Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/20130
Título: Neuropatia autonômica cardiovascular precoce em pacientes com lipodistrofia generalizada congênita
Título em inglês: Early cardiovascular autonomic neuropathy in patients with congenital generalized lipodystrophy
Autor(es): Pontes, Clarisse Mourão Melo
Orientador(es): Montenegro Júnior , Renan Magalhães
Palavras-chave: Lipodistrofia
Neuropatias Diabéticas
Diabetes Mellitus
Insulina
Data do documento: 30-Set-2016
Citação: PONTES, C. M. M. ; MONTENEGRO JÚNIOR, R. M. (2016)
Resumo: As anormalidades metabólicas da lipodistrofia generalizada congênita (LGC) podem cursar com dislipidemia grave, diabetes mellitus (DM) de difícil controle e complicações microvasculares, dentre as quais a neuropatia diabética. Apesar disso, a avaliação das diferentes formas de neuropatia, incluindo o estudo da modulação autonômica cardiovascular, nesses doentes, é escassa. Acredita-se que a hiperglicemia isoladamente não explique toda a fisiopatologia da lesão neural e, dentre os fatores potencialmente envolvidos ao seu desenvolvimento destacam-se a resistência à insulina (RI) e o metabolismo anormal dos lipídios. Observa-se ainda associação entre neuropatia autonômica cardiovascular (NAC), inflamação, nefropatia e hipertrofia ventricular esquerda (HVE). Essas observações fazem da LGC um interessante modelo biológico para o estudo dos mecanismos provavelmente associados a essas complicações. Os objetivos desse estudo foram determinar a prevalência de NAC através dos testes de avaliação da variabilidade da frequência cardíaca (VFC) e analisar a associação entre os marcadores clínicos e metabólicos, os testes autonômicos e os parâmetros cardiovasculares nos pacientes com LGC. Tratou-se de estudo transversal realizado no Ambulatório de Endocrinologia Pediátrica do Hospital Universitário Walter Cantídio, no período de outubro de 2013 a dezembro de 2015. Foram incluídos 10 pacientes com LGC, 20 indivíduos com de DM1 e 20 participantes saudáveis que foram submetidos à avaliação clínica, coleta de exames laboratoriais e de imagem, estudo molecular, mensuração do índice de massa de VE (IMVE), do intervalo QTc e da espessura média intimal carotídea (cEMI). Para diagnóstico da NAC foram realizados os testes reflexos autonômicos cardiovasculares – coeficientes de valsalva (VAL), respiratório (E/I), ortostático (30/15) e teste da hipotensão postural (THP) – e a análise espectral da VFC – componentes de frequência muito baixa (FMB), baixa (FB) e alta (FA). O diagnóstico de NAC clínica foi definido pela presença de pelo menos dois testes reflexos alterados. Os resultados foram expressos em mediana (mín; máx) e em frequência absoluta e percentual. Foram utilizados o teste exato de Fisher, Mann-Whitney, correlação de Spearman e a técnica de reamostragem Bootstrap, Programa: stata 13. Significante p<0,05. No grupo LGC, seis (60%) eram do sexo feminino, a idade foi 12 anos (7; 30), sendo 1 (10%) pré-púbere, 7 (70%) púberes e dois 2 adultos. Não se observou diferença de idade, sexo, estadiamento puberal e IMC entre os grupos. Todos os pacientes com LGC tinham dislipidemia, 70% DM, 60% nefropatia e 30% neuropatia sensitivomotora. Observou-se maior prevalência de NAC clínica entre os pacientes com LGC (40%) em comparação aos grupos DM1 (5%) e saudáveis (0%); p<0,05. Observou-se redução significativa do coeficiente E/I e dos componentes de FMB, FB e FA no grupo LGC vs DM1 e saudáveis e menores valores dos coeficientes 30/15 e VAL no grupo LGC vs saudáveis (p<0,05). Os pacientes com LGC apresentaram elevada prevalência de HVE (40% vs 0%; p=0,008). Nos pacientes com LGC, os testes autonômicos cardiovasculares se associaram com HbA1c, HOMA-IR, triglicerídeos, PCRus, albuminúria, IMVE e espessura do septo interventricular (p<0,05). Ao se avaliar os grupos LGC e saudáveis, os níveis de leptina de associaram com o coeficiente 30/15 mesmo após ajuste para triglicerídeos e resistência à insulina (r=0,396; p=0,036). Em conclusão, demonstrou-se uma elevada prevalência de NAC em pacientes jovens com LGC, mesmo em comparação a um grupo de DM1. Esses achados sugerem que a RI e a hipertrigliceridemia podem estar envolvidas no desenvolvimento precoce da NAC. Observou-se ainda associação entre a leptinemia e a modulação autonômica cardiovascular; ressalta-se, no entanto, que estudos adicionais são necessários para se avaliar o papel da hipoleptinemia nesse contexto. A associação entre HVE e os parâmetros de avaliação da modulação autonômica cardíaca permite especular que a NAC pode estar envolvida na fisiopatogênese dessa complicação nesses pacientes.
