Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2608
Título: Avaliação do efeito neuroprotetor da Pentoxifilina em modelos de convulsão induzidos por Pilocarpina e Pentilenotetrazol em ratos
Autor(es): Siqueira, Rafaelly Maria Pinheiro
Orientador(es): Viana , Glauce Socorro de Barros
Palavras-chave: Pentilenotetrazol
Pilocarpina
Epilepsia
Data do documento: 2011
Citação: SIQUEIRA, R. M. P. (2011)
Resumo: A Epilepsia é considerada um dos mais importantes distúrbios cerebrais em todo o mundo e apresenta uma taxa de prevalência de 5%. A Pilocarpina (P400) é um agonista colinérgico que se caracteriza por induzir convulsões que evoluem para status epilépticus, similar à epilepsia do lobo temporal humana. O Pentilenotetrazol (PTZ) é um antagonista de GABA que mimetiza convulsões do pequeno-mal (crise de ausência) e do tipo tônico-clônico em humanos. Neste presente trabalho avaliamos a possível ação neuroprotetora da Pentoxifilina (PTX), uma xantina, nas convulsões induzidas pela P400 (400mg/kg, i.p.) e PTZ (80mg/Kg, i.p.) em ratos Wistar machos adultos (180 - 220g), na presença ou ausência de PTX (25 e 50mg/kg) administrada por via oral uma única vez 1 h antes da indução da convulsão. Após a aplicação do PTZ80 foi observada a presença de convulsões tônico-clônica. Após a injeção de P400 foram observados os sinais colinérgicos periféricos, as latências de 1° convulsão e taxa de sobrevida em 24 h. Foram determinadas as concentrações de aminoácidos no córtex frontal, temporal, hipocampo e corpo estriado e as concentrações de aminas no corpo estriado através de HPLC com detecção eletroquímica e as alterações glicêmicas na fase aguda do processo convulsivo. Os resultados mostraram que a pentoxifilina não alterou os sinais colinérgicos periféricos, contudo na dose de 25mg/Kg aumentou a latência decorrida para a primeira convulsão em 18% quando comparada ao grupo P400 e aumentou a latência decorrida para a primeira convulsão (151,8% e 273,5%) nas doses de 25 e 50mg/Kg respectivamente em relação ao grupo PTZ80. A taxa de sobrevida aumentou em 32% em ambas as doses de PTX quando comparado ao grupo controle P400 e em 36% e 71%, respectivamente, quando comparada ao grupo controle PTZ80. No córtex frontal, houve uma redução significativa nos níveis de glutamato nos grupos pré-tratados com pentoxifilina. Redução de 86,4% e 76,2% (25 e 50mg/Kg de PTX) em relação ao grupo P400. Os níveis de GABA reduziram 33,3% e 21,8%. No córtex temporal houve redução de 56,6% e 54,8% nos níveis de aspartato nos grupos tratados com PTX (25 e 50mg/Kg respectivamente). Os níveis de glutamato reduziram 78,2% e 59,2% nas doses testadas respectivamente. Os níveis de GABA aumentaram 28% na dose de 50mg/Kg de PTX. No hipocampo, os níveis de aspartato aumentaram 199,6% na dose de 25mg/Kg. Os níveis de GABA aumentaram 511% e 180,9% nos grupos tratados com PTX (25 e 50mg/Kg respectivamente). No corpo estriado, os níveis de glutamato reduziram 74,3% e 79,4% nos grupos tratados (PTX 25 e 50mg/Kg respectivamente). Os níveis de GABA reduziram 65,6% e 74%. No corpo estriado, os níveis de dopamina aumentaram 416,5% no grupo pré-tratado com pentoxifilina na dose de 25mg/Kg. Os níveis de DOPAC reduziram 48% no PTX 25mg/Kg. Os níveis de serotonina aumentaram 229,5% no PTX 25mg/Kg. Todos os aminoácidos e aminas foram quantificados no modelo de convulsão por pilocarpina. Houve um acentuado aumento nos níveis glicêmicos em 274,9% no grupo P400, em relação ao grupo Normal e os grupos pré-tratados com pentoxifilina que em ambas as doses mantiveram os níveis glicêmicos próximos do grupo normal. Em conclusão, mostramos que a pentoxifilina aumentou significativamente a latência de convulsões em ambos os modelos de indução utilizados. A neuroproteção da pentoxifilina pode estar relacionada com redução dos níveis de aminoácidos excitatórios e aumento de aminoácidos inibitórios em diferentes áreas cerebrais envolvidas com início, propagação e manutenção da epilepsia. A manutenção dos níveis glicêmicos próximos dos normais pode estar possivelmente relacionada com efeitos neuroprotetores da pentoxifilina.
