Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/21283
Título: Da fisiologia à biopolítica: discursos sobre a deficiência física na legislação brasileira
Título(s) alternativo(s): De la fisiología a la biopolítica: discursos sobre la discapacidad física en la legislación brasileña
Título em inglês: From physiology to the biopolitics: discourses on the physical disability on Brazilian legislation
Autor(es): Silva, Antonio Lucieudo Lourenço
Miranda, Luciana Lobo
Germano, Idilva Maria Pires
Palavras-chave: Pessoas com deficiência
Lesão medular
Leis
Classificação Internacional de Funcionalidade
Incapacidade e saúde
Personas con discapacidad
Lesión en la medula espinal
Leyes
Clasificación Internacional del Funcionamiento
Discapacidad y salud
Disabled persons
Spinal cord injury
Laws
International Classification of Functioning
Disability and health
Data do documento: 2011
Editor: Revista Polis e Psique
Citação: Silva, A. L. L.; Miranda, L. L.; Germano, I. M. P. (2011)
Resumo: Quando se fala em deficiência física é comum se remeter à normalidade e à eficiência para desempenhar uma função. O objetivo deste artigo é investigar a deficiência física como prática discursiva e os possíveis sujeitos, sobretudo os que tiveram lesão medular, que emergem a partir dela. Analisamos excertos da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde – CIF, do programa de Benefício de Prestação Continuada – BPC e do artigo 93 da Lei nº 8.213/91- Lei de Cotas. Nossa análise fundamenta-se em Michel Foucault, sobretudo nos conceitos de práticas discursivas, biopoder, biopolítica e governamentalidade. Observamos tanto a afirmação legal de um sujeito de direitos, como também de um sujeito que só é reconhecido conforme comprovação de sua deficiência. Em ambas há a prevalência dos critérios biomédicos. Embora estas legislações proponham rediscutir as deficiências, as práticas normativas e reguladoras analisadas legitimam saberes hegemônicos, determinam poderes e produzem subjetividade, tornando-se, muitas vezes, uma inclusão excludente.
Abstract: When it comes to disability, it is common to evoke the question of normality and efficiency to perform a function. The aim of this paper is to reflect on physical disability as a discursive practice and the possible subjects that emerge from it, especially those who had spinal cord injury. We analyzed excerpts of the International Classification of Functioning, Disability and Health (ICF), the Benefício de Prestação Continuada –BCP (a program that guarantees a monthly minimum wage for the disabled and the elderly unable to provide for themselves or be provided by their families) and the article 93 of Brazilian Law 8213/91 ( which reserves vacancies in the labor market for the disabled). Our analysis is based on Michel Foucault, especially on the concepts of discourse as practices, biopower, biopolitics and governmentality. We find both an affirmation of a legal subject of rights but also a subject who will only be recognized according to the evidence of who is disabled. In both conditions, there is a prevalence of biomedical criteria. Although these laws intend to redefine the disabilities, the normative and regulator y practices analyzed legitimate hegemonic knowledge, determine powers and shape subjectivities, often producing an exclusionary inclusion.
Resumo em espanhol: Cuando se trata de la discapacidad es común referirse a la cuestión de la normalidad y eficiencia para realizar una función. El objetivo de este trabajo es reflexionar sobre la discapacidad física como una práctica discursiva y las subjetividades posibles, como aquellos que tienen lesiones de medula espinal, se desprenden de ella. Hacemos uso de los análisis de algunos fragmentos y declaraciones de la Clasificación Internacional del Funcionamiento, la Discapacidad y la Salud – CIF, le programa de beneficios continuo - BPC y el artículo 93 de la Ley N º 8.213/91, conocida como la Ley de Cuotas. Nuestro análisis se basa en Michel Foucault, destacando las prácticas y discursos, y los conceptos de biopoder, la biopolítica y gubernamentalidad. Vemos una afirmación del sujeto jurídico de derechos, sino también a un sujeto que sólo se reconocerá de acuerdo con la evidencia de que es discapacitado. En ambas condiciones, la prevalencia de los criterios biomédicos se impone. Llegamos a la conclusión que a pesar de las legislaciones proponer revisar las discapacidades, las prácticas normativas y reglamentarias analizadas legitiman conocimientos hegemónicos, determinan poderes, y producen subjetividades, y a menudo muestran una inclusión exclusiva.
Descrição: SILVA, Antonio Lucieudo Lourenço; MIRANDA, Luciana Lobo; GERMANO, Idilva Maria Pires. Da fisiologia à biopolítica: discursos sobre a deficiência física na legislação brasileira. Revista Polis e Psique, Porto Alegre, v. 1, n. 1, p. 149-168, 2011.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/21283
ISSN: 2238-152X (online)
Aparece nas coleções:DPSI - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2011_art_impgermano.pdf267,06 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.