Abstract: The metabolic abnormalities of congenital generalized lipodystrophy (LGC) can present with severe dyslipidemia, diabetes mellitus (DM) difficult to control and microvascular complications, among which diabetic neuropathy. Nevertheless, the evaluation of different forms of neuropathy, including the study of cardiovascular autonomic modulation in these patients is limited. It is believed that hyperglycemia alone can not explain all the pathophysiology of nerve injury and among the factors potentially involved the development stand to insulin resistance (IR) and abnormal lipid metabolism. It also observes association between cardiovascular autonomic neuropathy (CAN), inflammation, kidney disease and left ventricular hypertrophy (LVH). These observations make LGC an interesting biological model to study the mechanisms likely associated with these complications. The objectives of this study were to determine the prevalence of NAC through the evaluation tests of heart rate variability (HRV) and to analyze the association between clinical and metabolic markers, autonomic tests and cardiovascular parameters in patients with LGC. This was cross-sectional study conducted in the pediatric endocrinology clinic of the University Hospital Walter Cantídio, from October 2013 to December 2015. We included 10 patients with LGC, 20 individuals with DM1 and 20 healthy participants who underwent assessment clinical, laboratory exams and imaging, molecular analysis, measurement of mass index of VE (LVMI), QTc and thickness mean carotid intima (CEMI). For diagnosis of NAC were performed cardiovascular autonomic reflex tests - Valsalva coefficients (VAL), respiratory (E / I), orthostatic (30/15) and test of postural hypotension (THP) - and the spectral analysis of HRV - components very low frequency (VLF), low (FB) and high (AF). The clinical diagnosis of NAC was defined by the presence of at least two abnormal reflex tests. The results were expressed as median (min; max) and absolute and percentage frequency. We used Fisher's exact test, Mann-Whitney, Spearman correlation and resampling technique Bootstrap, Program: stata 13. Significant p <0.05. In the LGC group, six (60%) were female, age was 12 years (7; 30), 1 (10%) pre-pubescent, 7 (70%) pubescent and two 2 adults. There was no difference in age, sex, pubertal stage, and BMI between groups. All patients had LGC dyslipidemia, DM 70%, 60% and 30% nephropathy sensorimotor neuropathy. A higher prevalence of clinical NAC in patients with LGC (40%) compared to DM1 group (5%) and healthy (0%); p <0.05. A significant reduction in the ratio E / I and FMB components FB and FA in the LGC group vs DM1 and healthy and lower values ​​of 30/15 and VAL coefficients in the LGC group vs healthy (p <0.05). Patients with LGC showed a high prevalence of LVH (40% vs. 0%; p = 0.008). In patients with LGC, cardiovascular autonomic tests were associated with HbA1c, HOMA-IR, triglycerides, CRP, albuminuria, LVMI and interventricular septum thickness (p <0.05). When evaluating the LGC and healthy groups, leptin levels associated with the 30/15 coefficient even after adjustment for triglycerides and insulin resistance (r = 0.396; p = 0.036). In conclusion, it was demonstrated a high prevalence of NAC in young patients with LGC, even compared to a group of DM1. These findings suggest that IR and hypertriglyceridemia may be involved in the early development of NAC. It was also observed association between leptin and cardiovascular autonomic modulation; it is noteworthy, however, that further studies are needed to evaluate the role of hipoleptinemia this context. The association between LVH and parameters of evaluation of cardiac autonomic modulation allows speculate that NAC may be involved in the pathogenesis of this complication in these patients.
Descrição: PONTES, C. M. M. Neuropatia autonômica cardiovascular precoce em pacientes com lipodistrofia generalizada congênita. 2016. 131 f. Tese (Doutorado em Ciências Médicas) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/20130
Aparece nas coleções:DMC - Teses defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_tese_cmmponte.pdf2,24 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.