Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2353
Título: Estudo da atividade antiinflamatória e antinociceptiva da lectina isolada da alga marinha vermelha Hypnea cervicornis (J. Agardh)
Título em inglês: Study of antiinflammatory and antinociceptive activities of a lectin isolated from the red marine alga Hypnea cervicornis (J. Agardh)
Autor(es): Bitencourt, Flávio da Silveira
Orientador(es): Alencar , Nylane Maria Nunes de
Palavras-chave: Lectinas de Plantas
Antiinflamatórios
Data do documento: 2007
Citação: BITENCOURT, F. S. (2007)
Resumo: Lectinas são (glico)proteínas que podem reconhecer e se ligar reversivelmente a carboidratos ou a outras substâncias derivadas de açúcares. São encontradas nos reinos vegetal e animal. Hypnea cervicornis é uma espécie de alga marinha vermelha encontrada no nordeste do Brasil da qual foi isolada a lectina H. cervicornis aglutinina (HCA), um polipeptideo que contém 90 resíduos de aminoácidos (9193 Da) que se ligam especificamente a glicoproteínas do tipo mucina. O objetivo do presente trabalho foi estudar as atividades antiinflamatória e antinociceptiva, ainda não exploradas, da HCA. Foram utilizados camundongos Swiss albinos (20-35g) ou ratos Wistar (150-250g). Para o estudo da atividade antiinflamatória da HCA, os ratos foram injetados e.v. somente com a lectina nas doses de 10-2; 10-1; 1 e 10 mg/Kg (peritonite) ou a dose de 1 mg/Kg em associação com 5 mg/mL de mucina (1 mg/Kg). Após esse procedimento, os animais foram avaliados nos modelo de peritonite induzida Cg (quimiotático direto) ou por fMLP (quimiotático indireto). HCA (10-1; 1 e 10 mg/Kg) inibiu a peritonite induzida por Cg e por fMLP. Observamos que na peritonite induzida por Cg: A administração conjunta de HCA (1 mg/Kg) com mucina inibiu sua atividade antiinflamatória (p<0,05), sugerindo participação do sítio lectínico nesta atividade; o aquecimento de HCA a 100oC, por 10 minutos, inibiu seu efeito antiinflamatório, indicando a importância de sua estrutura; a microscopia intravital mostrou que a HCA (10 mg/Kg) reduziu o rolamento e adesão de leucócitos; a lectina induziu a produção de óxido nítrico (NO, reação de Griess) no soro; Aminoguanidina e L-Nitro-Arginina inibiram a atividade da HCA; HCA não reduziu as concentrações de citocinas TNF-α e IL-1 no peritônio. A pressão arterial e o leucograma dos animais não foram alterados pela administração de HCA. A lectina não age diretamente sobre neutrófilos, pois não inibiu a quimiotaxia in vitro induzida por agente quimiotático (MIP-2). No edema de pata induzido por Dextrana ou Cg, HCA (1 mg/Kg) inibiu significativamente (p<0,05) apenas o edema de pata induzido por Cg. O efeito antiedematogênico da HCA foi prevenido pela administração conjunta com mucina. HCA reduziu as contorções induzidas por ácido acético e seu efeito antinociceptivo foi prevenido pela administração conjunta com mucina. HCA diminuiu somente a segunda fase do teste da formalina. No teste da placa quente, HCA não apresentou efeito. A lectina também não alterou a atividade locomotora. A toxicidade sub-crônica foi avaliada pelo tratamento de ratos com HCA (1mg/kg), durante sete dias consecutivos, através de vários parâmetros: funções do rim (peso úmido, dosagem de creatinina e uréia) e do fígado (peso úmido, avaliação da cinética da aspartato amino transaminase e alanina amino transaminase), coração (peso úmido), estômago (peso úmido e avaliação visual de possíveis lesões), variação de massa corporal dos animais tratados e leucograma. Os resultados obtidos não mostraram qualquer alteração dos parâmetros avaliados, demonstrando que a HCA não apresenta nenhuma toxicidade nos animais. Em conjunto, esses dados revelam que a HCA apresenta atividade antiinflamatória e antinociceptiva que supostamente podem ser explicadas por bloqueio direto competitivo com carboidratos ligantes de selectinas e/ou indireto, via produção de NO, que diminuem o rolamento e adesão de leucócitos sobre o endotélio.
