Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/21944
Título: Sujeito, cultura e educação: (des) ajustando a crise do capital, uma experiência do inevitável
Autor(es): Vasconcelos, Raquel Célia Silva de
Palavras-chave: Cultura
Educação
Subjetividade
Data do documento: 2012
Editor: Revista Dialectus
Citação: Vasconcelos, R. C. S. (2012)
Resumo: O ensaio tem como objetivo discorrer sobre os conceitos de sujeito, cultura e educação, imbricados entre si no processo de constituição dos mesmos, onde a experiência inevitável das crises do capital reafirma a existência deles. São conceitos que formam o tripé que sustenta ou desestabiliza a crise do capitalismo, onde a ordem estabelecida é determinante na constituição desse tripé, deixando prevalecer paradigmas culturais e educacionais que participam diretamente na elaboração de um sujeito moldado pela ciência e tecnologia para que possa prevalecer o status quo vigente. A ciência, nas sociedades capitalistas, ao se tornar o paradigma para o alcance civilizatório, torna a técnica mais importantes que a própria humanidade quando colocam todos a serviço de sua ação, delimitando sua força fáustica devastadora e incontrolável. A força da técnica recai sobre a educação porque a função de educar para o progresso pressupõe preparar o campo visual de crianças e jovens a partir da apreensão de um sujeito que se constitui no campo simbólico e imaginário. Na rememoração do passado como tentativa de ajuste e desajuste do capitalismo depende de uma memória que recupere no “vestígio de hábitos perdidos” o que delineia as aptidões do sujeito. A rememoração delineia três aspectos fundamentais no que diz respeito ao sujeito, a cultura e a educação. O primeiro aspecto fundamental é a cultura, que depende da força do hábito para sobreviver determinando o modo como o sujeito capta a própria existência, tornando suas ações enrijecidas e/ou flexíveis. O segundo aspecto, diz respeito à interferência do hábito na formação das aptidões, fundamentais à existência individual e coletiva, o hábito revela que a cultura também integra e, muitas vezes, é decisiva no processo educativo. E o terceiro corresponde a educação, responsável pelo processo de formação das subjetividades capazes de estabilizarem ou desestabilizarem paradigmas socioeconômico e cultural. Toda a discussão teórica analisada no ensaio é centrada nas críticas de Walter Benjamin a cultura e a educação burguesa.
Abstract: The essay aims to discuss about the concepts of subject, culture and education, overlapped among them in the process of constitution thereof, where the inevitable experience of the capital crises reaffirms their existence. They are concepts that form the tripod that supports or destabilizes the crisis of capitalism, where the established order is crucial in the formation of this tripod, leaving to prevail cultural and educational paradigms that directly participate in the development of a subject shaped by science and technology so that it can prevail the status quo. The science in capitalist societies, after to become the paradigm for civilization reaching, it turns the technique more important than humanity itself when they put all to the service of their action, limiting their Faustian devastating and uncontrollable strength. The technique strength relapses upon education because the function of educates to the progress presupposes preparing the visual field of children and youth from the apprehension of a subject that constitutes himself in the symbolic and imaginary field. In remembrance of the past as an attempt of adjust and maladjustment of capitalism depends on a memory to recover the "lost traces of habits" which outlines the skills of the subject. The recall outlines three fundamental aspects concerning the subject, culture and education. The first fundamental aspect is the culture, which depends on the force of habit to survive determining how the subject catches its own existence, making their actions stiffened and / or flexible. The second aspect concerns the habit interference in the formation of abilities fundamental to individual and collective existence, the habit reveals that culture also integrates and, many times, it is decisive in the educational process. The third corresponds to education that is responsible for the process of formation of subjectivities capable of stabilizing or destabilizing socioeconomic and cultural paradigms. The whole theoretical discussion analyzed on this test focuses on criticism of Walter Benjamin, the culture and bourgeois education.
Descrição: VASCONCELOS, Raquel Célia Silva de. Sujeito, cultura e educação: (des) ajustando a crise do capital, uma experiência do inevitável. Revista Dialectus, Fortaleza, ano 1, n. 1, p. 135-147, jul./dez. 2012.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/21944
ISSN: 2317-2010
Aparece nas coleções:PPGEB - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2012_art_rcsvasconcelos.pdf1,26 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.