Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/20013
Título: Resenha de BEOZZO, José Oscar. A igreja do Brasil no Concílio Vaticano II: 1959-1965
Autor(es): PORTO, Márcio de Souza
Palavras-chave: Igreja Católica
Concílio de Trento
Padre José Oscar Beozzo
Data do documento: 2006
Editor: Trajetos Revista de História UFC
Citação: PORTO, M. S. (2006)
Resumo: Malgrado algumas controvérsias, a partir da segunda metade da década de 1960, tornou-se ponto comum aos estudos que se dedicam à históia da Igreja Católica no Brasil, o reconhecimento do Concílio Vaticano II como evento eclesiástico que representou o fim de uma fase de longa duração iniciada com o Concílio de Trento (1545-1563). O Vaticano II, ao conceber a Igreja enquanto realidade situada no tempo e no espaço, abriu horizontes de incertezas, de redistribuição do poder interno da Igreja, de legitimação de novos organismos e experiências eclesiais, além do diálogo com o ecumenismo. Durante suas quatro Sessões Conciliares (1962-1965), constituiu complexos movimentos de alterações dos padrões de verticalidade no exercício da autoridade da Igreja, criticou a visão ingênua de um monolitismo de posições dentro da Instituição Católica, repensou sua liturgia e operacionalizou novas relações com as demais Igrejas, comunidades cristãs e religiões, inclusive com os não-crentes, com a cultura e sociedade modernas e o mundo em geral. O padre José Oscar Beozzo defendeu em 2001, junto à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, sua tese de doutorado, orientada pela Profa. Dra. Maria Luiza Marcílio. Em 2005, seu trabalho foi publicado pela Editora Paulinas, com o título de A Igreja do Brasil no Concílio Vaticano lI: 1959 - 1965. Trata-se de obra indispensável para todos aqueles que buscam uma maior compreensão de como o Concílio diminuiu o secular predomínio dos órgãos da Cúria Romana sobre as Igrejas locais e permitiu, através de atritos e disputas, uma maior valorização dos bispos como sujeitos responsáveis pelas Igrejas de seus próprios países ou em dimensão continental. Como o próprio título da obra sugere, Beozzo busca historicizar e demonstrar que o ineditismo e o fator de maiores conseqüências durante e após a assembléia conciliar foi a participação dos bispos brasileiros e latino-americanos...
Descrição: PORTO, Márcio de Souza. Resenha. Trajetos Revista de História UFC, Fortaleza, v. 4, n. 8, p. 301-307, 2006. Resenha de: BEOZZO, José Oscar. A igreja do Brasil no Concílio Vaticano II: 1959-1965. São Paulo: Paulinas, 2005.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/20013
ISSN: 1676-3033
Aparece nas coleções:DHIS - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2006_art_msporto.pdf2,92 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.