Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/22216
Título: A religião em Feuerbach: Deus não é Deus, mas o homem e/ou a natureza divinizados
Autor(es): Chagas, Eduardo Ferreira
Palavras-chave: A crítica da religião em Feuerbach
Homem, natureza e Deus em Feuerbach
A determinação Humano-Natural de Deus em Feuerbach
Data do documento: 2014
Editor: Revista Dialectus
Citação: Chagas, E. F. (2014)
Resumo: Em sua obra principal, A Essência do Cristianismo, Feuerbach mostra que o Cristianismo coloca no seu cume um deus pessoal, ilimitado, que cria através do “puro pensar” e do “querer” a natureza e o homem. Já em A Essência da Religião e nos Complementos e Esclarecimentos para a Essência da Religião, Feuerbach analisa a religião natural, na qual deus é um ser físico, idêntico à natureza. Assim como a religião cristã transformou a essência humana em deus, do mesmo modo a religião natural fez da natureza um deus. Mas, para Feuerbach, o deus cristão não é um ser não-humano, mas o próprio homem adorado como divino, assim também o deus físico da religião natural não é deus, mas a própria natureza divinizada. Frente a tais religiões, Feuerbach quer resgatar tanto o homem como a natureza e estabelecer entre eles uma nova relação: o homem não apenas como um ser espiritual, mas também de necessidade, finito, sensível, que depende da natureza, e esta última não como obra de deus, nem do homem, mas como instância originária, como causa dela mesma, e que sem ela, o homem é nada, não pode ser. Homem e natureza se completam: o homem deve sua existência, seu nascimento e preservação à natureza, mas esta é melhor preservada, desenvolvida e conhecida por meio do homem.
Abstract: In his main work, The Essence of Christianity, Feuerbach shows that Christianity posts to its summit a personal limitless God who creates by means of “pure thinking” and “will” nature and man. On the other hand, in The Essence of Religion in Complements and Clarifications for the Essence of Religion, Feuerbach analyses natural religion in which God is a physical being not different from nature. In the same fashion that religion changed human essence in God, likewise natural religion changed nature into God. But, according to Feuerbach, the Christian God is not a non-human being, but man himself adored as divine, likewise the physical God of natural religion is not God but nature itself in a divine configuration. Faced by those religions, Feuerbach aims at rescuing not only man but also nature and establish between them a new relationship: man not only as a spiritual being but also created out of necessity who is finite, sensible, dependent on nature, while nature is not as a work of God, neither of man, but a original instance, having itself as cause, and man owes his existence, its birth and preservation to nature, but it is by means of man that nature is better preserved, developed and known.
Descrição: CHAGAS, Eduardo Ferreira. A religião em Feuerbach: Deus não é Deus, mas o homem e/ou a natureza divinizados. Revista Dialectus, Fortaleza, ano 2, n. 4, p. 78-91, jan./jun. 2014.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/22216
ISSN: 2317-2010
Aparece nas coleções:PPGEB - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2014_art_efchagas2.pdf420,97 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.