Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/20093
Título: A interface como prática discursiva em redes sociotécnicas: um estudo no YouTube
Título em inglês: Interface as discoursive practice in socio-technical networks: a study on YouTube
Autor(es): Costa, Rafael Rodrigues da
Orientador(es): Araújo, Júlio César Rosa de
Palavras-chave: Música e esporte - sites
Música e esporte - vídeos
Interfaces na Web
Actor-network theory
YouTube
Data do documento: 2016
Citação: Costa, R. R.; Araújo, J. C. R. (2016)
Resumo: Esta tese tem o objetivo de investigar a constituição das interfaces (SCOLARI, 2004; JOHNSON, [1997] 2001) da web semântica (SAAD CORREA; BERTOCCHI, 2012, BERNERS-LEE et al, 2001) como uma prática discursiva, a partir do entendimento de que práticas discursivas são formadas por cadeias ou agrupamentos de enunciados, a que correspondem uma dada uma posição de sujeito, um tipo de circulação social e também limites em relação a outras unidades de comunicação. O locus da pesquisa é o site de compartilhamento de vídeos YouTube, uma das páginas web mais visitadas do mundo, com cerca de 1 bilhão de usuários (YOUTUBE, 2015). O cumprimento dos objetivos específicos do trabalho passa por uma discussão de natureza teórica seguida de uma exploração empírica, destinadas a ratificar a suposição geral de que a interface é uma prática discursiva composta por rastros a partir dos quais é possível observar a presença de atores humanos e não-humanos (LATOUR, 2012) em movimentos associativos que podem dizer respeito a iniciativas de sociabilização, presentificação, conversação e demarcação de individualidades, operando, assim, como uma rede. A revisão bibliográfica tem como principais aportes as noções de prática discursiva (FAIRCLOUGH, 2001; FOUCAULT, [1971] 2008, [1969] 2010; BAKHTIN, [1979] 2006), ator, agência e rede (LATOUR, 2005, 2012; LEMOS, 2013, BUZATO, 2013; LAW, 1992). O design metodológico busca operacionalizar pesquisas na web semântica, considerando que uma parcela considerável dos dados entendidos como relevantes para esta pesquisa derivam de práticas monitoradas, como aquelas realizadas após a realização de login ou acesso registrado a uma plataforma ou aplicativo. Tendo em vista tal condicionante, optou-se por construir os dados a partir da utilização da plataforma YouTube feita pelo autor da pesquisa, mais especificamente no mês de outubro de 2015. Os registros de acesso à plataforma nesse período indicaram que 86 páginas de vídeos foram visitadas, a maioria contendo vídeos pertencentes às categorias Música e Esporte. Uma amostra de 10 vídeos acessados pelo autor da pesquisa nessas duas categorias foi selecionada para uma análise mais detida de aspectos concernentes à caracterização de práticas discursivas, tais como a produção, circulação e consumo, a identificação de actantes humanos e não-humanos e a atividade empreendida por esses. Os resultados permitem inferir que a interface não é uma instância neutra, antes se afigurando como agente delegado capaz de organizar a experiência de um usuário, facultando a esse a produção de determinados tipos de enunciados. Esse poder de delegação é, em parte, automatizado e baseado em práticas de monitoramento, vigilância e coleta de dados que se transfiguram em enunciados a partir dos quais a plataforma circunscreve as possibilidades de acesso a conteúdos e mesmo de interação entre actantes. A interface é composta de enunciados que estabelecem, entre si, relações interdiscursivas (alicerçadas em agência humana e em agência maquínica), interlocutivas e metadiscursivas. Entendemos que as peculiaridades da produção, da circulação e do consumo da prática discursiva interface, em se tratando de ambientes da web semântica, reclamam aportes teórico-metodológicos adequados a seu estudo, sobretudo para dar conta das evidências da existência de uma simetria entre atores humanos e não-humanos, expressa no exame do locus de pesquisa escolhido.
Abstract: This dissertation aims to investigate the constitution of semantic web interfaces (SCOLARI, 2004; JOHNSON, [1997] 2001; SAAD CORREA; BERTOCCHI, 2012, BERNERS-LEE et al, 2001) as a discoursive practice formed by chains or groups of enunciates, to which correspond a subject position, a kind of social transit and limits on other communication units. The research takes place at YouTube, one of the most popular websites in the whole world, with about 1 billion users (YOUTUBE, 2015). To meet the goals of this research, we conduct a theoretical debate followed by an empirical exploration, intended to confirm our main hypothesis: interface is a discoursive practice made by trails which make possible to notice the presence of human and nonhuman actors (LATOUR, 2012) engaged in associative moves. Those moves might be related to socialization, conversation and self-presentation activities which composes a network. The theoretical discussion comprises the notions of discoursive practice (FAIRCLOUGH, 2001; FOUCAULT, [1971] 2008, [1969] 2010; BAKHTIN, [1979] 2006), actor, agency and network (FAIRCLOUGH, 2001; FOUCAULT, [1971] 2008, [1969] 2010; BAKHTIN, [1979] 2006). The methodological design aims to make researches in semantic web feasible, taking into consideration that the most part of relevant data comes from monitored practices, as those performed after login ou registered access to a platform or application. Due to that, we collected data from a personal account used by the research author on YouTube. Collected data comes from the author activity on his account in October 2015. In this period, 86 video pages were visited, the most part containing Sport and Music videos. Ten videos were selected in order to do a more accurate analysis of aspects concerned to discoursive practices such as production, circulation and consumption, identification of human and nonhuman actors and their activity. The results allow to infer that interface is not a neutral entity. Interface presents itself as an agent delegate capable of organize the user experience, granting permission to that user to produce some kinds of discourses. That delegation power is partially automatized and based on monitoring practices, vigilance and data collection. Such processes translate themselves in enunciates from which the platform circumscribes the possibilities of access to contents of a webpage and also the opportunities to interaction between actors. Interface is composed by enunciates which establish relations between themselves. We identified four types of relations: interidiscoursive relations founded on human agency; interdiscoursive relations founded on nonhuman agency, interlocutive relations and metadiscoursive relations. The peculiarities of discoursive practices production, circulation and consumption, in semantic web, claim adequate theoretical and methodological support, especially to account for the evidences of a symmetry between humans and nonhumans, expressed in our research locus.
Descrição: COSTA, Rafael Rodrigues da. A interface como prática discursiva em redes sociotécnicas: um estudo no Youtube. 2016. 176f. - Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Linguística, Fortaleza (CE), 2016.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/20093
Aparece nas coleções:PPGL - Teses defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_tese_rrcosta.pdf3,79 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.