Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2237
Título: Abuso sexual e sociometria: um estudo dos vínculos afetivos em famílias incestuosas
Título em inglês: Sexual abuse and sociometry: a study of affective bonds in incestuous families
Autor(es): MATIAS, Delane Pessoa
Orientador(es): COLAÇO, Veriana de Fátima Rodrigues
Palavras-chave: Sociometria
Incesto
Vínculos
Sociometry
Incest
Bonds
Vítimas de incesto - Fortaleza (CE) - Relações com a família
Sociometria
Crianças maltratadas sexualmente - Fortaleza (CE)
Adolescentes maltratados sexualmente - Fortaleza (CE)
Data do documento: 2006
Editor: http://www.teses.ufc.br
Resumo: O trabalho teve como objetivo estudar os vínculos afetivos em famílias onde ocorrem relações incestuosas. Foram estudadas famílias atendidas pelo Projeto Sentinela, que se destina ao atendimento psicossocial a crianças e adolescentes vítimas de violência sexual, e que é vinculado ao Centro de Referência de Atenção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Violência, da Secretaria de Ação Social do Governo do Estado do Ceará. A amostra foi constituída de cinco famílias, onde houve a prática de abuso sexual contra crianças do sexo feminino cometido pelo pai ou padrasto. As vítimas se situavam na faixa etária entre sete e quinze anos de idade e eram do sexo feminino. O instrumento de pesquisa foi o teste sociométrico, que estuda as estruturas sociais através das escolhas e rejeições que ocorrem dentro dos grupos humanos. Os resultados demonstraram a estrutura sociométrica dos grupos, o status social ocupado pelos participantes, os vínculos que se encontram harmoniosos e os que apresentam conflitos. Os dados colhidos indicaram que as vítimas apresentam a auto-estima rebaixada e déficits de percepção, que as mães gozam de elevado status social dentro dos grupos, que as filhas vitimadas também mantém um bom nível de aceitação por todos os membros da família, mas não conseguem perceber essa posição dentro do grupo, e que os agressores figuram como membros rejeitados dentro da organização familiar, podendo constituir-se em focos de tensão e ameaça para o equilíbrio grupal, se seus vínculos não forem trabalhados. O estudo constata que os vínculos afetivos se configuram de maneira diversa para cada grupo, podendo sofrer influências de fatores como o tempo, a cultura e o contexto social no qual se apresentam, o que leva a crer que a prática das relações incestuosas pode ser impulsionada por essas peculiaridades do modo de vinculação de cada família, e, portanto, não deve ser compreendida apenas pelo viés psicológico. Chega à compreensão de que os membros das famílias incestuosas estão envolvidos em uma trama de relações disfuncionais e alerta para a necessidade de desconstruir crenças fortemente arraigadas no senso comum, como a culpabilização de mães e vítimas e a demonização dos agressores. Considera a necessidade de incluir o agressor nas possíveis intervenções, uma vez que o mesmo, embora figure como membro rejeitado, mantém relações carregadas de afeto dentro dos grupos. Considera que o conhecimento aprofundado dos vínculos afetivos nas famílias incestuosas pode servir de subsídio para a criação de programas e projetos na área das políticas públicas, uma vez que dispõe de instrumentos que podem viabilizar um diagnóstico precoce dos casos, instrumentalizar os profissionais, tanto no aspecto técnico quanto emocional para o lidar com as questões relativas à violência sexual, assim como fornecer métodos terapêuticos para os indivíduos e grupos atingidos.
Abstract: The objective of the present study was to characterize the affectional bonds of families affected by incestuous relationships. The study population consisted of five families, in which children of the female sex had been abused by the father or stepfather, attending a psychosocial care service (Projeto Sentinela) for children and adolescents suffering sexual abuse, affiliated to a state reference center for children and adolescents exposed to violence (Centro de Referência de Atenção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Violência, Secretaria de Ação Social do Governo do Estado do Ceará). Victims were seven years old or over. A sociometric test was employed surveying social structures through choices and rejections observed within the social group. The test provided information on sociometric group structure, individual social status as well as negative and positive affectional bonds. Our findings show that victims suffered from lowered self-esteem and perception deficit, that mothers are attributed a high social status within the group, that victims are in good social standing in the group though unaware of the fact, and that aggressors are viewed by the familiy as rejectees and, if left unassisted, a source of tension and threat to the overall group balance. The affectional bonds observed varied according to family characteristics, time and cultural and social context, suggesting that incestuous behavior may be associated with such factors and should not be analyzed from the psychological perspective alone. The dysfunctional relationships observed in incestuous families point to the need for deconstructing the common belief that incest is the fault of mothers and victims and that aggressors are necessarily perverse. Aggressors should be included in interventions in consideration of their psychological distress and affectional relationships within the group. It considers that the deepened knowledge of the affective bonds in the incestuous families can serve of subsidy for the creation of programs and projects in the area of the public politics, a time that makes use of instruments that can make possible a precocious diagnosis of the cases, to provide the means for someone else to qualify the professionals, as much in the aspect how much emotional technician to deal it with the relative questions to the sexual violence, as well as supplying to therapeutical methods the individuals and reached groups.
Descrição: MATIAS , Delane Pessoa. Abuso sexual e sociometria: um estudo dos vínculos afetivos em famílias incestuosa. 2006. 144 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal do Ceará, Departamento de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Fortaleza-CE, 2006.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2237
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2006_dis_DPMatias.PDF775,59 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.