Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2227
Título: Cronus e kairós: reflexões sobre temporalidade laboral e solvência social
Título em inglês: Cronus and Kairós: refections about labor temporality and social solvency
Autor(es): SABOIA, Iratan Bezerra de
Orientador(es): AQUINO, Cássio Adriano Braz de
Palavras-chave: Tempo
Tempo de Trabalho
Psicanálise
Transformações no Mundo do Trabalho
Solvência Social
Time
Work Time
Psychoanalysis
Labor World Transformation
Social Solvency
Psicologia do trabalho
Temporalidade laboral
Psicanálise
Data do documento: 2007
Editor: http://www.teses.ufc.br
Citação: SABOIA, I. B. D. ; AQUINO, C. A. B. D. (2007)
Resumo: Neste trabalho analisamos o tempo como categoria privilegiada de estudo do sujeito e da sociedade; objetivando analisar sua ação como solvente social quando se apresenta nas novas configurações entre tempo e trabalho na contemporaneidade, empregamos uma análise teórica da categoria tempo e as novas formas que se apresenta na contemporaneidade laboral. Para isso, delimitamos alguns campos de estudo onde a temporalidade se inseriu, transitando pela Filosofia, Física, Biologia e Sociologia, partindo destes estudamos o Tempo do trabalho, o Tempo liberado e o Tempo do Ócio. Com base nesses estudos, delimitamos alguns campos de estudo da temporalidade por parte da Psicologia para finalmente nos determos na questão da temporalidade para a Psicanálise. Uma vez delimitada a temporalidade subjetiva, pudemos buscar a interface entre esta e o mundo, encontrando uma temporalidade marcada pela mediação social. É neste contexto que verificamos o tempo agindo em conjunto com o trabalho, formando uma das categorias que funcionam como cola social. Analisando as novas configurações que a temporalidade laboral assumiu, após o trabalho se tornar categoria social predominante, verificamos que ele pode perder sua característica de cola ampla da sociedade e se apresentar como um solvente social em alguns grupamentos sociais e fortificando os laços em outros, auxiliando assim na formação de guetos temporais ligados ao trabalho.
Abstract: In this paper, we analyzed the time as a privilege category of subject and society study; aiming to analyze its action as a social solvent when presents itself in the new configurations between time and work in contemporaneity, we performed a theoretical analysis of time category and its new ways of presenting itself in work contemporaneity. Thereunto, we delimitated a few study fields where temporality inserted itself as category, as of Philosophy, Physics, Biology and Sociology, we studied the work Time, the free Time and the leisure Time. Based on these studies, we delimitated a few Psychology study fields of temporality, so we can finally focus in the temporality issue for Psychoanalysis. Once the subjective temporality was delimitated, we could search for the interface between it and the world, finding a temporality marked by social mediation. In this context, we verified the time acting with the work, forming one of the categories which works as social glue. Analyzing the new configurations admitted by the labor temporality, after the work has become predominant social category, we verified that it can lose its society wide glue characteristic and present itself as a social solvent in a few social groups, fortifying other groups’ attachments, helping, thereby, in time ghettos formation related to work.
Descrição: SABOIA, Iratan Bezerra de. Cronus e kairós: reflexões sobre temporalidade laboral e solvência social. 2007. 200 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal do Ceará, Departamento de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Fortaleza-CE, 2007.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2227
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2007_dis_IBDSaboia.PDF1,02 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.