Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/21890
Title in Portuguese: Educação em saúde bucal como estratégia para promoção da autoimagem e prevenção de IST/HIV em adolescentes escolares
Title: Oral health education as a strategy to promote self-image and prevention of STI/HIV in school adolescents
Author: Rêgo, Gemimma de Paiva
Advisor(s): Gubert, Fabiane do Amaral
Keywords: Educação em Saúde Bucal
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Saúde do Adolescente
Atenção Primária à Saúde
Issue Date: 30-Sep-2016
Citation: RÊGO, G. P. Educação em saúde bucal como estratégia para promoção da autoimagem e prevenção de IST/HIV em adolescentes escolares. 2016. 139 f. Dissertação (Mestrado em Saúde da Família) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016.
Abstract in Portuguese: A saúde bucal é um componente essencial para a função humana e para a qualidade de vida. Na adolescência, a abordagem sobre os cuidados com a saúde oral pode ser considerada estratégia precursora para prevenção de outras situações típicas desta fase, como a promoção da autoimagem bucal, prevenção das infecções sexualmente transmissíveis (IST) e a gravidez não planejada, contemplando a Educação em Saúde. Neste estudo, objetivou-se verificar a efetividade de uma intervenção educativa em saúde bucal como estratégia mediadora para promoção da autoimagem bucal e prevenção das IST/HIV em adolescentes de uma escola pública do município de Carnaubal-CE. Trata-se de uma pesquisa do tipo intervenção, com uma abordagem predominantemente quantitativa, realizada junto a 109 escolares na faixa etária de 12 a 18 anos. A coleta de dados foi realizada por meio da aplicação de dois questionários pré e pós-intervenção, com a utilização de variáveis sociodemográficas, sexuais e reprodutivas e relacionadas à saúde bucal. Os dados coletados foram submetidos à análise estatística. Os resultados encontrados indicam que 50,5% dos participantes eram do sexo feminino, 85% solteiros, 82,6% católicos, 79,8% residiam com os pais, 84,4% não exerciam atividade remunerada, 62,4% já haviam “ficado” e apenas 14,7 % já tiveram relação sexual, dos quais 11% usaram preservativo na última relação sexual. Quanto à saúde bucal, observou-se que: 96,3% a consideravam importante e 96,3% tinham o hábito de escovar os dentes diariamente. Sobre os acometimentos na cavidade bucal: 54,1% já observaram se tinham mau hálito, 32,1% sangramento gengival, 49,5% cárie dentária e 53,2% mal posicionamento dos dentes e em relação à autoimagem bucal, a maioria relatou estar insatisfeito por conta dos fatores estéticos. Após intervenção educativa, verificou-se melhoria nos conhecimentos dos adolescentes sobre as IST, principalmente entre aqueles que já tiveram relação sexual (p=0,018) e observou-se que a pontuação média do conhecimento das meninas e dos meninos, apesar de não apresentar associação estatística, aumentou no pós-intervenção, visto que a pontuação média se elevou de 8 pontos para 14. A intervenção realizada na escola com foco na saúde bucal e sexual e reprodutiva evidenciou que é possível, por meio de estratégias inovadoras e tecnologias leves, promover Educação em Saúde aos adolescentes, favorecendo o empoderamento para tomadas de atitudes saudáveis diminuindo as vulnerabilidades a que estão expostos.
Abstract: Oral health is an essential component to human function and quality of life. During the adolescence the approach about oral health care can be considered a precursor strategy to prevent other typical situations of this phase, as the promotion of oral self-image, prevention of sexually transmitted infections (STIs) and unplanned pregnancy, contemplating Education health. Thereby, this study aims to verify the effectiveness of an educational intervention on oral health as a mediating strategy for promotion of oral self-image and prevention of STI / HIV in adolescents from a public school in the city of Carnaubal-CE. This is a intervention type research, with a predominantly quantitative approach, conducted with 109 students aged 12-18 years. Data collection was performed by the application of two -pre and post-intervention- questionnaires with the use of socio-demographic, sexual and reproductive variables, and related to oral health. The collected data were statistically analyzed. The results indicate that 50.5% of participants were female, 85% were single, 82.6% Catholic, 79.8% lived with their parents, 84.4% were not employed, 62.4% had already have a casual dating and only 14.7% have had sexual intercourse, and among those who have initiated sexual practices 11% used a condom during the last intercourse. Regarding oral health, it was observed that: 96.3% considered it important and 96.3% were in the habit of brushing the teeth daily. About involvements in the oral cavity: 54.1% have observed that had bad breath, 32.1 % bleeding gums, 49.5% caries, and 53.2% bad position of the teeth and in relation to oral self-image, most reported to be dissatisfied because of aesthetic factors. After educational intervention there was improvement in knowledge of adolescents on STIs, particularly among those who have had sexual intercourse (p = 0.018) and it was observed that the average knowledge score of girls and boys, although not statistically associated, increased in the postintervention, since the average score rose from 8 points for 14. At the end, the intervention carried out in school with a focus on oral health and sexual health showed that it is possible, through innovative and soft technologies strategies, to promote Health Education to adolescents, favoring the empowerment for having healthy attitudes thus lowering vulnerabilities to which they are exposed.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/21890
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:MPSF - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2016_dis_gprego.pdf4,76 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.