Abstract: Epilepsy is considered one of the most important brain diseases in all whole world and its prevalence reaches 5%. Pilocarpine (P400) is a cholinergic agonist which is characterized by its capacity to induce seizures that evolutes to status epilepticus similar to human temporal lobus epilepsy. Pentylenetetrazole is a GABA antagonist that imitates the absence seizures and tonic-clonic seizures in humans. In this study it was evaluated the neuroprotective properties of Pentoxifylline, a xantin, on the seizures induced by P400 (400mg/kg, i.p.) and PTZ (80 mg/Kg, i.p.) in male Wistar rats (180 – 200g) in the presence or absence of PTX (25 and 50 mg/kg) administered orally 1 h before seizures induction. After PTZ80 injection it was observed the presence of tonic-clonic seizures. After P400 injection we observed peripheral cholinergic signals, 1st seizure latency and survival index. It was also determined the levels of amino acids in the frontal cortex, temporal lobus, hippocampus and striatum as well as the levels of amines in the striatum through HPLC associated to electrochemical detection. The glicemic levels were determined during the acute phase of seizures process. The results show that pentoxifylline does not alter the peripheral cholinergic signals, nevertheless it increases the 1st seizure latency at the dose of 25 mg/kg in 18% when compared to P400 and increases the same parameter (151.8% and 273.5%) at the doses of 25 mg/kg and 50 mg/kg, respectively, when compared to PTZ80. The survival index increased 32% to both doses when compared to P400 and 36% and 71%, respectively when compared to PTZ80. In the frontal cortex it was observed a significative reduction of glutamate at the groups treated with pentoxifilin. Reduction of 86.4% and 76.2% (25 and 50mg/kg PTX) in relation to P400. The levels of GABA reduced 33.3% and 21.8%. In the temporal cortex reduction of 56.6% and 54.8% on the levels of aspartate PTX (25 and 50mg/kg, respectively). The levels of glutamate reduced 78.2% and 59.2% at the tested doses, respectively. The levels of GABA increased 28% at the dose of 50 mg/kg. On the hippocampus aspartate increased 199.6% at the dose of 25 mg/kg. The levels of GABA increased 511% and 180.9% PTX (25 e 50mg/Kg, respectively). In the striatum glutamate reduced with both tested doses 74.3% and 79.4%. GABA reduced 65.6% and 74%. In the striatum dopamine increased 416.5% at the dose of 25 mg/kg. The levels of DOPAC reduced 48% at the same dose. Serotonin increased 229.5%. All amino acids and amines were quantified in the model of pilocarpine induced seizures. It was observed a markedly increase at the glicemic levels at the groups P400 when compared to Normal group and PTX pretreated groups which have by the way kept glicemic levels similar to normal rats. In conclusion we showed that pentoxifilin significantly increases the 1st seizure latency at both tested models. Pentoxifylline neuroprotection may be related to reduction on the levels of excitatory amino acids and increase in the levels of inhibitory amino acids at different parts of the brain involved in the start, propagation and maintenance of epilepsy. Keeping the glicemic levels similar to the normal could be involved in the neuroprotection induced by pentoxifylline.
Descrição: SIQUEIRA, Rafaelly Maria Pinheiro. Avaliação do efeito neuroprotetor da pentoxifilina em modelos de convulsão induzidos por pilocarpina e pentilenotetrazol em ratos. 2011. 175 f. Dissertação (Mestrado em Farmacologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina,, Fortaleza, 2011.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2608
Aparece nas coleções:DFIFA - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2011_dis_rmpsiqueira.pdf1,71 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.