Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/22464
Título: Atividade antimicrobiana da violaceína sobre Staphylococcus epidermidis
Título em inglês: Antimicrobial activity of violacein on Staphylococcus epidermidis
Autor(es): Dodou, Hilania Valéria
Orientador(es): Nogueira , Nadia Accioly Pinto
Palavras-chave: Anti-Infecciosos
Staphylococcus epidermidis
Biofilmes
Sinergismo Farmacológico
Data do documento: 15-Fev-2017
Citação: DODOU, H. V. ; NOGUEIRA, N. A. P. (2017)
Resumo: Staphylococcus epidermidis faz parte da microbiota natural do homem, mas apresenta potencial patogênico quando se trata de infecções relacionadas a dispositivos médicos. O surgimento de cepas resistente a diversos antimicrobianos vem criando desafios na escolha da terapêutica. Diante desse cenário, tornam-se muito importantes estudos que investiguem novas substâncias com potencial antimicrobiano. A violaceína (VIO) é um metabólito produzido por bactérias de diferentes espécies, com destaque para Chromobacterium violaceum, que apresenta potencial atividade antimicrobiana sobre microrganismos Gram-positivo. O estudo visou avaliar a atividade antimicrobiana da VIO sobre cepas de S. epidermidis formadoras e não formadoras de biofilme, assim como avaliar sua capacidade de agir sinergicamente com fármacos antimicrobianos já comercializados. A VIO demonstrou excelente ação antimicrobiana sobre S. epidermidis ATCC 12228 e ATCC 35984, apresentando, em baixas concentrações, ação bacteriostática (CIM = 10µg/mL e 20µg/mL para S. epidermidis ATCC 12228 e 35984, respectivamente) e bactericida (CLM = 20µg/mL para ambas as cepas). Além disso, a ação bactericida foi observada com curtos tempos de exposição (2-3horas). A VIO também foi capaz de modular sinergicamente a ação de diversos antimicrobianos, como amicacina, gentamicina, ciprofloxacino, cefepime, ceftazidima, vancomicina, meropenem, ceftriaxona, cefalotina e oxacilina sobre S. epidermidis, reduzindo os valores de CIM em até 16 vezes. A VIO foi capaz de inibir a formação de biofilme microbiano na mesma concentração que inibiu o crescimento em células planctônicas (CIMB=20µg/mL) e erradicou biofilme já formado em concentração 8 vezes maior (CMEB=160µg/mL). Sua ação sobre biofilme já formado foi potencializada quando associada aos fármacos cefepime, ciprofloxacino, vancomicina e meropenem, sendo capaz de erradicar completamente o biofilme na associação com ciprofloxacino, em concentrações equivalents a ½ CMEB. Estes resultados mostram que a VIO é uma substância promissora para o desenvolvimento de um novo fármaco antimicrobiano com ação sobre este patógeno, inclusive sobre seu biofilme, ou mesmo para ser associada a antibióticos já comercializados.
Abstract: Staphylococcus epidermidis is part of the human’s natural microbiota, but has pathogenic potential when it comes to infections related to medical devices. The emergence of strains resistant to several antimicrobials has created challenges in the choice of therapy. Given this scenario, it is very important to investigate new substances with antimicrobial potential. Violacein is a metabolite produced by bacteria of different species, especially Chromobacterium violaceum, which has potential antimicrobial activity on Gram-positive microorganisms. The aim of the study was to evaluate the antimicrobial activity of violacein on strains of S. epidermidis forming and non-forming biofilm, as well as to evaluate its ability to act synergistically with antimicrobial drugs already marketed. VIO demonstrated excellent antimicrobial action on S. epidermidis ATCC 12228 and ATCC 35984, presenting bacteriostatic action (MIC = 10 μg / mL and 20 μg / mL for S. epidermidis ATCC 12228 and 35984, respectively) and bactericidal action (MBC = 20μg / mL for both strains). In addition, the bactericidal action was observed with short exposure times (2-3 hours). Violacein was also capable of synergistically modulating the action of several antimicrobial agents, like amikacin, gentamicin, ciprofloxacin, cefepime, ceftazidime, vancomycin, meropenem, ceftriaxone, cephalothin e oxacilin, on S. epidermidis, reducing MIC values for these microorganisms by up to 16 times. VIO was able to inhibit the formation of microbial biofilms at the same concentration that inhibited growth in planktonic cells and eradicated already-formed biofilm at 8-fold higher concentration (MBEC = 160 μg / mL). Its action on biofilm already formed was potentiated when associated with antimicrobial drugs already marketed, being able to completely eradicate the biofilm when associated with ciprofloxacin, in concentrations equivalent to ½ MBEC. These results show that VIO is a promising substance for the development of a new antimicrobial drug with action on this pathogen, including its biofilm, or even to be associated with already commercialized antibiotics.
Descrição: DODOU, H. V. Atividade antimicrobiana da violaceína sobre Staphylococcus epidermidis. 2017. 95 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2017.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/22464
Aparece nas coleções:DFAR - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_dis_hvdodou.pdf1,87 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.