Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2320
Título: Laços afetivos que (des)ligam famílias, adolescentes e abrigo
Título em inglês: Bows of affection that connect and disconnect families, adolescents and shelter.
Autor(es): RIBEIRO, Janille Maria Lima
Orientador(es): BOMFIM, Zulmira Áurea Cruz
Palavras-chave: Afetividade
Famílias
Adolescentes
Instituição de acolhimento
Políticas públicas
Affection
Families
Adolescents
Shelter
Public politics
Adolescentes (Meninas) – Conduta – Fortaleza (CE)
Adolescentes (Meninos) – Conduta – Fortaleza (CE)
Adolescentes – Fortaleza (CE) – Relações com a família
Adolescentes – Assistência em instituições – Fortaleza (CE)
Relações humanas na adolescência – Fortaleza (CE)
Emoções nos adolescentes – Fortaleza (CE)
Interação social em adolescentes – Fortaleza (CE)
Data do documento: 2008
Editor: http://www.teses.ufc.br/
Citação: RIBEIRO, J. M. L. ; BOMFIM, Z. A. C. (2008)
Resumo: No cotidiano de muitas famílias brasileiras existem aquelas que não conseguem por motivos, como a falta de assistência do Estado, proteger seus filhos menores de idade que acabam, algumas vezes, indo para instituições de abrigamento. No abrigo o (a) adolescente precisa ficar o menor tempo possível para retornar ao convívio familiar e comunitário caso possa e queira. Enquanto estão na instituição, os (as) adolescentes são afetados por emoções e sentimentos em relação ao próprio abrigo e em relação à família de origem. Existem laços de afeto que ligam e desligam adolescentes institucionalizados, suas famílias e o abrigo onde se encontram. Conhecer que afetos são estes e se estes afetos remetem à efetivação do direito à convivência familiar e comunitária são propósitos deste trabalho para problematizar e contribuir na construção de medidas que visem ao convívio familiar e comunitário potencializador. O público desta pesquisa são adolescentes de 12 (doze) a 18 (dezoito) anos que estejam usufruindo do abrigamento como medida de proteção. Dois abrigos foram pesquisados, sendo um somente para meninos, de uma Organização Não-Governamental e outro abrigo somente para meninas com natureza governamental na cidade de Fortaleza, Ceará. Com o intuito de apreender os afetos dos sujeitos para com determinado ambiente foi utilizado o instrumento Mapa Afetivo, que contou com adaptações feitas para esta pesquisa a fim de conhecer os afetos dos (as) adolescentes em relação ao abrigo. Para aprofundar questões advindas dos Mapas e conhecer os afetos em relação à família de origem utilizou-se a entrevista individual. O Diário de Campo foi também utilizado e permitiu enriquecer o trabalho na coleta de dados. Os dados foram colhidos primeiramente por meio dos Mapas Afetivos e depois foram feitas as entrevistas. O Diário de Campo recebeu registro desde o primeiro momento da coleta. Foi possível perceber por meio destes instrumentos que a imagem de atração preponderou entre os (as) adolescentes, tendo em vista as oportunidades que tiveram enquanto estavam abrigados. A proteção fornecida pela instituição marcou uma nova imagem apreendida na análise dos Mapas Afetivos, a de refúgio, como derivação da imagem contraste. Foi visto também que um longo período de abrigamento não gera pertinência, não se associa a uma estima positiva pelo ambiente e ainda contribui para o desligamento entre jovens e famílias. Os (as) jovens não queriam ficar indefinidamente na instituição, queriam voltar para casa, pois o abrigo não era sentido como casa. Vislumbrou-se que os laços afetivos entre adolescentes e família permanecem mesmo com a distância do abrigamento e o que liga o (a) adolescente ao abrigo são as oportunidades que oferece, assim como a proteção. Verificou-se que o abrigo exerce a função de mediador enquanto protege o(a) adolescente e o(a) prepara para retornar à família e oferece atrações para o(a) jovem inserir-se no mundo de mais oportunidades. Exercendo esta função de mediador, o abrigo contribui para a efetivação do direito à convivência familiar e comunitária. No entanto, a pesquisa aponta como sugestões que as instituições de acolhimento respeitem os princípios da medida de proteção de abrigamento que tem caráter excepcional, de última instância e provisório e que haja efetivação dos direitos dos (as) adolescentes e de suas famílias para que estas possam dignamente cuidar e proteger seus adolescentes e oferecer-lhes o que precisam para crescimento pleno e potencializador; que não seja mais necessário ao sujeito estar em situação de vulnerabilidade para ter acesso a direitos básicos como à convivência familiar e comunitária.
Abstract: In the daily of many Brazilian families there are those which do not achieve for some reasons such, as the lack of attendance of the State, the protection of their children that go (in the end), sometimes, to a shelter institutions. In the shelter the adolescent needs to be the less possible time to return to it’s family and to the community conviviality if he or she can and want to. While they are in the institution, they are affected by emotions and feelings related to the own shelter and the origin family. There are bows of affection that connect and disconnect institutionalized adolescents to their family and to the shelter where they are settled. The purpose of this work is to research what affections are and if these affections effeet the right to a family and community conviviality, contributing and problematizing for the construction of measures for this. The public of this research is adolescent from 12 (twelve) to 18 (eighteen) years old that are enjoying the shelter as a protection measure. Two shelters were researched, one of them only for boys, of a No-government Organization and the other one only for girls with government nature in the city of Fortaleza, Ceará. Intending to apprehend the adolescents’affects with this certain atmosphere an Affectionate Map instrument was used, adapted to this research in order to know the adolescents’ affections related to the shelter. To deepen subjects from the Maps and knowing the affections related to the original family. It was used individual interview. A Diary of Field was also used and it allowed to enrich the work of the collection of data. First, the data were picked collected through the Affectionate Maps and then the interviews were made. The Diary of Field received registration since the very first moment of the collection afterwards. It was possible to notice through these instruments that the attraction image prevailed the adolescents considering the opportunities they had while sheltered. The protection supplied by the institution marked a new image apprehended in the analysis of the Affectionate Maps, the refuge one as derivation of the contrast image. It was also seen that a long period of shelter does not generate pertinence, he or she does not associate it to a positive steem by the atmosphere and it also contributes to a “separation” of the adolescents and their families. The adolescents did not to be indefinitely in the institution, they wanted to return to their home because the shelter was not felt as one by them. It was glimpsed that the affectionate bows between adolescents and their families are kept besides the distance. The opportunities and the protection offered by the shelter are what keeps the adolescents in. It was verified the shelter exercises a mediator function while it protects and prepares the adolescents returning to their family and also offers attractions to them to be inserted in a world of more opportunities. Practicing that mediator function, the shelter contributes to the effect of the right to the family and community conviviality. However, the research suggests that the reception institutions respect the beginnings of the measure of the shelter protection which has it’s exceptional character in last instance and temporary. It is necessary to effect the rights of the adolescents and their families for their worthily care and protection, offering them what is necessary for their powerful growth. It is no longer a need for the adolescents to be in a vulnerability situation to have access to basic rights such as a family and community conviviality.
Descrição: RIBEIRO, Janille Maria Lima. Laços afetivos que (des)ligam famílias, adolescentes e abrigo. 2008. 172 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal do Ceará, Departamento de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Fortaleza-CE, 2008.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2320
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2008_dis_JMLRibeiro.PDF1,98 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.