Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/21786
Título: Homens, perdoai-lhe, porque ele não sabe o que fez: a ascensão do homem e a queda de Deus em José Saramago, uma alegoria da religiosidade moderna
Título em inglês: Men, forgive him, because he does not know what he did: the rise of man and the fall of God in Joseph Saramago, an allegory of modern religiosity
Autor(es): Silva, Francisca Carolina Lima da
Orientador(es): Siqueira, Ana Márcia Alves
Palavras-chave: Saramago, José, 1922-2010 - Evangelho Segundo Jesus: romance - Crítica e interpretação
Literatura portuguesa – Romance teológico – Critica e interpretação
Religião e literatura
Allegory
Desacralization
Data do documento: 2016
Citação: Silva, F. C. L. S.; Siqueira, A. M. A. (2016)
Resumo: Uma das temáticas predominantes na obra de José Saramago é a releitura e a intertextualidade com as escrituras sagradas que compõem os evangelhos do judaísmo-cristão. Essa prática se constrói a partir de uma desconstrução das narrativas bíblicas e de uma leitura subversiva de alguns dos preceitos que fundaram o ideário ocidental. Ateu convicto, nessas inversões antirreligiosas, Saramago, ao mesmo tempo em que questiona crenças inabaláveis, apresenta-nos a desmistificação da História oficial, a partir de uma visão humanizadora dos episódios bíblicos. Dentro desse diálogo, uma das principais subversões que o autor realiza é a inversão de papéis entre Deus e o homem: enquanto este, através da figura de Jesus Cristo, assume as funções sagradas de Deus, (principalmente a de ser a medida de todas as coisas), aquele corporifica qualidades tipicamente humanas, comprovando, para o autor, sua ineficiência enquanto entidade superior. Nosso estudo propõe supor que Saramago materializa a perspectiva do Cristianismo moderno em sua obra, através da adoção da ideia filosófica da morte cultural de Deus, por meio da humanização e do desvendamento do caráter cruel e sanguinário dessa personagem. A ideia de divindade renascerá em Jesus Cristo, enquanto homem, potencializando assim um pensamento de teor antropológico, em que o homem passa a ser a medida de todas as coisas, ocupando, inclusive, o lugar de Deus no âmbito da religião Cristã. Nosso trabalho pretende, portanto, compreender de que forma esse perfil da religiosidade moderna é incorporado nas narrativas em análise, através da inversão de papéis entre Deus e Jesus Cristo. Para tanto, faremos uso dos postulados da Literatura Comparada para proceder nossa análise, utilizando também os conceitos que definem a alegoria, a paródia e o dialogismo, além de outras teorias literárias de menos ocorrência em nossa análise. Sendo assim, procederemos um apanhado teórico que categoriza Saramago enquanto autor pós-moderno, tendo em vista a transgressão das verdades históricas, míticas e religiosas que realiza em suas obras. Destacando, nesse sentido, o uso da polifonia do discurso incorporado às obras do autor, permitindo, assim, que emanem, através da análise das ruínas alegóricas, os outros discursos silenciados pela história tradicional e religiosa, no âmbito das intertextualidades que o autor realiza. Nosso cotejamento se dá acerca da estrutura de composição dos textos bíblicos, e da possibilidade de tratamento de tais escritos sob uma perspectiva literária. Além disso, difundimos a utilização de dados oriundos dos textos sagrados e profanos que narram a passagem do Judeu da Galileia pela terra, numa atitude desvinculada de qualquer dogmatismo ou intenção tendenciosa, revelando assim, os discursos suplantados pela leitura teológica de tais textos. Considera-se, entretanto, que mesmo materializando essa perspectiva, os textos de Saramago continuam a povoar o universo literário, não funcionando, assim, como desconstrutores das verdades sagradas do Cristianismo.
Abstract: One of the predominant themes in José Saramago’s work is the re-reading and the intertextuality with the sacred scriptures which compose the gospels of Christian Judaísm. This technique is built from the deconstruction of biblical narratives and from a subversive reading of some of the precepts that founded western ideology. Firm atheist, in these non religious inversions, Saramago, at the same time that questions unwavering beliefs, presents us a desmystification of western official History, from a humanizing view of the biblical episodes. In this dialog, one of the main subversions the author brings is the inversion of roles between God and man: this one, through Jesus Christ figure, assumes the sacred functions of God (mainly the one of being the measure for everything), while that one embodies typical human qualities, proving, to the author, his insufficiency as a superior entity. Our study proposes to assume that Saramago materializes the perspective of modern Christianism in his work, by the adoption of the philosophical idea of cultural death of God, through humanization and unveiling of the cruel and bloodthirsty nature of this character. The idea of divinity will reborn in Jesus Christ, as a man, strengthening, thus, an anthropological thought which sees man as the measure for everything, occupying, because of this, the place of God in the context of Christian religion. Our work intends, therefore, to comprehend the way this face of modern religiosity is incorporated in the analyzed narratives, through the inversion of roles between God and Jesus Christ. For this purpose, we will use some premises of Comparative Literature, as well as some concepts that define allegory, parody and dialogism, besides other literary theories that occur less frequently in our analysis. According to this, we will also proceed to a historical description that categorizes Saramago as a post-modern author, bearing in mind the transgression of historical, mythical and religious truths that he brings in his works. Also, we point out the use of polyphony of the incorporated discourse to the author’s work, which will let emanate, through the analysis of allegorical ruins, other discourses silenced by traditional and religious History, in the contexts of the intertextualities that the author establishes. Our studies focus on the structures of composition of biblical texts, and on the possibility of treating these writings under a literary perspective. Furthermore, we disseminate the use of data from the sacred scriptures, as well as the profane, which tell about the Jesus’s walk in the Earth, in an attitude disconnected from any dogmatism or tendentious intention, revealing, so, the discourses overcame by their theological reading. We consider, however, that even materializing this perspective, Saramagos’s texts continue inhabiting literary universe, not working, then, as a “destroyer” of sacred truths of Christianism.
Descrição: SILVA, Francisca Carolina Lima da. Homens, perdoai-lhe, porque ele não sabe o que fez: a ascensão do homem e a queda de Deus em José Saramago, uma alegoria da religiosidade moderna. 2016. 162f. – Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-Graduação em Letras, Fortaleza (CE), 2016.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/21786
Aparece nas coleções:PPGLE- Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_dis_fclsilva.pdf1,22 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.