In conclusion, this study has its relevance by reinforcing the route of prenatal assistance until the outcome in the attendance at the hospital. It shows us the factors related to prenatal follow-up, reaffirming that the mere realization does not ensure the minimization of the emergence of GHS, being fundamental the qualitative investment of this action
Descrição: HERCULANO, Marta Maria Soares. Avaliação da assistência pré-natal de mulheres com síndrome hipertensiva gestacional. 2010. 99 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Fortaleza, 2010.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1977
Aparece nas coleções:DENF - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2010_mmsherculano.pdf1,01 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.