Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2088
Título: Avaliação da intenção de realizar mamografia como subsídio para ações na promoção da saúde
Título em inglês: Intention assessment to perform mammography as support to actions to the health promotion
Autor(es): Sousa, Francisco Stélio de
Orientador(es): Fernandes , Ana Fátima Carvalho
Palavras-chave: Neoplasias da Mama
Programas de Rastreamento
Enfermagem em Saúde Pública
Data do documento: 2010
Citação: SOUSA, F. S. (2010)
Resumo: Reconhecendo a magnitude do problema de saúde pública que o câncer de mama se tornou ao longo dos anos e considerando a mamografia como procedimento específico para detecção precoce, elegeu-se a realização da mamografia como comportamento desejado para esta investigação. O objetivo geral foi avaliar a intenção comportamental de realizar mamografia e seus determinantes, entre mulheres de uma comunidade rural, submetidas ou não a uma mensagem persuasiva. Trata-se de estudo experimental, do tipo apenas-posterior, tendo a Theory of Planned Behavior como referencial teórico-metodológico. O estudo foi realizado em município da Paraíba, com amostra composta por 148 mulheres divididas nos grupos Experimental 70(47,3%) e Controle 78(52,7%). As participantes eram, em sua maioria, casadas, com ensino fundamental incompleto, do lar, católicas, com rendimentos mensais até 2 salários mínimos e idades entre 35 e 78 anos. A Coleta de dados foi realizada em duas etapas, sendo o levantamento das crenças (n= 33) em outubro/2009 e a avaliação da intenção e seus determinantes em novembro/2009. As crenças compuseram as questões, formuladas em escalas de diferencial semântico de adjetivos bipolares tipo Likert. Os dados foram analisados comparativamente entre os grupos, sendo aplicados os testes de Fisher-Freeman-Halton, Mann-Whitney e o coeficiente de correlação de Sperman. Utilizou-se o procedimento Forward para regressão logística, com testes de Wald, Hosmer-Lemeshow e Omnibus, além do R2 de Nagelkerke para poder de predição. As análises utilizaram os softwares PASW 18.0 e R versão 2.8.1, com nível de significância de 5%. As crenças comportamentais modais salientes positivas foram prevenção do câncer de mama, diagnóstico precoce e se cuidar, e as negativas foram dor e medo. As crenças normativas mais frequentes foram o médico, a televisão, vizinha e amiga. Quanto aos fatores facilitadores, foram mais citados: encaminhamentos, dinheiro, disponibilidade do exame pelo SUS e facilidade na marcação. Entre os fatores impeditivos estiveram a demora para marcar/realizar o exame e a falta de dinheiro. Atitude foi considerada positiva em ambos os grupos, contudo o grupo controle apresentou melhor desempenho. Os escores maiores da norma subjetiva foram apresentados pelo grupo experimental, com predominância do item que avaliava se a maioria das pessoas achava que a participante deveria realizar a mamografia nos próximos três meses (p= 0,000). Os referentes com significância estatística foram: médico, mãe, irmã, enfermeira e agentes comunitários. No tocante à percepção de controle comportamental, o grupo experimental(79,34) teve melhor desempenho em relação ao grupo controle(70,15). A medida da intenção comportamental obteve tendência positiva em ambos os grupos, sendo a média do grupo experimental (81,92) relativamente superior ao grupo controle (67,84). As variáveis preditoras que melhor explicaram a intenção foram a atitude e a norma subjetiva, com coeficiente de determinação de aproximadamente 50% (R2=0,503). O conhecimento das intenções comportamentais favorece o desenvolvimento de estratégias de trabalho para a enfermagem e demais profissionais de saúde, a exemplo de ações de educação em saúde, que desperte a mulher para a importância do rastreamento, bem como possibilite busca ativa de mulheres em idades apropriadas para a realização dos exames de detecção precoce.
Abstract: Recognizing the magnitude of the public health problem that breast cancer has become over the years and considering mammography as specific procedure for early detection, mammography screening was elected as desired behavior for this investigation. The aim was to assess the behavioral intention and its determinants to perform mammography screening among women in a rural community, with or without a persuasive message. This is an experimental study, only-posterior type, and the Theory of Planned Behavior was a theoretical and methodological framework. The study was conducted in a city of Paraiba, with a sample of 148 women divided into experimental groups 70 (47.3%) and Control 78 (52.7%). The participants were, mostly, married women with incomplete primary education, work at home, catholic, with monthly incomes up to 2 minimum wages, aged 35 to 78 years. The data collect was performed in two steps: a survey of beliefs (n = 33) in October/2009 and assessment of intention and its determinants in November/2009. Beliefs composed the questions formulated in semantic differential scales of bipolar adjectives Likert type. The data were analyzed comparing the two groups, being tested by Fisher-Freeman-Halton, Mann-Whitney test and correlation coefficient of Spearman. It was used the procedure for Forward logistic regression, Wald test, Hosmer-Lemeshow and Omnibus, in addition to R2 Nagelkerke for predictive power. The analysis used the software PASW 18.0 and R version 2.8.1, with a significance level of 5%. The modal salient behavioral beliefs positive were breast cancer prevention, early diagnosis and itself care, and the negatives were pain and fear. Most frequent normative beliefs were physician, television, neighbor and friend. As facilitating factors, were most often cited: referent, money, availability of the examination in SUS and ease of marking. Among the impediments were taking so long to check / perform the examination and lack of money. Attitude was positive in both groups, however the control group showed better performance. The higher scores of subjective norm were presented by the experimental group, with predominance of the item that assessed whether most people thought that the participant should perform the mammogram in the next three months (p = 0.000). The referent with significant statistically were: physician, mother, sister, nurse and community agents. Regarding the behavioral control perception, the experimental group (79.34) had better performance comparing to the control group (70.15). The measure of behavioral intention received positive trend in both groups, with the mean of the experimental group (81.92) bigger than the control group (67.84). The predictor variables that best explained the intention were the attitude and subjective norm, with coefficient of determination of approximately 50% (R2 = 0.503). Knowledge of behavioral intentions should improve the strategies development of nursing work and other health professionals, like shares of health education to awaken women to the importance of mammography screening and make possible active search for women of appropriate ages to perform exams for early detection.
Descrição: SOUSA, Francisco Stélio de. Avaliação da intenção de realizar mamografia como subsídio para ações na promoção da saúde. 2010. 103 f. Tese (Doutorado em Enfermagem) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Fortaleza, 2010.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2088
Aparece nas coleções:DENF - Teses defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2010_tese_fssousa.pdf870,13 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.