Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/21562
Título: Construindo devagarzinho: a linguagem dos diminutivos como forma de evitação de conflitos nas relações sociais nos bairros de periferia
Autor(es): Lima, Geísa Mattos de Araújo
Lucena, Francisca Marcela Andrade
Palavras-chave: Linguagem
Conflito
Moral
Data do documento: 2014
Editor: 29ª Reunião Brasileira de Antropologia
Citação: Lima, G. M. A.; Lucena, F. M. A. (2014)
Resumo: A partir de dois trabalhos etnográficos realizados em tempos diversos em dois bairros de periferia de Fortaleza, as autoras deste paper encontraram a frequência de usos de diminutivos na linguagem associada à evitação de conflitos e aos cuidados nas relações pessoais. Entendemos, como Wittgneistein (1984), que a linguagem é ação, portanto, buscamos compreender o que os diminutivos significam nos contextos da convivência em bairros marcados por diversos tipos de escassez e precariedade. No primeiro caso, o contexto era uma campanha eleitoral, em pesquisa realizada por Geísa Mattos no Conjunto Palmeiras, em 2004, na qual a autora encontra uma abundância no uso dos diminutivos nas referências de comerciantes que apoiavam candidatos: “se não tem paixão política,dê um votinho aqui...”. Estes mesmos comerciantes, considerados “bem sucedidos” frente às precariedades da vida no bairro, referiam-se aos seus bens sempre no diminutivo: “comerciozinho”, “casinha”, “mercantilzinho”. Já na pesquisa de Marcela Andrade, em 2013, a autora encontrou esta formulação linguística no contexto de um assentamento irregular, no caso a “comunidade Arco-Íris”, localizada no bairro Itaperi. Considerando que, “ocupar” o espaço é também produzi-lo por meio de significados efetivados pela linguagem, o que nos propomos aqui é mostrar como é construída, a partir da observação dos contextos de uso dos diminutivos pelos moradores, a sua própria dinâmica ao se fixarem nesse lugar e se conduzirem num espaço eminente de conflitos de todos os tipos, tomando como marca temporal a construção física da casa, referida como sendo construída “devagarzinho”, até fazer tudo “legalmentezinho”. Como, nas peculiaridades do discurso, podem-se revelar as práticas e táticas cotidianas?
Descrição: LIMA, Geísa Mattos de Araújo; LUCENA, Francisca Marcela Andrade. Construindo devagarzinho: a linguagem dos diminutivos como forma de evitação de conflitos nas relações sociais nos bairros de periferia. In: REUNIÃO BRASILEIRA DE ANTROPOLOGIA, 29., 2014, Natal. Anais... Natal: Associação brasileira de Antropologia, 2014, 16p.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/21562
ISSN: 1984-9354
Aparece nas coleções:DCSO - Trabalhos apresentados em eventos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2014_eve_gmalima.pdf325,51 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.