Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2392
Título: Fortalecimento das pessoas com transtornos mentais: a experiência dos usuários do Movimento de Saúde Mental Comunitária do Bom Jardim
Título em inglês: Empowerment of people with mental disorders accompanied by the Movement for Mental Health Community in Bom Jardim
Autor(es): Carvalho, Maria Aparecida Alves Sobreira
Orientador(es): Ximenes, Verônica Morais
Palavras-chave: Reforma Psiquiátrica
Cuidado
Psychiatric Reform
Care
Avaliação de Serviços
Transtorno Mental
Empowerment
Doentes mentais – Cuidado e tratamento - Bom Jardim (Fortaleza,CE)
Evaluation of Services
Mental Disorders
Reforma do sistema de saúde - Brasil
Psiquiatria - Brasil
Serviços de saúde mental comunitária - Avaliação - Bom Jardim (Fortaleza,CE)
Movimento de Saúde Mental Comunitária do Bom Jardim
Data do documento: 2010
Editor: http://www.teses.ufc.br
Citação: Carvalho, M. A. A. S. ; Ximenes, V. M. (2010)
Resumo: Este estudo se inscreve no campo da avaliação qualitativa de serviços de saúde mental, tendo como objetivo compreender como as práticas de cuidado impactam no fortalecimento das pessoas com transtornos mentais acompanhadas pelo Movimento de Saúde Mental Comunitária do Bom Jardim em Fortaleza-Ce. Esta instituição é uma Organização Não-Governamental criada em 1996 pelos missionários combonianos e lideranças das Comunidades Eclesiais de Base, no município de Fortaleza-Ceará. Nesta experiência em saúde mental que nasce do movimento popular, emergem os questionamentos que norteiam esta investigação, pois encontro pessoas que entraram no Movimento com diagnóstico de transtorno mental e passaram do papel de usuário para o de cuidador. Para compreender esta mudança de lugar social no estatuto da loucura, utilizo os aportes da psicologia comunitária, Góis e Montero, e os pressupostos da Reforma Psiquiátrica brasileira, Amarante e Rotelli. Metodologicamente utilizo a perspectiva crítica da hermenêutica, em um estudo de caso do Movimento de Saúde Mental Comunitário do Bom Jardim. A aproximação do campo de pesquisa se deu no período de agosto de 2009 a março de 2010 e a aplicação das técnicas de pesquisa ocorreu nos meses de junho e julho de 2010. Os participantes da pesquisa foram 8 pessoas que entraram no Movimento com diagnóstico de transtorno mental e passaram para o papel de cuidadores e o presidente do Movimento de Saúde Mental Comunitária do Bom Jardim. Utilizei como técnicas de pesquisa o grupo focal, entrevista em profundidade e entrevistas mediadas pela autofotografia. Após a produção e transcrição dos dados, foi construída uma rede interpretativa com dois temas, fortalecimento das pessoas com transtorno mental e cuidado. Os resultados apontam que a participação das pessoas com transtornos mentais em uma diversidade de atividades de cuidado do Movimento favorecem o fortalecimento, ocorrendo a mudança das crenças sobre si mesmo, sobre o mundo, experimentando a coragem de fazer diferente, superando atitudes fatalistas que promovem a passividade, acomodação e desqualificação. Há o resgate do valor pessoal e poder pessoal, o desenvolvimento do sentimento de pertença à comunidade e a capacidade de refletir e agir sobre a realidade. O Movimento apresenta características inovadoras no cuidado em saúde mental, quando inaugura um novo espaço social para a loucura, por meio do voluntariado. No desenvolvimento desta atividade são diminuídos os sentimentos de isolamento, solidão, anomia e alienação, favorecendo novos espaços de trocas na comunidade. Outra característica inovadora no cuidado em saúde mental é a dimensão espiritual reconhecida no Movimento como uma ligação com o transcendente, em uma vivência mais livre da institucionalização, ligada aos processos de desenvolvimento pessoal, mediados pela profunda implicação com o Outro e com o desenvolvimento comunitário.
Abstract: This study falls within the field of qualitative assessment of mental health services, aiming to understand how care practices impact on the empowerment of people with mental disorders accompanied by the Movement for Mental Health Community in Bom Jardim. This institution is an NGO established in 1996 by the Comboni Missionaries and leaders of the Basic Ecclesial Communities, in Fortaleza-Ce. During this experiment in mental health, which comes from the popular movement, I met people who took part in the movement with a diagnosis of mental disorder, who are now caretakers. To understand this change in the social status of madness, I used the contributions from the community psychology, Gois and Montero, and the assumptions of the Brazilian Psychiatric Reform, Amarante and Rotelli. The methodology used was the perspective of hermeneutics in a critical case study of the Community Mental Health Movement in Bom Jardim. The field study took place from August 2009 to March 2010 and the application of the instruments occurred during June and July 2010. The participants were eight people who took part in the movement with a diagnosis of mental disorder, and now work as caretakers, as well as the president of the Community Mental Health Movement in Bom Jardim. The instruments used were focus groups, depth interviews and interviews mediated by the autodescriptions. After the production and transcription of data, an interpretive network was constructed. It concerned two issues: empowerment of people with mental illness and caretaking. The results indicate that the participation of people with mental disorders in a variety of caretaking activities favor the strengthening of the movement, leading to a change in beliefs about oneself and the world, experiencing the courage to do things differently, overcoming fatalistic attitudes that promote passivity, accommodation and disqualification. There is the rescue of personal worth and personal power, developing a sense of community ownership and ability to reflect and act upon reality. The Movement presents innovative features in mental health care when it starts a new social space for madness, through volunteering. The development of this activity decreases isolation, loneliness, alienation and anomie, promoting new areas of trade in the community. Another innovative feature in mental health care is recognized in the spiritual dimension of the movement as a link with the transcendent, in a freer experience of institutionalization, linked to the process of personal development, mediated by the deep involvement with the Other and to community development.
Descrição: CARVALHO , Maria Aparecida Alves Sobreira . Fortalecimento das pessoas com transtornos mentais: a experiência dos usuários do Movimento de Saúde Mental Comunitária do Bom Jardim. 2010. 127 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal do Ceará, Departamento de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Fortaleza-CE, 2010.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2392
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2010_dis_MAASCarvalho.PDF2,55 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.