Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/22100
Título: Práticas de utilização de dicionários por professores de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental II
Título em inglês: Practices for the use of dictionaries by teachers of portuguese language in elementary education II
Autor(es): Nascimento, Luana Monteiro do
Orientador(es): Aragão, Maria do Socorro Silva de
Palavras-chave: Leitura – desenvolvimento - Ensino Fundamental
Escrita – desenvolvimento - Ensino Fundamental
Dicionário – uso em sala de aula
Teaching and Learning
Portuguese Language
Data do documento: 2016
Citação: Nascimento, L. M.; Aragão, M. S. S. (2016)
Resumo: O Brasil é um país cuja população ainda apresenta dificuldades na alfabetização e no letramento, deste modo, o dicionário escolar, como recurso didático, pode contribuir para promoção da leitura e, consequentemente, da escrita, uma vez que seu uso em sala de aula possibilita inserir o aluno em um universo de informações. Logo, o estudo objetivou, em linhas gerais, verificar o uso ou não de dicionários como recurso didático, como meio de potencializar habilidades de leitura, escrita e ampliação do domínio vocabular de alunos. De modo específico, intentou-se identificar a utilização ou não deste recurso didático, por meio de questionário, modelo inventário (autoavaliação); comparar as variáveis do estudo, itens do questionário, com o perfil dos professores; analisar a associação entre as variáveis do estudo; e apresentar atividades que envolvam dicionários. Para embasar as discussões propostas, consideraram-se as ideias de Krieger (2006), Bagno e Rangel (2006), Rangel (2011) e Pontes (2009; 2014). Trata-se de estudo descritivo e quanti-qualitativo, em que se utilizou um formulário previamente elaborado para a pesquisa, contendo variáveis relacionadas ao perfil dos pesquisados e questões de autoavaliação, do tipo escala, com 39 itens, com formato de resposta do tipo Likert, com quatro possibilidades de respostas: Quase nunca (1); Às vezes (2); Frequentemente (3); Quase Sempre (4), o qual foi disponibilizado em meio eletrônico, através do Google Drive. Acerca do perfil dos participantes, a maioria era do sexo feminino (85,1%), com idades entre 25 e 40 anos, com formação em universidade pública federal, sendo a especialização a titulação predominante (70,1%), atuantes principalmente na área de Linguística Aplicada (91,0%). Os demais itens do questionário foram categorizados em: O dicionário e a prática em sala de aula, em que se constatou que os participantes às vezes (40,3%) orientavam os alunos para o manejo do dicionário impresso; O dicionário e o planejamento pedagógico, em que se encontrou que os professores participantes, às vezes, selecionavam dicionários para a prática em sala de aula (44,8%); Percepções dos professores sobre a utilização do recurso em questão, obtendo que a maioria era às vezes favorável ao uso (52,2%), percebia o dicionário como tecnologia (32,8%) e quase sempre sua importância na prática escolar (53,7%), bem como a relevância de cursar a disciplina de Lexicografia durante a graduação (52,2%); no último item, Conhecimentos dos professores sobre esse uso, a maioria assinalou que às vezes necessitava trabalhar com o dicionário em sala de aula (40,3%). Ademais, constatou-se associação forte entre uso do dicionário impresso, tempo de docência em sala de aula e área de atuação; e uso do dicionário e conhecimento do professor. Concluiu-se que os professores participantes da pesquisa às vezes utilizavam o dicionário como recurso didático, no entanto eram favoráveis a essa prática e o reconheciam como tecnologia e/ou recurso didático. Logo, sugere-se que maiores incentivos sejam promovidos, como cursos de formação destinados a professores do ensino fundamental II e materiais didáticos para este fim, de modo a estimular a prática voltada para utilização de dicionários em aulas de Língua Portuguesa, notadamente no Ensino Fundamental II.
Abstract: Brazil is a country whose population still presents literacy difficulties, for this reason, the school dictionary, as a didactic resource, can contribute to promote reading and, consequently, writing, since its use in the classroom enables to insert students in a universe of information. Therefore, generally speaking, this study aimed to verify the use of dictionaries as a didactic resource, as a means to enhance reading, writing and expand vocabulary skills of students. Specifically, this study sought to identify the use or not of this didactic resource through a questionnaire, inventory model (self-assessment); compare the study variables, questionnaire items, with the teachers’ profile; analyze the association between the study variables; and present activity models involving dictionaries. In order to support the proposed discussions, the ideas of Krieger (2006), Bagno and Rangel (2006), Rangel (2011), and Bridges (2009, 2014) were considered. This was a descriptive quantitative study using a form previously designed for the research, containing variables related to the profile of the respondents and self-assessment scale-type questions, with 39 items, and a Likert-type response format, with four possible answers: Almost never (1); Sometimes (2); Often (3); Almost Always (4), which was electronically available via Google Drive. Regarding the profile of the participants, the majority were female (85.1%), aged 25-40 years, graduated from a federal public university, in which specialization was the predominant degree (70.1%), mainly in the field of Applied Linguistics (91.0%). The other items of the questionnaire were categorized in: Dictionary and classroom practice, which verified that the participants sometimes (40.3%) guided the students to use the printed dictionary; Dictionary and pedagogical planning, which found that participating teachers sometimes selected dictionaries for classroom practice (44.8%); Teachers’ perception about the use of the resource in study, demonstrating that the majority was sometimes favorable to its use (52.2%), perceived the dictionary as technology (32.8%) and almost always identified its importance in school practice (53.7%), as well as the relevance of attending the Lexicography course during graduation (52.2%); in the last item, Teachers’ knowledge about this use, most pointed out that sometimes needed to work with the dictionary in the classroom (40.3%). Additionally, a strong association was found between the use of printed dictionary, teaching time in the classroom, and field of activity; and between the use of dictionary and teacher’s knowledge. It was concluded that the teachers participating in the research sometimes used the dictionary as a didactic resource. Nevertheless, they were favorable to this practice and recognized it as a technology and/or didactic resource. Therefore, it is suggested the promotion of greater incentives, such as training courses for teachers of Elementary Education II and teaching materials for this purpose, in order to stimulate the practice of using dictionaries in Portuguese classes, especially in Elementary Education II.
Descrição: NASCIMENTO, Luana Monteiro do. Práticas de utilização de dicionários por professores de Língua Portuguesa no Ensino Fundamental II. 2016. 197f. – Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-Graduação em Letras, Fortaleza (CE), 2016.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/22100
Aparece nas coleções:PROFLETRAS - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_dis_lmnascimento.pdf15,6 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.