Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/21937
Título: O indivíduo, a educação e a crise econômica segundo Karl Marx
Autor(es): Dillenburg, Fernando Frota
Palavras-chave: Karl Marx
O Capital
Crise
Data do documento: 2012
Editor: Revista Dialectus
Citação: Dillenburg, F. F. (2012)
Resumo: Procuramos mostrar neste artigo como Marx descreve, em O capital, o desenvolvimento dos indivíduos, assim como a relação destes com a educação e com a crise do capital. No início d’O capital os indivíduos encontram-se totalmente enfeitiçados pela mercadoria e pelo dinheiro. Na seção II eles já aparecem como representantes de classes sociais, o capitalista e o proletário, mas ainda totalmente submetidos ao movimento de auto-valorização do valor, isto é, o movimento do capital. No entanto, os proletários vão, aos poucos, por meio da luta de classes, desvelando os enigmas que encobrem as verdadeiras relações entre as classes, até descobrir, no capítulo XXIV, a origem da propriedade privada capitalista. O proletariado torna-se, então, uma classe revolucionária mostrando-se capaz de realizar a expropriação dos expropriadores. O Livro I expressa, assim, o processo da luta de classes através do qual o proletariado poderá, caso consiga percorrer este árduo percurso, sair das trevas nas quais se encontra em sua vida cotidiana e passar a se organizar enquanto uma classe que compreende e põe em prática um programa revolucionário. A vivência do proletariado na luta contra o capital é descrita por Marx como um processo educativo. Depois de realizar uma primeira totalização no Livro I, uma totalização ainda abstrata, Marx retoma no Livro II o domínio do capital sobre os indivíduos. Nos Departamentos I (produtor de meios de produção) e II (produtor de meios de subsistência), o capital se relaciona consigo mesmo, a ponto de conduzir a si próprio a crises cada vez mais profundas. No Livro III, Marx mostra que as contradições internas do próprio capital, isto é, as contradições da luta de classes, geram uma tendência à crises econômicas, que se tornam inevitáveis no capitalismo. Nesse Livro III Marx inclui mais uma terceira classe social: além da classe capitalista (que vive do lucro) e da classe trabalhadora (que vive do salário), aparece a classe dos proprietários fundiários (que vive da renda da terra). No capítulo LII, capítulo inacabado, Marx pretendia expor a luta de classes como fundamento dos três livros e de todo o modo de produção capitalista.
Abstract: We tried to show through this article how Marx describes in “The Capital”, the individuals development, as well as their relationship with the education and the capital crisis. At the beginning of “The Capital”, individuals are totally bewitched by goods and money. In the section II, they already appear as representatives of social classes, the capitalist and proletarian, but they still are totally subjected to the movement of self increase in value of the value, namely, the Capital movement. However, proletarians will gradually through the classes struggle, unveiling mysteries that conceal the true relationships between classes, until they discover, in Chapter XXIV, the origin of the capitalist private property. Then, the proletariat becomes a revolutionary class showing themselves capable of carrying out the expropriation of expropriators. So, the book I expresses the process of class struggle through which the proletariat might, if it get to go through this arduous route, go out of the darkness in which are in their daily life and organize themselves as a class that understands and implements a revolutionary program. The proletariat experience in the struggle against the Capital is described by Marx as an educational process. After doing an initial totalization in Book I, an abstract totalization, Marx resumes in Book II about the capital domain on individuals. In Departments I (producer of the means of production) and II (Producer of means of subsistence), the capital relates to itself on the point of lead itself to deeper crisis. In Book III, Marx shows that the internal contradictions of the own Capital, that is, the classes struggle contradictions create a tendency to economic crises that become inevitable in capitalism. In this Book III Marx includes a third social class: beyond the capitalist class (who lives of the profit) and the working class (who lives of the wage), there is the class of landowners (who lives of the land income). In Chapter LII, the unfinished chapter, Marx intended to expose the struggle between the classes as the basis of three books and of all the mode of capitalist production.
Descrição: DILLENBURG, Fernando Frota. O indivíduo, a educação e a crise econômica segundo Karl Marx. Revista Dialectus, Fortaleza, ano 1, n. 1, p. 17-37, jul./dez. 2012.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/21937
ISSN: 2317-2010
Aparece nas coleções:PPGEB - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2012_art_ffdillenburg.pdf2,07 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.