Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/21801
Título: Diáspora Africana em Fortaleza no século XXI: ressignificações identitárias de estudantes imigrantes
Título em inglês: African Diaspora in Ceará in the 21st Century:identity resignations of immigrant students
Autor(es): Langa, Ercilio Neves Brandão
Orientador(es): Carvalho, Alba Maria Pinho de
Palavras-chave: Estudantes Universitários - Acolhimento Institucional - Cooperação Internacional
Estudantes estrangeiros - África - Identidade social
África - Estudantes estrangeiros - Acolhimento Institucional
Racial Discrimination
Identity
Data do documento: 2016
Citação: Langa, E. N. B.; Carvalho, A. M. P. (2016)
Resumo: Esta produção acadêmica analisa a migração, presença e permanência de estudantes oriundos de distintos países africanos para o Brasil, especificamente, na cidade de Fortaleza-CE, nos processos que designo de “Diáspora Africana no Ceará no século XXI”. Esta Diáspora é fruto da migração estudantil internacional de alunos de África que, se deslocam ao Brasil para desenvolver formação universitária em instituições de ensino superior (IES) públicas e privadas. Interessa-me compreender os processos de ressignificações identitárias nas trajetórias e percursos desses estudantes nesta Diáspora, focando o seu cotidiano, a partir da tríplice dimensão: ser negro, africano e imigrante “temporário”. Este estudo traz, como aspecto inovador o fato de investigar, não apenas a realidade dos alunos africanos inseridos em universidades públicas, auferindo bolsas de estudos, no âmbito de convênios, como o Programa Estudantes Convênio – Graduação (PEC-G), Programa Estudante Convênio – Pós-Graduação (PEC-PG) e outros acordos, mas adentrar, também, na realidade vivenciada pelo amplo contingente de africanos matriculados em faculdades particulares, a dependerem da ajuda económica de parentes e familiares residentes em África e ao redor do mundo. Este grupo de estudantes, hoje majoritário, apresenta inserções precárias no contexto de Fortaleza, enfrentando dificuldades econômico-financeiras, para garantir o pagamento de mensalidades nas instituições universitárias privadas e manter a própria sobrevivência nesta metrópole. Assim, este segmento de estudantes africanos tem que se envolver em trabalhos informais e precarizados, considerados “irregulares” pelas autoridades brasileiras, sujeitos a violação de direitos trabalhistas, com longas jornadas e baixos salários. Neste estudo sociológico exploro distintas esferas da vida desses sujeitos nos percursos diaspóricos, quais sejam: cotidiano; inserção no contexto universitário; trabalho; interações com organismos e instituições públicas e privados no acesso a mercadorias e serviços; associativismo em agremiações estudantis; utilização das tecnologias de informação e comunicação (TIC’s) e das redes sociais virtuais na internet; processos de saúde e de adoecimento; conjuntura de violência urbana e, mesmo, violência que culminam com a morte de estudantes africanos; formas de lazer; processos de sociabilidade entre africanos e brasileiros; festas africanas e interações afetivossexuais. O estudo revela como os estudantes oriundos de África são alvo de preconceito e discriminação racial, por conta da cor da pele e da própria origem africana. Neste processo analítico, trabalho como fio condutor, a ideia de que, nas trajetórias e percursos diaspóricos, os estudantes africanos constituem múltiplos pertencimentos identitários, forjados em África e no cotidiano no Brasil que, ora tendem à afirmação, ora tendem à negação de africanidade e negritude. As identidades são ressignificadas, particularmente, no contato com a alteridade racial e cultural no contexto cearense, em meio a múltiplas formas de inclusão e de discriminação racial. As identidades ressignificadas expressam-se em comportamentos, atitudes, modos de vida, formas de ser e estar. Estes processos são mediados por dimensões objetivas como, roupas, vestimentas e trajes, calçados, cabelos trançados, bem como por dimensões simbólicas, como línguas faladas no cotidiano, com destaque para o crioulo, culinária e modos de alimentação, expressões religiosas, sexualidades e discursos. Nesta análise compreensiva, utilizo como aportes teóricos, os estudos Pós-Coloniais, a partir das ideias de William Du Bois, Paul Gilroy, Stuart Hall, dentre outros. No plano metodológico, utilizo, como recursos investigativos, a observação sistemática, entrevistas abertas, em profundidade, mescladas com conversas informais, tanto a nível presencial, como no espaço virtual, sempre registradas no “caderno de campo”.
Abstract: This academic production aims at evaluating the migration, presence and permanence of students in Brazil from different African countries, specifically in Fortaleza-CE, according to developments that I designate as the "African Diaspora in Ceará in the 21st Century." This Diaspora is the result of the international migration of African students who travel to Brazil to obtain a university education in public and private institutions (IES). I am engaged in understanding the processes of identity-related re-signification in the trajectories and paths of these students in this Diaspora, focusing on their daily life, from a triple dimension configuration: being black, being African and being a "temporary" immigrant. This study has as an innovative aspect the fact of investigating, not only the daily life of African students enrolled in public universities, receiving scholarships, within the scope of the agreements, such as the Programa Estudantes Convênio – Under-graduation (PEC-G), and the Programa Estudante Convênio –Graduation (PEC-PG) and other agreements, but also the experience of a large contingent of Africans enrolled in private colleges, depending on the financial assistance of relatives and relatives residing in Africa and other parts of the world. This group of students, the largest now, presents precarious insertions in the context of Fortaleza, facing economic and financial difficulties to guarantee the payment of tuition fees in private university institutions and to maintain their own survival in the metropolis. Thus, this segment of African students has to engage in informal and precarious jobs, considered "irregular" by Brazilian authorities, subject to violations of labor rights, with long hours and low wages. In this sociological study I explore different spheres of life of these subjects who are distinguished for their diaspora-related journeys, namely, daily life, insertion in the university context, job, Interactions with public and private bodies and institutions to access goods and services, integration with student associations, use of information and communication technologies (ICTs) and virtual social networks on the Internet, health and illness processes, the conjuncture of urban violence and even gender violence that culminate in the death of African students, leisure forms, sociability between Africans and Brazilians, African celebrations, besides sexual and affective interactions. The study reveals how students from Africa are subjected to prejudice and racial discrimination because of their color and African origin. In this analytic process, I use as a guiding thread, the idea that, in diaspora-related trajectories and journeys, African students stand for multiple identity shapes, forged in Africa and in everyday life in Brazil that on the one hand, tend to affirm, but on the other hand, tend to deny Africanism and blackness. Identities are re-signified, particularly, in the contact with racial and cultural alterity in the context of Ceará, in the midst of multiple forms of racial inclusion and discrimination. Re-signified identities are expressed in behaviors, attitudes, ways of life, and ways of being. These processes are mediated by objective dimensions such as clothing, costumes, shoes, braided hair, as well as by symbolic dimensions such as the languages spoken in everyday life, especially Creole, cooking and eating modes, religious expressions, sexuality and speech. In this evaluating analysis, I use as theoretical contributions, post colonial studies, from the ideas of William Du Bois, Paul Gilroy, Stuart Hall, among others. At the methodological level, I use investigative resources as systematic observation, open in-depth interviews mixed with informal conversations, both face-to-face and in virtual space, always recorded in the "field notebook".
Descrição: LANGA, Ercílio Neves Brandão. Diáspora africana no Ceará no século XXI: ressignificações identitárias de estudantes imigrantes. 2016. 563f. - Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Fortaleza (CE), 2016.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/21801
Aparece nas coleções:PPGS - Teses defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_tese_enblanga.pdf6,92 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.