Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/22620
Título: Educação de adultos e escola “sobre” os trilhos das teorias clássicas da administração e da Teoria do Capital Humano: o caso da Rede Ferroviária Federal S.A. – RFFSA, no Ceará, de 1970-1975
Título em inglês: Education of adults and schools on "the tracks” of the classical theories of administration and the Theory of Human Capital: the case of the Federal Railway Network S.A - RFFSA, Ceará, 1970-1975
Autor(es): Lopes, Ângela Maria Eugênio
Orientador(es): Souza, José Ribamar Furtado de
Palavras-chave: Ferroviários - História - Fortaleza (CE) - Séc.XX
Alfabetização de jovens e adultos - Fortaleza (CE) - - Séc.XX
Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima (RFFSA) – História
Adult Education and Literacy
Railways
Data do documento: 2017
Citação: Lopes, A. M. E.; Souza, J. R. F. (2017)
Resumo: Esta investigação tem como objetivo analisar os sentidos das experiências de educação de adultos e de escolas da RFFSA, construídos pelos sujeitos, e sua relação com os princípios das Teorias Clássicas da Administração e da Teoria do Capital Humano, norteadoras das práticas administrativas e educacionais da empresa. Tais experiências ocorreram na década 1970, em Fortaleza-CE, quando a RFFSA já mantinha escolas para os filhos dos ferroviários e, promovia cursos de alfabetização de adultos direcionados aos trabalhadores de níveis mais baixos de escolarização; o domínio das habilidades de leitura e escrita e das operações básicas de matemática dava-lhes a possibilidade de acesso a novos cargos, de acordo com o que determinava a empresa. Trata-se de pesquisa descritiva e explicativa, de abordagem qualitativa, caracterizada como estudo de caso histórico baseado em Bogdan e Bicklen. Os dados empíricos foram colhidos através de entrevistas semiestruturadas com seis sujeitos idosos, bem como pesquisa documental. O referencial teórico utilizado para as categorias conceituais de educação e alfabetização de adultos foram Freire, Haddad e Di Pierro, Saviani, Fernandéz, Carvalho, Costa e Furtado; para as Teorias Clássicas da Administração: Silva, Taylor, Fayol, Zanatta e Kuenzer; para a Teoria do Capital Humano: Schultz e Frigotto. Para contextualização das ferrovias, teve como suporte os estudos de Telles, Pereira e Muniz, Mota, Almeida, Azevedo, Possas e Segnini. Outros autores foram incluídos para referendar a análise que, pautada na dialética, busca analisar as circunstâncias e as contradições que ligaram o contexto histórico ao sentido das experiências construídos pelos sujeitos. Constatou-se que as experiências educativas ocorreram sob a égide da pedagogia tecnicista, de visão utilitarista e orientada pelos princípios das Teorias Clássicas de Administração e da Teoria do Capital Humano, presentes nas políticas e nas práticas administrativas; desvelavam-se assim aspectos internos característicos de uma cultura assistencialista e clientelista, bastante comum à época. Evidencia-se que as repercussões das experiências de alfabetização e de qualificação foram muito mais no âmbito pessoal e profissional. Neste sentido, se apresentam para os trabalhadores como a oportunidade de alfabetização e qualificação técnica que, apesar de aligeiradas, podem ter contribuído para o acesso a outros cargos e resultado na elevação da autoestima, sem que isso representasse significativas mudanças nas condições de vida e de trabalho. Quanto às experiências nas escolas, propiciou o acesso à educação aos filhos dos trabalhadores, e quando interrompidas geraram perdas tanto para os trabalhadores e suas famílias, como para as professoras. Constata-se, portanto, que os sentidos das experiências não confluem na mesma direção para todos os sujeitos, mas podem ser traduzidos como movimentos constantes de luta dos trabalhadores no sentido de mobilização-desmobilização, dominação-resistência, controle-ousadia. Verifica-se que, nos anos 1970, triunfa o poder desmobilizador do Estado autoritário que, em nome da racionalidade, provoca a diminuição do quadro de empregados, o fechamento das escolas com a supressão do ensino primário para, nas décadas seguintes, culminar no processo de privatização da estatal, em consonância com a pauta neoliberal.
Descrição: LOPES, Ângela Maria Eugênio. Educação de adultos e escola “sobre” os trilhos das teorias clássicas da administração e da Teoria do Capital Humano: o caso da Rede Ferroviária Federal S.A. – RFFSA, no Ceará, de 1970-1975 . 2017. 334f. – Tese (Doutorado) Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Educação Brasileira, Fortaleza (CE), 2017.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/22620
Aparece nas coleções:PPGEB - Teses defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_tese_amelopes.pdf12,46 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.