Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2156
Título: Avaliação da intenção de uso do preservativo entre adolescentes participantes e não participantes de projetos educativos nas escolas
Título em inglês: Evaluation of the intent in using condoms among adolescents participating or non-participating in educational projects at school
Autor(es): Oliveira, Simone Helena dos Santos
Orientador(es): Vieira , Neiva Francenely Cunha
Palavras-chave: Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
Prevenção de Doenças
Adolescentes
Data do documento: 2009
Citação: OLIVEIRA, S. H. S. (2009)
Resumo: Ante a complexidade da problemática da AIDS entre adolescentes e percebendo o uso do preservativo como um comportamento de essencial importância para a sua prevenção, foi realizada a presente investigação, que teve como objetivo geral avaliar a intenção comportamental de uso do preservativo durante as relações sexuais e os seus determinantes entre adolescentes participantes e não participantes de ações educativas em saúde no ambiente escolar, que envolvam aspectos preventivos à AIDS. Trata-se de uma pesquisa quantitativa, que utilizou como embasamento teórico-metodológico a Theory of Reasoned Action – TRA. Foi realizada em duas escolas públicas, localizadas em João Pessoa-PB, junto a adolescentes de treze a dezenove anos, de ambos os sexos, da 8ª série do nível fundamental ao 3º ano do nível médio. O seu desenvolvimento ocorreu em duas etapas. Na primeira, foi aplicado um questionário para o levantamento das crenças modais salientes (N=95). Na segunda, aplicou-se um questionário construído a partir das crenças identificadas, constituído por escalas tipo Likert (N=566). Os dados foram analisados a partir da frequência, média, desvio padrão, coeficiente Alfa de Cronbach, Teste t-Student, coeficientes de correlações r de Pearson e regressão múltipla por etapas. Na primeira etapa, prevenção das DSTs, da gravidez e da AIDS foram as crenças comportamentais identificadas em ambas as escolas, não havendo diferença significativa entre estas. Incômodo, diminuição do prazer e risco de romper foram as desvantagens apontadas para o uso do preservativo, não se mostrando significativas as diferenças das emissões entre as escolas. Mãe, pai e amigos foram as principais crenças normativas positivas citadas pelos adolescentes de ambas as escolas, não havendo diferença significativa entre as freqüências das emissões dos grupos pesquisados. As crenças normativas modais negativas foram menos frequentes em comparação às positivas, sendo amigos e primos citados pelos adolescentes das escolas A e B e irmãos e tios somente pelos adolescentes da B, não havendo diferenças significativas entre os grupos pesquisados. A intenção comportamental de uso do preservativo se mostrou positiva para os dois grupos (escola A=1,45, escola B=1,39). Evidenciaram-se significativas correlações entre os componentes atitudinais (r=0,168), normativos (r=0,166) e entre ambos com a medida da intenção comportamental nas duas escolas pesquisadas (NS r=0,290; A r=0,210; CN r=0,163; CC r=0,258). As quatro variáveis independentes contribuíram significativamente para a explicação da variância da intenção de uso do preservativo entre os adolescentes da escola A (R2=0,134), sendo que a norma subjetiva apresentou maior poder explicativo para o comportamento estudado (R2=0,069; p=0,000). Entre os adolescentes da escola B, verificou-se que crença comportamental, norma subjetiva e atitude explicaram a intenção de uso do preservativo (R2=0,242), sendo que a crença comportamental apresentou maior poder explicativo (R2=0,138; p=0,004). Os resultados revelaram maior intenção comportamental de uso do preservativo entre os adolescentes que participam de ações de educação em saúde, bem como as atitudes e normas que sustentam a intenção de adotar este comportamento e as crenças que originaram as atitudes e normas, podendo subsidiar o planejamento de estratégias que visem à saúde sexual dos adolescentes, evidenciando assim a adequação da TRA para tratar o tema proposto.
Abstract: Facing AIDS problem in adolescence and regarding the use of condom as of essential importance in its prevention, in a way that this behavior can be promissory when induced by actions in health education developed at school, it was made this present research, which goal was to evaluate the behavioral intention with the use of condom in sexual intercourse, and its determinants among adolescents participating an non-participating in educational health actions at school related to prevent AIDS. It is a quantitative research that used the Theory of Reasoned Action – TRA. The research was taken in two Public Schools, in João Pessoa, with adolescents from 13 to 19 years old, both sexes, from 7th grade in Fundamental level to 3rd grade of High School. It was taken in two steps. On 1st step, a form was filled to make a survey of behavior beliefs and pronounced modal standard. On 2nd step, a test based on the beliefs identified on step 1, made of Likert Type Schools, was applied to 566 students. Data was analyzed from different statistic tools: absolute frequency and percentage, mean, standard mean, Cronbach Alpha coefficient, Pearson correlation coefficient r, Multiple Regression by steps. The results from first step brought up the same categories of positive pronounced modal behavior standards in both schools (STD, pregnancy and AIDS prevention). Among all adolescents from both schools, troublesome, less pleasure and rupture risk were the pointed handicaps on using condoms. Positive standards beliefs were mothers, fathers and friends who were pointed by adolescents from both schools. Negative modal standard beliefs were less frequent comparing to positive, friends and cousins were named by adolescents from schools A and B, and brothers and uncles only from the ones of school B. The behavior intention of using condom was positive in both groups researched, but mean was a discretely higher among adolescents from School A. Expressive evidence correlated behavior and standard components as a measure of intentional behavior in both schools. Four independents variables contributed significantly to explain the variance of intention of using condoms in school A, but subjective standard presented more powerful explanation for the behavior studied. Among adolescents from school B, it was verified that behavior beliefs, subjective rule and stance explain the intention in using condoms, but behavior beliefs came to be stronger. The results showed stances and rules that sustain the intention in using condoms, as well as beliefs that build those stances and rules, which can give subsidies to planning strategies aiming sexual health care and put in evidence to validate TRA to work the proposed subject.
Descrição: OLIVEIRA, Simone Helena dos Santos. Avaliação da intenção de uso do preservativo entre adolescentes participantes e não participantes de projetos educativos nas escolas. 2009. 129 f. : Tese (Doutorado em Enfermagem) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Fortaleza, 2009.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2156
Aparece nas coleções:DENF - Teses defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2009_tese_shsoliveira.pdf1,17 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.