Abstract: Lectins are (glyco)proteins that can recognize and reversibly bind to carbohydrates or other substances derived from sugars. They are found throughout animal and vegetal kingdoms. Hypnea cervicornis is a species of marine red algae found in Northeast of Brazil from which was isolated the lectin Hypnea cervicornis aglutinin (HCA), a polypeptide containing 90 amino acid residues (9193 Da) that binds especifically to mucin-type glycoprotein. The objective of this work was to study the anti-inflammatory and anti-nociceptive activities of HCA not yet known. Albine Swiss mice (20-35g) and Wistar rats (150-250g) were used. For the study of HCA anti-inflammatory activity, the rats were injected (i.v.) with lectin alone in the doses of 10-2; 10-1; 1 e 10 mg/Kg (peritonitis) or a dose of 1 mg/Kg associated to 5 mg/mL of mucin (1 mg/Kg). Following this procedure, the animals were evaluated in the peritonitis model induced by Cg (direct neutrophil chemoatractant) or by fMLP (indirect neutrophil chemoatractant). HCA (10-1; 1 and 10 mg/Kg) inhibited Cg- and fMLP-induced peritonitis. In Cg-induced peritonitis it was observed that: the administration of HCA (1mg/Kg) in association with mucin inhibited its anti-inflammatory activity (p<0.05), suggesting the participation of the lectin site on this mechanism; heating HCA at 100oC, for 10 minutes, inhibited its anti-inflammatory effect, indicating the importance of its structure for that mechanism; the intravital microscopy showed that HCA reduced the rolling and adhesion of the leucocytes; the lectin induced the production of nitric oxide (NO Griess reaction) in serum; aminoguanidine and L-Nitro-arginin inhibited the HCA activity; HCA did not reduce the concentrations of TNF-α and IL-1 in the peritoneum. The arterial pressure and the leukogram of the animals were not altered by the administration of HCA. The lectin does not act directly on neutrophils because it did not inhibit the in vitro chemotaxis induced by MIP-2, a chemotactic agent. In the carragenan (Cg)- or dextran-induced paw edema, HCA (1 mg/Kg) inhibited significantly (p<0.05) only the Cg-induced paw edema. The antiedematogenic effect of HCA was prevented when it was administered in association with mucin. HCA reduced the writhes induced by acetic acid and its antinociceptive effect was prevented by the association with mucin. HCA only decreased the second phase of formalin test. In the hot plate, HCA did not show any effects. The lectin did not alter the motor coordination. The HCA subcronic toxicity was evaluated treating rats with a dose of 1mg/Kg during seven days and analys of several parameters: kidney functions (wet weight, creatinin and urea serum concentrations), liver functions (wet weight, kinetic of serum aspartate aminotransferase and alanine aminotransferase), heart (wet weight) stomach (wet weight and visual evaluation of possible lesions), variation of body weight of treated animals and leukogram. The results showed no alterations of the evaluated parameters suggesting that HCA seems to be well tolerated by animals. The results taken together reveal that HCA presents anti-inflammatory and nociceptive activities which could be explained by direct competitive blockage with a common selectin carbohydrate ligand and/or indirectly, via NO production, which decrease of rolling and adhesion of leukocytes to endothelium.
Descrição: BITENCOURT, Flávio da Silveira. Estudo da atividade antiinflamatória e antinociceptiva da lectina isolada da alga marinha vermelha Hypnea cervicornis (J. Agardh). 2007. 141 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortalezae, 2007.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2353
Aparece nas coleções:DFIFA - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2007_dis_fsbitencourt.pdf762,73 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.