Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/20816
Título: A sociedade civil- burguesa em Karl Max
Autor(es): Maciel, Amélia Coelho Rodrigues
Orientador(es): Chagas, Eduardo Ferreira
Palavras-chave: Marx, Heinrich Karl, 1818-1883. O Capital (1867) - Crítica e interpretação
Hegel, Georg Wilhelm Friedrich, 1770-1831. Princípios da Filosofia do Direito (1820) - Crítica e interpretação
Classe Média
Capitalism
Karl Marx
Data do documento: 2016
Citação: Maciel, A. C. R.; Chagas, E. F. (2016)
Resumo: A pesquisa desenvolvida nesta dissertação tem por objetivo fundamental analisar a sociedade civil-burguesa no pensamento de Karl Marx. Desta forma, perpassaremos por diversas obras de Marx pertinentes a esta temática, desde o juvenil ensaio de 1843, conhecida por Crítica da Filosofia do Direito de Hegel, até sua madura obra O Capital, de 1867. Delineia-se, então, que a metodologia privilegiada é a pesquisa bibliográfica, eminentemente teórica. Reconhecendo que Marx passou por um profundo processo de influência e revisão filosófica, especialmente das filosofias de Hegel e Feuerbach, a primeira problemática a enfrentar versará sobre os pressupostos teóricos do desenvolvimento marxiano do conceito de sociedade civil-burguesa. Sendo assim, preliminarmente, perpassaremos pela filosofia de Hegel, por meio da obra Princípios da Filosofia do Direito, de 1820. Em seguida, abordaremos a filosofia materialista de Feuerbach, detidamente nas obras Princípios da Filosofia do Futuro (1843) e Para a Crítica da Filosofia de Hegel (1839). Em seguida, passaremos pelas obras filosóficas de Marx conhecidas como de juventude. Essas obras serão a Crítica da Filosofia do Direito de Hegel, Introdução à Crítica da Filosofia do Direito de Hegel (1844) e Sobre a Questão Judaica (1843). Será importante abordar a problemática sobre as influências das filosofias de Hegel e Feuerbach, pois no próximo momento, ou seja, no segundo capítulo, será abordada a crítica de Marx à especulação neohegeliana, vinculando-a ao posicionamento marxiano acerca da sociedade civil-burguesa, utilizando a obra de Marx A Sagrada Família ou A Crítica da Crítica Crítica: Contra Bruno Bauer e Consortes, de 1845. Dando prosseguimento, a pesquisa dissertativa enfrentará a problemática histórica e econômica de Marx relacionada à sociedade civil-burguesa por meio dos Manuscritos Econômico-Filosóficos, escritos em 1844. Nesta mesma perspectiva, a próxima obra a ser explorada será A Ideologia Alemã. Nesta obra, escrita entre 1845 e 1846, em conjunto com Engels, encontraremos a conceituação acabada da sociedade civil-burguesa em Marx, considerada na concretude da esfera de produção. Por fim, encerraremos este estudo problematizando a sociedade civil-burguesa em seu funcionamento. Conforme esclarece Marx no prefácio da Contribuição à Crítica da Economia Política (1859), a anatomia da sociedade civil-burguesa é encontrada na economia política. Então, encerrando a pesquisa, estudaremos O Capital, obra onde é possível levantar a hipótese de que a análise crítica de Marx sobre a economia política reafirma sua concepção filosófica de que a sociedade civil-burguesa como a matriz ontológica do todo social.
Descrição: MACIEL, Amélia Coelho Rodrigues. A sociedade civil- burguesa em Karl Max. 2016. 131f. – Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Filosofia, Fortaleza (CE), 2016.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/20816
Aparece nas coleções:PPGFILO - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_dis_acrmaciel.pdf644,31 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.