Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/21767
Título: Reelaboração de gêneros: uma questão para a sala de aula
Título(s) alternativo(s): Retravailler des genres: une question de la salle de classe
Autor(es): Feitosa, Raudete Cunha
Orientador(es): Zavam, Aurea Suely
Palavras-chave: Gêneros discursivos
Língua portuguesa – Estudo e ensino
Linguística aplicada
Séquence didactique
Pamphlet
Data do documento: 2016
Citação: Feitosa, R. C.; Zavam, A. S. (2016)
Resumo: A presente pesquisa propõe investigar as implicações da aplicação de uma sequência didática (SD) voltada para trabalhar a reelaboração de gêneros em aula de língua portuguesa com vista ao aprimoramento da competência comunicativa dos alunos do 9º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública estadual de Fortaleza. É objetivo desta pesquisa responder às seguintes questões: Que implicações têm um estudo dos gêneros reelaborados em sala de aula para o desenvolvimento da competência comunicativa do aluno? Que dificuldades com a leitura produção de gêneros reelaborados podem ser identificadas através da produção inicial dos alunos? De que forma pode-se desenvolver a competência linguística e textual dos alunos necessárias ao domínio dos gêneros reelaborados? A que conclusão se pode chegar sobre a abordagem dos gêneros reelaborados em sala de aula para o desenvolvimento da competência comunicativa do aluno? Para tanto, o estudo toma por base os dados gerados a partir das produções iniciais do gênero panfleto dos alunos, um corpus composto de 60 panfletos, e realiza uma análise contrastiva entre a produção inicial e a final dos alunos após a aplicação de uma sequência didática elaborada seguindo os postulados teóricos e metodológicos de Schneuwly, Noverraz e Dolz (2004). Para construção da sequência didática e análise dos dados, utilizou-se como embasamento teórico principal, no que diz respeito ao gênero e a sua reelaboração, as contribuições do filósofo russo Mikhail Bakhtin (2011) articulada à tipologia operacional da transmutação (reelaboração) proposta por Zavam (2009). Além disso, para assegurar análise qualitativa do gênero panfleto e a possibilidade de reelaboração, utilizou-se uma grade avaliativa elaborada a partir dos pressupostos teóricos de Bach (2012). Seguindo, então, estes pressupostos teóricos, analisou-se o desempenho dos alunos do 9º ano diante de atividades voltadas para a produção do gênero focalizado. Os resultados demonstraram que os alunos, ao produzirem os panfletos, reelaboram o gênero baseando-se nas suas práticas de recortar, copiar e colar que utilizam nas redes sociais. A análise dos dados permitiu identificar também os progressos observados nas produções após a aplicação da sequência didática, comprovando a eficiência do procedimento como proposta de intervenção para melhorar o desempenho do aluno na tarefa de produzir textos. Abordar os gêneros e, sobretudo, o fenômeno da reelaboração em sala de aula é primordial para o desenvolvimento da competência comunicativa dos alunos, tendo em vista que o ensino de língua portuguesa deve basear-se na interação, pois as práticas de linguagem são reflexos das práticas sociais.
Descrição: FEITOSA, Raudete Cunha. Reelaboração de gêneros: uma questão para a sala de aula. 2016. 145f. - Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Linguística, Fortaleza (CE), 2016.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/21767
Aparece nas coleções:PPGL - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_dis_rcfeitosa.pdf10,11 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.