Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/20112
Título: A amizade nas cartas a Lucílio de Sêneca
Título em inglês: Friendship in the letters to Lucilius Seneca
Autor(es): AQUINO, Gabriel Eleres de
Orientador(es): ALMEIDA, José Carlos Silva de
Palavras-chave: Seneca, Lucius Annaeus, - ca. 4 aC-65 dC - Crítica e interpretação
Filosofia grega
Lucílio, Caio, - Ca. 180-102 A. C.
Friendship
Epistulae Morales ad Lucilium
Data do documento: 2016
Citação: AQUINO, G. E.; ALMEIDA, J. C. S. (2016)
Resumo: Se o termo “filosofia”, em seu sentido etimológico significa amor à filosofia, tal amor se manifesta como amizade e este será um dos temas mais caros aos antigos. Esta dissertação,seguindo a metodologia de leitura e análise de textos, convida inicialmente o leitor a refazer o percurso da noção de philia/amicitia no mundo greco-romano no qual seus fundamentos foram lançados e discutidos em páginas memoráveis que vão desde os fragmentos de Empédocles de Agrigento, passando pelos diálogos platônicos como o Líside, o Banquete e o Fedro, pelos livros VIII e IX da Ética a Nicômaco de Aristóteles, pelas Cartas de Epicuro e pelo diálogo Sobre a amizade de Cícero, este último na Roma republicana. Todavia, as páginas especialmente dedicadas deste trabalho monográfico são dirigidas à reflexão que Sêneca, na Roma imperial, confere à amizade em algumas das Cartas à Lucílio, desfrutando do ócio filosófico que a situação política adversa no principado neroniano lhe impôs. Através de cartas,forma textual simples e direta de enviar ensinamentos ao jovem Lucílio, e por que não dizer também a nós, Sêneca repensa as relações humanas além das usuais formas de fisiologismo e clientelismo tão presentes na vida de patrícios e plebeus de seu tempo e propõe um sentido mais elevado da amizade, no sentido de que esta seja recíproca, solidária e desinteressada, componente fundamental da vida feliz e parte essencial de sua filosofia prática. Foram obtidos os seguintes resultados: a constatação de que Sêneca não entendeu Epicuro em relação a amizade, que a sua forma de pensar o Sábio é mais humana do que ocorria antes dele, pois apresenta um sábio que sente vontade de ter amigos e sente prazer em ter amigos e a sua escolha em tratar da amizade por meio de epístolas é feita por pensar que esse é o melhor modo de abordá-las.
Abstract: If the term "philosophy" in its etymological sense means love for philosophy, that love manifests itself as friendship and this will be one of the most expensive to old themes. This dissertation, following the methodology of reading and analyzing texts, initially invites the reader to retrace the route of the notion of philia/amicitia in the Greco-Roman world in which its foundations were laid and discussed in memorable pages ranging from the fragments of Empedocles of Agrigentum, through the platonic dialogues as Lysis, the Symposium and Phaedrus, the books VIII and IX of the Nicomachean Ethics of Aristotle, Epicurus the letters and dialogue On friendship of Cicero, the last one latter in Republican Rome. However, the pages especially dedicated this monograph are directed to reflection that Seneca, in imperial Rome, gives the friendship in some of the Moral letters to Lucilius, enjoying the philosophical idleness that the adverse political situation in neroniano principality has imposed. Through letters, simple and straightforward textual form to send teaching the young Lucilio, and why not tell us, Seneca rethinks human relationships beyond the usual forms of patronage and clientelism so present in the life of patricians and plebeians of their time and proposes a higher sense of friendship, in the sense that this is reciprocal, caring and unselfish, fundamental component of the happy life and essential part of his practical philosophy. The following results were obtained: the realization that Seneca did not understand Epicurus in relation to friendship, that your way of thinking the Sage is more human than occurred before it, because it presents a sage who feel like having friends and takes pleasure in have friends and your choice in dealing with friendship through letters is made to think that this is the best way to address them.
Descrição: AQUINO, Gabriel Eleres de. A amizade nas cartas a Lucílio de Sêneca. 2016. 81f. - Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Fortaleza (CE), 2016.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/20112
Aparece nas coleções:PPGFILO - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_dis_geaquino.pdf958,1 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.