Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/22162
Título: Sistema pigmentar extrategumentar de Biomphalaria glabrata (Say, 1818) infectada e não infectada pelo Schistosoma mansoni (Sambon, 1907) e as alterações histológicas ocorridas pós-infecção
Título em inglês: Extracutaneous pigment system of Biomphalaria glabrata infected and not infected with Schistosoma mansoni and histological changes occurring post-infection
Autor(es): Andrade, Natalia Morais de
Orientador(es): Bezerra, Fernando Schemelzer de Moraes
Palavras-chave: Schistosoma mansoni
Biomphalaria
Infecção
Data do documento: 29-Dez-2009
Citação: ANDRADE, N. M. ; BEZERRA, F. S. M. (2009)
Resumo: A esquistossomose é uma endemia parasitária típica das Américas, Ásia e África consistindo em um grave problema de saúde pública. A manutenção do ciclo vital do Schistosoma mansoni em seus hospedeiros intermediários depende, entre outros fatores, dos seus mecanismos de defesa que é realizada pelos hemócitos juntamente com as células pigmentares reticulares e os metais, presentes na hemolinfa do molusco. Nesse estudo, buscou-se descrever o sistema pigmentar extrategumentar de Biomphalaria glabrata infectada e não infectada pelo S. mansoni e as alterações histológicas ocorridas pós-infecção. Foram infectados 44 moluscos sendo estes retirados para análise histológica a cada dez dias pósinfecção resultando em uma análise no 10º, 20º e 30º dias. Após os procedimentos de fixação, os exemplares foram cortados e corados por nove colorações para observação histológica em microscópio óptico e confocal. Para o controle foram utilizados 50 exemplares de moluscos não-infectados. Duas categorias celulares foram encontradas tanto no grupo controle quanto nos três grupos de moluscos infectados. Uma categoria foi formada pelas células dendríticas pigmentares pequenas e apareceu, predominantemente, no músculo não havendo diferença em relação a quantidade e ao tamanho quando comparado os grupos controle e infectado. A segunda categoria foi formada pelas células reticulares pigmentares que mostraram uma distribuição ampla por todo o corpo do molusco. Essa categoria apresentou diferença tanto em quantidade quanto em tamanho quando comparado ao grupo controle e aos grupos infectados. As formas evolutivas foram observadas nos grupos com 20 e 30 dias de infecção enquanto que as reações granulomatosas foram encontradas tanto nos três períodos de análise pósinfecção quanto no grupo controle. A relação entre molusco e parasito é essencial para o entendimento da biologia do parasito nos seus hospedeiros intermediários e para o desenvolvimento de métodos para o controle de moluscos em áreas endêmicas. Apesar de muitos trabalhos relatando a relação parasito-hospedeiro em S. mansoni, o aparecimento de células pigmentares ainda não tinha sido relatado em invertebrados, assim, a confirmação da presença dessas células se torna importante na elucidação do papel destas na relação parasitohospedeiro.
Abstract: Schistosomiasis is an endemic parasitic disease typical of the Americas, Asia and Africa consisting of a major public health problem. The maintenance of the life cycle of Schistosoma mansoni in their intermediate hosts depends, among other factors, the mechanisms of defense which is performed by hemocytes with reticular pigmentary cells and metals present in the hemolymph of the snail. In this study, we sought to describe the extracutaneous pigment system of B. glabrata infected and not infected with S. mansoni and histological changes occurring post-infection. 44 were infected snails were put out for histological analysis every ten days post-infection resulting in an analysis in 10, 20 and 30 days. After fixation procedures, the specimens were cut and stained by nine stains for histological observation under a light microscope and confocal. For control we used 50 specimens of non-infected snails. Two categories phones were found in both the control and the three groups of infected snails. One group was formed by small pigmented dendritic cells and appeared predominantly in muscle with no difference regarding the amount and size when compared to the control group and infected. The second category was formed by reticular pigment cells that showed a wide distribution throughout the body of the snail. This category was different both in quantity and size when compared to the control and infected groups. The developmental stages were observed in groups of 20 and 30 days of infection while the granulomatous reactions were found either in the three study periods after infection and control groups. The relationship between snail and parasite is essential for understanding the biology of the parasite in its intermediate hosts and the development of methods to control snails in endemic areas. Although many studies about the host-parasite relationship in S. mansoni, the appearance of pigment cells had not yet been reported in invertebrates, thus confirming the presence of these cells becomes important in the elucidation of their role in host-parasite relationship.
Descrição: ANDRADE, N. M. Sistema pigmentar extrategumentar de Biomphalaria glabrata (Say, 1818) infectada e não infectada pelo Schistosoma mansoni (Sambon, 1907) e as alterações histológicas ocorridas pós-infecção. 2009. 87 f. Dissertação (Mestrado em Patologia) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2009.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/22162
Aparece nas coleções:DPML - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2009_nmandrade.pdf5,28 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.