Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/21945
Título: Emancipação e educação no capitalismo em crise: a conservação do aprisionamento na aparência da liberdade
Autor(es): Mata, Vilson Aparecido da
Palavras-chave: Emancipação humana
Trabalho
Educação
Data do documento: 2012
Editor: Revista Dialectus
Citação: Mata, V. A. (2012)
Resumo: Este texto pretende discutir a diferença, em Marx, entre emancipação política e emancipação humana e a impossibilidade de uma educação emancipatória no interior da sociedade capitalista. A questão da emancipação é fundamental para a compreensão do discurso educacional da atualidade. A produção de seres humanos como força de trabalho passa inevitavelmente pela educação e por um discurso de emancipação e liberdade que é forjado naturalizando as relações sociais de exploração e expropriação. Neste processo, há o falseamento das verdadeiras condições materiais da crise do capital, ocultando relações sociais que levam o indivíduo não à emancipação humana, mas ao aprisionamento na dependência cada vez mais profunda ao trabalho explorado. Assim como a emancipação política não é um processo natural, mas histórico, a emancipação humana deve ser também uma construção histórica dos homens. Neste sentido, fica claro que os projetos educacionais ditos emancipatórios na atualidade dizem respeito a uma parcialidade, posto que uma educação realmente emancipatória teria de ir à raiz do processo educacional como síntese de múltiplas determinações e essa raiz é o próprio homem, a partir do trabalho, das relações históricas construídas e da perspectiva de superação da ordem social do capital.
Abstract: This text intends to discuss the difference, according to Marx, between the political emancipation and the human emancipation of an emancipatory education within the capitalist society. The emancipation issue is fundamental to the understanding of the current educational discourse. The production of human beings as work force passes inevitably through education and through an emancipation and freedom discourse which is forged, naturalizing the social relations of exploration and expropriation. In this process, there is the distortion of the real material conditions of the capital crisis, hiding social relations that lead the individual not to human emancipation, but to the imprisonment in the dependence deeper and deeper to the exploited labor. As the political emancipation is not a natural process, but a historical one, the human emancipation must be a historical construction of men as well. In this sense, it is clear that the education projects said as emancipatory nowadays concerns a partiality, once a real emancipatory education would have to go to the root of the educational process as a synthesis of multiple determinations and this root is the man itself, from work, historical built relations and the perspective of the capital social order’s overcoming.
Descrição: MATA, Vilson Aparecido da. Emancipação e educação no capitalismo em crise: a conservação do aprisionamento na aparência da liberdade. Revista Dialectus, Fortaleza, ano 1, n. 1, p. 53-64, jul./dez. 2012.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/21945
ISSN: 2317-2010
Aparece nas coleções:PPGEB - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2012_art_vamata.pdf1,16 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.