Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/20309
Título: Comparação da barreira antirrefluxo em repouso e durante as manobras inspiratórias padronizadas entre pacientes asmáticos
Título em inglês: Anti reflux barrier compared at rest and during standardized inspiratory maneuvers among asthmatics
Autor(es): Ribeiro, Jeany Borges e Silva
Orientador(es): Nobre e Souza, Miguel Ângelo
Palavras-chave: Asma
Diafragma
Manometria
Data do documento: 20-Out-2015
Citação: RIBEIRO, J. B. S. ; NOBRE E SOUZA, M. A. (2015)
Resumo: Contextualização: a hiperinsuflação associada à bronconstrição em pacientes asmáticos pode influenciar a função do diafragma crural, por alterar geometricamente a posição fisiológica dos componentes da barreira antirrefluxo. Objetivo: investigar a barreira antirrefluxo em pacientes asmáticos com DRGE, utilizando de manometriaalta resolução e manobras inspiratórias padronizados. Métodos:oito controles (idade média, 31,05 anos; todos do sexo feminino) e 30 asmáticos com DRGE, sendo 14 voluntários com asma controlada (idade média, 46 anos, todos do sexo feminino) e 16 voluntários com asma não controlada (idade média de 46,31 anos, sendo dois do sexo masculino). Um sistema de alta resolução manometria/impedância avaliou a pressão da junção esofagogástrica (JEG) durante seis deglutições e duas manobras respiratórias: manobra de arritmia sinusal (ASR), em que se realizou a média de seis picos de pressão da JEG durante 5s de inspirações profundas e a manobra Threshold (TH), alcançando pressões de pico da JEG durante inspirações forçadas sob carga de 12, 24 e 48 cmH2O. Resultados: pacientes com asma controlada (ACQ7≤0,75) tinham menor pressão do esfíncter esofagiano inferior do que os controles e asmáticos não controlados durante a respiração normal (15,72 ±4,68 MmHg x 32,47 mmHg ± 10,20 mmHg x 29,96±11,32mmHg, p = 0,029, respectivamente). A pressão durante a manobra de arritmia sinusal não foi diferente entre os asmáticos controlados (ACQ7 < 1,5), controles e asmáticos não controlados (145,80 ± 70,57 mmHg x 143,22 ± 44,6 mmHg x 158,23±76,5 mmHg, p = 0,836). Também não houve diferença estatisticamente significante entre os picos de pressões da JEG entre asmáticos controlados, controles e asmáticos não controlados durante as manobras inspiratórias com carga resistida de Threshold, comparando-se asmáticos controlados, controles e não controlados, no segundo da manobra (TH 24 cmH2O: 144,90±57,53mmHg x 152,33 ± 35,09mmHg x 185,61±65,77 p = 0,059). Conclusão: pacientes asmáticos controlados tem hipotonia do esfíncter esofagiano inferior, sem diferenças estatisticamente significativa entre as pressões inspiratórias da JEG.
Abstract: Context: hyperinflation associated with bronchoconstriction in asthma patients can influence the crural diaphragm functioning by changing the physiological geometric position of the antireflux barrier components. Objective: to investigate the antireflux barrier in asthma patients with GERD through high-resolution manometry and standardized inspiratory maneuvers. Methods: Eight control (mean age of 31.05 years, all female) and 30 asthma patients with GERD, comprising 14 volunteers with controlled asthma (mean age of 46 years, all female) and 16 volunteers with uncontrolled asthma (mean age of 46.31 years, two male). A highresolution manometry/impedance system assessed the pressure of the gastroesophageal junction (GEJ) during 06 swallowing and two respiratory maneuvers: sinus arrhythmia maneuver (SAM), in which six average GEJ pressure peaks took place during 5-second deep breaths, and Threshold maneuver (TH), which achieved GEJ pressure peaks during forced inspirations under 12, 24 and 48 cm H2O. Results: patients with controlled asthma (ACQ-7 ≤0.75) showed lower esophageal sphincter pressure lower than control and uncontrolled asthma patients during normal breathing (15.72±4.68mmHg x 32.47±10.20mmHg x 29.96±11,32mmHg, p=0.029, respectively). Pressure during sinus arrhythmia maneuver did not present differences among controlled asthma (ACQ-7 <1.5), control, and uncontrolled asthma patients (145.80±70.57mmHg x 143.22±44.6mmHg x 158.23±76.5mmHg, p=0.836). Furthermore, there was no statistically significant difference in the GEJ pressure peaks among controlled asthma, control, and uncontrolled asthma patients during the inspiratory maneuvers with Threshold resistive loads comparing controlled asthma, control, and uncontrolled asthma patients in the 2nd second of the maneuver (TH 24 cm H2O: 144.90±57,53mmHg x 152.33±35.09mmHg x 185.61±65.77mmHg, p=0.059). Conclusion: controlled asthma patients have a hypotonic lower esophageal sphincter, without statistically significant differences between GEJ inspiratory pressures.
Descrição: RIBEIRO, J. B. S. Comparação da barreira antirrefluxo em repouso e durante as manobras inspiratórias padronizadas entre pacientes asmáticos. 2015. 86 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2015.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/20309
Aparece nas coleções:DMC - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2015_dis_jbsribeiro.pdf2,2 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.