Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/22956
Title in Portuguese: Precarização do trabalho e saúde dos trabalhadores terceirizados
Title: Precarious work and health of outsourced workers
Author: Melo, Pamella Beserra de
Advisor(s): Aquino, Cássio Adriano Braz de
Keywords: Ambiente de trabalho
Esgotamento Profissional
Acidentes de Trabalho
Power to act
Health
Issue Date: 2016
Citation: Melo, P. B.; Aquino, C. A. B. (2016)
Abstract in Portuguese: A investigação aqui apresentada analisou como o trabalho repercute na saúde dos profissionais com vínculo terceirizado que atuam na Universidade Federal do Ceará (UFC). A pesquisa fundamenta-se na Clínica da Atividade e situa-se no campo da Saúde do Trabalhador; baseia-se na epistemologia qualitativa e desenvolveu-se como um estudo de caso derivado de intervenção efetivada no Almoxarifado Central da UFC. Todo o material produzido na intervenção foi utilizado para a construção do corpus pertinente ao caso analisado. Tal delineamento corrobora a perspectiva teórica mencionada para a qual, primeiro, realiza-se a intervenção para, em seguida, dar-se início à pesquisa. Assume-se que cada um desses momentos tem temporalidades e objetos diferentes, guardando uma relação de mútua independência. A intervenção compreendeu três etapas: 1) formação do grupo de análise, no qual foram realizadas observações, entrevistas, análises documentais e filmagens; 2) autoconfrontações simples e/ou cruzadas, durante as quais os trabalhadores foram confrontados com o registro audiovisual de suas atividades; e 3) retorno ao grupo inicial. A metodologia da pesquisa se deu a partir da videografia. Para análise dos dados, utilizou-se a análise de conteúdo construtiva-interpretativa de González Rey. Adotou-se como unidade de análise a atividade triplamente dirigida (para o objeto, pelo sujeito e para o outro). Considera-se a pertinência do estudo, uma vez que nos encontramos num contexto marcado por retrocessos no mundo laboral, em que práticas arcaicas de gestão e controle da mão de obra e da produção coexistem com tendências “inovadoras” que vulnerabilizam a classe trabalhadora, representando uma ameaça ao trabalho em seu caráter ontológico e aos direitos dos trabalhadores. Objetiva-se que a pesquisa contribua para formulação de ações voltadas à saúde do trabalhador e ao desenvolvimento do seu poder de agir, bem como desnude as vulnerabilidades a que estão submetidos os trabalhadores que possuem vínculos laborais precários. Desta forma, em relação às condições de trabalho, percebeu-se que os trabalhadores com vínculo terceirizado estão mais sujeitos a situações de vulnerabilidade, e seu universo de trabalho é permeado por situações de risco à saúde e à segurança. Constatou-se ainda estarem eles mais suscetíveis a situações de assédio, ameaça, desrespeito, preconceito, autoritarismo devido à instabilidade do vínculo; estavam subordinados também a condições inadequadas ao desenvolvimento de suas atividades, como ambiente empoeirado, mal iluminado e sem ventilação, com estrutura precária e antiga, além da carência de materiais em boas condições e/ou da utilização de equipamentos inapropriados para tal. Assim, pôde-se perceber que na atividade dos sujeitos pesquisados vários empecilhos são impostos a sua ação, porém, através de um modelo de gestão participativo, eles encontraram as possibilidades de desenvolvimento do poder de agir e da construção da saúde, fortalecendo o coletivo profissional, que passou a reconhecer-se enquanto grupo, ao discutir e debater as dificuldades e sugestões possíveis para realização de um trabalho bem feito. Observou-se, ainda, através da participação ativa dos trabalhadores nas mudanças empreendidas no setor investigado, melhorias tais como redefinição das atribuições e tarefas de cada trabalhador, dinamização e maior fluidez dos processos de trabalho, realização de reuniões sistemáticas com a participação e envolvimento de todos os profissionais do setor, ouvindo-se as sugestões e questionando-se coletivamente as problemáticas em pauta.
Abstract: The research presented here analyzed how the work affects the health of outsourced professionals working at the Federal University of Ceará (UFC). The research, based on the Clinic of Activity and located in the field of Worker’s Health, is based on qualitative epistemology and developed as a case study derived from intervention carried out in the UFC Central Warehouse. All the material produced in the intervention was used for the construction of the corpus pertaining to the case analyzed. Such a design corroborates the theoretical perspective mentioned for which the intervention is first performed, and then the research is started. It is acknowledged that each of these moments has different temporalities and objects, keeping a relation of mutual independence. The intervention comprised three stages: 1) formation of the analysis group, in which observations, interviews, documentary analyzes and filming were performed; 2) simple and/or cross self-confrontations, during which the workers were confronted with the audiovisual record of their activities; and 3) return to the initial group. The research methodology came from the videography method. To analyze the data, we used the constructive-interpretative content analysis of González Rey. The triple-directed activity (for the object, for the subject and for the other) was adopted as the unit of analysis. The relevance of the study is considered, since we are in a context marked by setbacks in the world of work, where archaic practices of management and control of labor and production coexist with “innovative” tendencies that weaken the working class, representing a threat to work on its ontological character and to workers’ rights. It is intended that the research contributes to the formulation of actions aimed at workers’ health and development of their power to act, as well as undressing the vulnerabilities to which workers with precarious employment ties are subjected. Thus, regarding the working conditions, it was perceived that workers with outsourced links are more subject to situations of vulnerability, and their work surrounding is permeated by situations of risk to their health and safety. It was noted that these professionals were more susceptible to situations of harassment, threat, disrespect, prejudice, authoritarianism due to the instability of the work bond; moreover they underwent inadequate conditions for the development of their activities, such as dusty, poorly lit and unventilated environment, with a precarious and old structure, as well as the lack of materials in good conditions and/or the use of inappropriate ones. Thus, it was observed that in the activity of the subjects studied several obstacles are imposed on their action, but through a model of participatory management they found the possibilities of developing their power to act and build health, strengthening the professional group that could recognize themselves as a group when discussing and debating the difficulties and possible suggestions for doing a job well done. It was also observed through the active participation of workers in the changes undertaken in the researched sector improvements such as redefining the duties and tasks of each worker, improvements in work processes to become more fluid and dynamic, holding systematic meetings with the participation and involvement of all professionals in the sector, listening to the suggestions and collectively questioning the issues at hand.
Description: MELO, Pamella Beserra de. Precarização do trabalho e saúde dos trabalhadores terceirizados. 2016. 122f. – Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Fortaleza (CE), 2016.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/22956
Appears in Collections:PPGP - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2016_dis_ pbmelo.pdf1,07 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.