Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/19852
Título: A produção do discurso lítero-musical brasileiro
Autor(es): Costa, Nelson Barros da
Orientador(es): Machado, Anna Rachel
Palavras-chave: Análise do discurso
Música popular brasileira
Discurso constituinte
Heterogeneidade da MPB
Movimentos estético-ideológicos
Data do documento: 2001
Citação: Costa, N. B.; Machado, A. R. (2001)
Resumo: Este trabalho pretende analisar a Música Popular Brasileira enquanto prática discursiva, tendo como base a orientação que Dominique Maingueneau propõe para a Análise do discurso francesa. Ele também lança mão de categorias procedentes das teorias das heterogeneidades discursivas (Jacqueline Authier-Revuz), do princípio dialógico (Mikhail Bakhtin) e da intertextualidade (Kristeva, Genette, sistematizada por Nathalie Piegay-Gros), perspectivas já integradas por Maingueneau no que ele denomina de “primado do interdiscurso”. Realizamos basicamente duas tarefas: 1. Propor uma descrição da Música Popular Brasileira a partir da caracterização das diversas vertentes e movimentos que interagem num campo construído por uma prática discursiva que inclui não apenas os produtores efetivos de canções, mas também os discursos que as comentam e divulgam. Para isso, utilizamos as categorias de posicionamento, comunidade discursiva, etos, domínios enunciativos etc. Esta descrição é desenvolvida no capítulo III, após a definição da orientação teórica (capítulo I), da hipótese teórica e das opções metodológicas (capítulo II); 2. Discutir a hipótese de que discurso lítero-musical brasileiro dos nossos dias conquistou ou vem conquistando o papel de discurso constituinte, no sentido explicitado por Maingueneau, que o define como o discurso que: dá sentido aos atos da coletividade, consistindo numa forma de vida articuladora da consciência coletiva a indicar modos de sentir, de pensar e de interpretar os fatos sócio-culturais; estabelece um archéion, ou seja, determina um corpo de enunciadores consagrados e elabora uma memória para si e para a sociedade; constitui-se tematizando sua própria constituição, pretendendo ao mesmo tempo constituir-se para os outros (auto e heteroconstituição) e dizendo-se ligado a uma Fonte legitimante (a Beleza, a Verdade, Deus etc.); usa a palavra de outros discursos constituintes para legitimar sua palavra e definir seu lugar no interdiscurso. Essa discussão é o conteúdo do capítulo IV e contou também com o uso de conceitos como alusão, metáfora, interdiscursividade, intertextualidade e outros, sempre redefinidos em função da perspectiva teórica maior. O trabalho pretende, enfim, esboçar uma espécie de perfil lingüístico-discursivo da produção lítero-musical brasileira, particularmente daquela que é habitualmente chamada de Música Popular Brasileira, esperando contribuir para os que pretenderem, mais do que analisar canções isoladas, abordar produtos de sujeitos concretos inseridos em um contexto densamente povoado de diálogos e de história, em que as canções, mesmo as mais simples, são nós de uma intrincada configuração interdiscursiva. Aí se influenciam mutuamente comunidades cancionistas (do passado e do presente, nacionais e estrangeiras), comunidades discursivas de outras instituições discursivas, discursos cotidianos, ideologias etc.
Descrição: COSTA, Nelson Barros da. A produção do discurso lítero-musical brasileiro. 2001. 486f. Tese (Doutorado) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Programa de Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem, Doutorado em Linguística Aplicada, São Paulo, 2001.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/19852
Aparece nas coleções:PPGL - Teses defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2001_tese_nbcosta.PDF943,3 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.