Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/20176
Título: Jorge Amado: a militância das letras
Autor(es): MELO, Ana Amélia de Moura Cavalcante de
Palavras-chave: Jorge Amado
Literato
Estado Novo
Política
Data do documento: 2016
Editor:  Latin American Research Review
Citação: MELO, A. A. M. C. (2016)
Resumo: Este artigo examina a atuação do escritor Jorge Amado como redator chefe no jornal literário Dom Casmurro (1937–1946). Conhecido e consagrado por sua produção literária iniciada ainda em 1931, o escritor baiano também foi figura atuante na vida política e cultural nacional. Embora estudiosos considerem a importância de Jorge Amado como literato e militante neste período, a atuação em Dom Casmurro tem recebido pouca atenção. Ao assumir em 1939 a redação deste periódico, num momento marcado por perseguições e censura do Estado Novo, Jorge Amado já militava no Partido Comunista além de ter publicado seis romances de sucesso. Por sua vez Dom Casmurros e constitui em um relevante periódico de literatura e cultura, desenvolvendo em suas páginas intenso debate sobre qual era efetivamente seu papel. Era ele veículo de expressão literária ou representante de uma determinada corrente política? Interessa neste artigo compreender as tensões que marcaram as relações entre os intelectuais, a imprensa e a política durante o Estado Novo através deste jornal e da atuação de Jorge Amado.
Descrição: MELO, Ana Amélia de Moura Cavalcante de. Jorge Amado: a militância das letras. Latin American Studies Association, v. 51, n. 1, p. 181-197, 2016.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/20176
ISSN: 1542-4278
Aparece nas coleções:DHIS - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_art_aamcmelo.pdf384,33 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.