Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2146
Título: Validação de escala optométrica de figuras
Título em inglês: Validation of the chart optometric scale
Autor(es): Dantas, Rosane Arruda
Orientador(es): Pagliuca , Lorita Marlena Freitag
Palavras-chave: Técnicas de Diagnóstico Oftalmológico
Testes Visuais
Pesquisa em Enfermagem
Data do documento: 2006
Citação: DANTAS, R. A. (2006)
Resumo: A escala optométrica é utilizada em exame clínico oftalmológico e triagens para determinar a acuidade visual. Em estudo anterior realizado por Dantas (2003), desenvolveu-se um método para seleção dos optótipos para escala de figuras regionalizada, como uma proposta inicial. Entretanto, para esta escala ser validada, é necessário aprofundar os estudos na relação da estruturação e organização desses optótipos com a acuidade visual e de testes práticos. Têm-se como objetivos: validar a escala RAD quanto a sua capacidade de identificação de criança portadora de alteração ocular; avaliar a correlação entre os coeficientes da acuidade visual; verificar a associação entre os testes; verificar a concordância das medidas dos três examinadores para os olhos direito e esquerdo, separadamente. Estudo de validação de tecnologia, experimental, aleatórioo, triplo cego, quantitativo, desenvolvido durante o primeiro semestre de 2006 tendo como amostra 246 alunos selecionados de forma aleatória simples. O referencial teórico metodológico adotado para a pesquisa foi adaptado do modelo de teste de construto contemplando os procedimentos teórico, experimental e analítico. Para validação da escala RAD, utilizaram-se coeficientes estatísticos de validade e precisão. A sensibilidade para os momentos RAD 1 e RAD 2 foi, respectivamente, 88,6 e 85,7 para o olho direito e 78,6 e 92,9 para o esquerdo. Quanto à especificidade, os valores encontrados para as escalas RAD 1 e RAD 2 foram, respectivamente, 95,3 e 98,1 para o olho direito e 97,7 e 98,6 para o esquerdo. Para os olhos direito e esquerdo, respectivamente, o valor preditivo positivo (VP+) no momento RAD 1 foi de 75,6 e 81,5 e no momento RAD 2 foi de 88,2 e 89,7; já o valor preditivo negativo (VP-) no momento RAD 1 foi de 98,0 e 97,3 e no momento RAD 2 foi de 97,6 e 99,1. Houve correlação entre coeficientes da acuidade visual entre “Snellen e RAD 1”, “Snellen e RAD 2”, para os dois olhos (p = 0,0001). Na associação (X2) encontrou-se um coeficiente de 151,90 (p = 0,0001) para RAD 1 e de 177,07 (p = 0,0001) para RAD 2; para o olho direito e para o esquerdo em RAD 1 foi de 147,75 (p = 0,0001) e de 199,69 (p = 0,0001) em RAD 2, no olho esquerdo. Para a análise da concordância em todos os casos encontrou-se um Alfa de Cronbach maior que 0,929. Os dados demonstram significância entre o critério padrão utilizado e a escala de figuras em análise. Conforme a literatura, o modelo de validação em tecnologia estabelece normas a serem cumpridas. A confecção de uma tabela de figuras regionalizada exige o cumprimento dos seguintes quesitos: uso da teoria de formação da imagem para construção de escalas optométricas: uso do sistema visual para caracterizar o aprendizado visual (passo 1); padronização da escala optométrica como propriedade do sistema (passo 2); uso da dimensionalidade com base nos aspectos óptico-fisiológicos (passo 3); e caracterização das definições principais a serem seguidas na validação de figuras e construção de optótipos (passo 4); demonstração da operacionalização na elaboração de escalas optométricas (passo 5); análise dos optótipos da escala de figuras (passo 6); planejamento da aplicação na metodologia (passo 7); aplicação e coleta para aferição das alterações oculares (passo 8); uso de técnicas de validação (passo 9); uso de técnicas de precisão (passo 10) e considerações finais (passo 11). As regras estabelecidas servem como ponto de partida para o desenvolvimento da tabela em cada região, pois cada uma deverá possuir suas características próprias que devem ser respeitadas.
Abstract: The optopmetric scale is used on oftamologic clinic exam and selecting to determine the visual accuracy. On earlier study, by Dantas (2003), a method was developed for the selections of optoptics for the scale of regionalized images, as a initial proposal. Therefore, in order for this scale to be valid, it is needed to deepen the studies on the relation of the structuring and organizing of these optoptics, with visual accuracy and practical testing. The objectives are: To valid the RAD scale as its capacity to identify children with ocular alterations; Evaluate the co-relation among the coefficients of visual accuracy; Verify the associations among the tests; Verify the agreement of the measurement of the three examiners for the right and left eyes, separately. Study of validation of technology, experimental, random, triple blind, quantitative, developed over the first semester of 2006, having as sample, 246 students, selected on a random simple way. The methodological referential used by the research was adapted from the model of construto test with the theoric, experimental and analytic procedures. For the validation of the RAD scale, statistic coefficients of validating and precision are used. The sensibility for the moments RAD 1 and RAD 2 was respectively 88,6 and 85,7 for the right eye, and 78,6 and 92,9 for the left eye. As to the specificity the values found for the RAD 1 and RAD 2 scales were 95,3 and 98,1 for the right eye, and 97,7 and 98,6 for the left eye. Respectively, the positive predictive value (VP+) on the RAD 1 moment was 75,6 and 81,5 and on the RAD 2 moment, was 88,2 and 89,7; The negative predictive value (VP-) on the RAD 1 moment was 98,0 and 97,3 and on the RAD 2 moment it was 97,6 and 99,1. There was a correlation among the visual accuracy coefficients between “Snellen and RAD 1”, “Snellen and RAD 2”, for the two eyes (p = 0,0001). On the (X2) association were found a coefficient of 151,90 (p = 0,0001) for RAD 1 and 177,07 (p = 0, 0001) fro RAD 2; For the left and right eyes on RAD 1, it was 147,75 (p = 0,0001) and 199.69 (p = 0,0001) on RAD 2 on the right eye. For the concordance analysis in all cases, an Alpha de Cronbach higher than 0,929 was found. The data show significant between the standard criteria used and the scale of images in analysis. According to literature, the validation model in technology establishes rules to be fulfilled. The making of a regionalized chart of figures must fulfill the following rules: Use of the theory of image formation to construct optometric scales. Use of the visual system to characterize the visual learning (step 1); Patterning of the optometric scale as system proprieties. (step 2); Use of dimensionality based on the optic–physiologic aspects. (step 3); And characterization of the main definitions to be followed on the validation of the images and building of optoptics. (step 4); Demonstration of the operationalization on elaborating optometric scales. (step 5); Analysis of the optoptics of the image scale. (step 6); Planning of the application on the methodology. (step 7); Application and gathering for the measurements of the ocular alterations (step 8); Use of validation techniques (step 9); Use of precision techniques (step 10) and final considerations (step 11). The established rules serve as a starting point to de development of the chart in each region, for each one should have its own characteristic that must be respected.
Descrição: DANTAS, Rosane Arruda. Validação de escala optométrica de figuras. 2006. 116 f. Tese (Doutorado em Enfermagem) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Fortaleza, 2006.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2146
Aparece nas coleções:DENF - Teses defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2006_tese_radantas.pdf626,81 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.