Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/21344
Título: Rastros das socialidades: conversações com João Gilberto Noll e Luiz Ruffato
Título em inglês: The traces of socialities: conversations with João Gilberto Noll e Luiz Ruffato
Autor(es): Silva, Cristina Maria da
Orientador(es): Kofes, Suely
Palavras-chave: Socialidades
Narrativas
Escrituras
Literatura contemporânea
Data do documento: 2009
Editor: UNICAMP
Citação: Silva, C. M.; Kofes, S. (2009)
Resumo: Diante das incertezas que perpassam as ciências sociais na contemporaneidade não há como não questionar as trilhas conceituais e metodológicas de nossa contemplação do mundo diante de um solo humano incerto e sem garantias, seja no mundo que ousamos ver como em nossas próprias lentes. Desse modo, o objetivo desta tese é compreender e interpretar os traços das socialidades em escrituras literárias, ou seja, acompanhar trajetórias de alteridades presentes nas relações que marcam a sociedade, a partir de textos literários. A hipótese apresentada é que os rastros da socialidades estão presentes nessas narrativas literárias contemporâneas. Diante de uma confluência de gêneros e formas literárias estão buscas por exprimir uma experiência social. Na faina incessante da literatura, está um dos caminhos para uma arqueologia dessa era de incertezas, como ao mesmo tempo é um suporte, ainda que efêmero diante de um mundo que ainda não aprendemos a olhar. A partir de uma visão arqueológica do saber, este trabalho põe em diálogo os saberes das ciências sociais e o da literatura visando compreender os movimentos da vida social ou as narrativas que exprimem os contornos dessas socialidades. Aproprio-me das abordagens sobre a arqueologia dos saberes, tão pertinentes a Michel Foucault, etnografia ficcional, as concepções de Michel Maffesoli sobre a socialidade contemporânea, e reflexões sobre narrativas e escrituras literárias para traçar as leituras sobre aspectos que marcam a vida social atual nos textos dos escritores brasileiros João Gilberto Noll (Porto Alegre-RS) e de Luiz Ruffato (Cataguases-MG). Sendo assim, numa possível “etnografia ficcional” busco evidenciar que esses textos literários trazem os embates da experiência social contemporânea, neles as muitas vozes de alteridades em contraponto se tornam presentes num entrecruzamento de temporalidades, nomadismos, nas marcas de uma “geografia rarefeita das cidades”, numa fúria do corpo, nos esquecimentos da memória social nas arenas de alteridades que se configuram na sociedade atual. Desse modo, nas narrativas literárias da socialidade contemporânea estão “desmontes” distintos da escritura literária e neles olhares nômades, migrantes, deslocados, “desestabilizadores da forma e do olhar”, escritas que talvez, acompanhem, perpassem os embates do vivido.
Abstract: Facing the uncertainties that contemporarily permeate the Social Sciences, our gaze upon the world steps on uncertain and unwarranted human soil. Daring to see through our own lenses, it is inevitable to question the conceptual and methodological tracks that guide us through this path. Therefore, the aim of this thesis is to understand and interpret traces of socialities in literary writings. That is, starting from literary texts, to follow the trajectories of alterities present in social relations that mark society. The hypothesis presented here is that the traces of socialities are present in these contemporary literary narratives, and that under a confluence of literary genres and forms, there are quests to express particular social experiences. In the restless work of literature, lies one of the paths to an archeology of this era of uncertainty – a support, even tough ephemeral, in face of a world that we have not yet learned how to look upon. Through an archeological view of knowledge, this work puts in dialogue the knowledges of social sciences and literature, aiming to understand the movements of social life or the narratives that express the outlines of these socialities. I base myself in the approaches of the archeology of knowledge, so dear to Michel Foucault, fictional ethnography, the Michel Maffesoli’s conceptions about contemporary sociality, and the reflections on narratives and literary writings, in order to outline the readings about aspects that marks the today’s social life in the texts of the brazilian writers João Gilberto Noll (Porto Alegre-RS) and Luiz Ruffato (Cataguases-MG). Therefore, in a possible “fictional ethnography”, I try to show that these literary texts raise the struggles of contemporary social experience. Through them, the multiple voices of counterpoint alterities become present in a crossing of temporalities, nomadisms, in the marks of a “thin geography of the cities”, in a rage of the body, in the oblivion of the social memory in the arenas of alterities that emerge in present society. Therefore, in the literary narratives of the contemporary sociality are distinct “dismounts” of the literary writing, filled with nomad, migrant, dislodged viewpoints. “Underminers of form and gaze”, these writings may follow and permeate the struggles of the lived.
Descrição: SILVA, Cristina Maria da. Rastros das socialidades: conversações com João Gilberto Noll e Luiz Ruffato. 2009. 308f - Tese (Doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Campinas (SP), 2009.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/21344
Aparece nas coleções:DCSO - Teses defendidas em outras instituições

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2009_tese_cmsilva.pdf2,64 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.