Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2642
Título: Avaliação das alterações hematológicas, bioquímicas e genotóxicas nos trabalhadores expostos à agrotóxicos em municípios do estado do Piauí
Título em inglês: Evaluation of hematologic, biochemical and genotoxic effects in workers exposed to pesticide in municipalities of Piauí
Autor(es): Rodrigues, Vera Regina Cavalcante Barros
Orientador(es): Moraes , Maria Elisabete Amaral de
Palavras-chave: Praguicidas
Saúde do Trabalhador
Biomarcadores Farmacológicos
Data do documento: 2011
Citação: RODRIGUES, V. R. C. B. (2011)
Resumo: A utilização de agrotóxicos na agricultura elevou rapidamente seu consumo, especialmente de forma indiscriminada, sendo o Brasil um dos maiores mercados, representando 16% da venda mundial. No Piauí, a expansão agrícola na região dos cerrados contribuiu para o aumento do seu uso, expondo os agricultores a danos ao DNA. O objetivo desse estudo foi avaliar os efeitos tóxicos e genotóxicos nos agricultores piauienses expostos aos agrotóxicos, com o uso de biomarcadores hematológicos, bioquímicos e genotóxicos. A população estudada consistiu de 60 trabalhadores expostos aos agrotóxicos dos municípios de Barras e José de Freitas e 55 indivíduos controle, sem história de exposição a agroquímicos. Para caracterização da população foi aplicado questionário sócio epidemiológico, de acordo com a International Commission for Protection Against Environmental Mutagens and Carcinogens-ICPEMC. Foram coletados 10 mL de sangue periférico para realização das análises hematológicas, bioquímicas e ensaio cometa, que foram processadas pelo LACEN-PI. A média de idade foi de 34 anos, de etnia negra, na maioria, com tempo de trabalho, em média de 13,55 anos, carga horária de 41,5 horas semanais e 50% dos trabalhadores utilizavam pelo menos um tipo de EPI. Quanto aos hábitos de vida, 66,7% dos trabalhadores expostos informou não consumir vegetais, 41,7 % eram fumantes e 73,3% consumiam bebidas alcoólicas. Do total do grupo exposto, 33,3% usava medicamentos prescritos e 66,7% usava medicamentos não prescritos. No estudo foi evidenciado maior uso na agricultura de herbicidas (81,1%) e inseticidas (16,3%). No grupo dos trabalhadores expostos, 55% apresentaram leucopenia e 6,7% apresentaram diminuição na contagem de células vermelhas. Foram evidenciadas alterações na creatinina plasmática (p < 0,05); nas transaminases e fosfatase alcalina (p< 0,01) quando comparado o grupo exposto com o não exposto. Nos resultados do ensaio cometa, o grupo exposto apresentou, em relação ao grupo não exposto, uma média de (32,13 vs 10,12) de índice de dano, e frequência do dano (21,82 vs 9,38), respectivamente. Na classe 1, a genotoxicidade observada foi de 17% para os expostos e 9% para os não expostos. Não houve significância entre os danos no DNA em relação às variáveis: tempo de trabalho, não uso de EPI, hábito de fumar, consumo de álcool e não consumo de vegetais. Conclui-se que os trabalhadores expostos a agrotóxicos apresentaram alterações enzimáticas, hematológicas (leucopenia) e instabilidade genética, avaliados por parâmetros bioquímicos e genotóxicos, demonstrando assim a importância do biomonitoramento dos trabalhadores como uma estratégia de vigilância em saúde do trabalhador no Estado do Piauí.
Abstract: The use of pesticides in agriculture rapidly increased their consumption, especially indiscriminate consumption, being Brazil currently the largest market for pesticide in the world, representing 16% of worldwide sales. In the state of Piauí, the agricultural expansion in the region of Cerrado contributed to their increased use, exposing farm workers to damages to the DNA. The purpose of this study was to evaluate the toxic and genotoxic effects in farm workers exposed to pesticides in Piauí, with the use of hematologic, biochemical and genotoxic biomarkers. The population in analysis consisted of 60 farm workers from the municipalities of Barras and José de Freitas occupationally exposed to pesticides and 55 control individuals with no history of exposure to agrochemicals. To obtain the characteristics of the population, a social-epidemiological questionnaire was applied, recommended by International Commission for Protection Against Environmental Mutagens and Carcinogens-ICPEMC. 10 mL of peripheral blood were collected for haematological, biochemical and comet assay analyses, all of which were processed by LACEN-PI. The mean age was 34 years, of black ethnicity, mostly with an average of 13.55 years of work, workload of 41.5 weekly hours and 50% of workers used at least one type of PPE. In what concerns lifestyle, 66.7% of the exposed workers said they did not consume vegetables, 41.7% were smokers and 73.3% consumed alcohol. Of the total of the exposed group, 33.3% used prescribed medication and 66.7% used non-prescribed medication. In the study, it was evidenced a higher use of herbicides (81.1%) and insecticides (16.3%) in agriculture. In the group of exposed workers, 55% had leucopenia and 6.7% showed a decrease in the red blood cell count. It was found variation in plasmatic creatinine (p < 0.05); in liver enzymes and alkaline phosphatise (p < 0.01) when comparing the exposed and the non-exposed groups. In the results of the comet assay, the exposed group showed, in comparison with the non-exposed group, a mean of (32.13 vs. 10.12) of damage index and damage frequency of (21.82 vs. 9.38), respectively. In class 1, the genotoxicity observed was 17% for the exposed and 9% for the non-exposed. There was no significance between DNA damage and the following variables: workload, non-use of PPE, smoking, consumption of alcohol and non-consumption of vegetables. We concluded that workers exposed to pesticides presented toxic variations and genetic instability, which was evidenced by enzymatic variation and damages to the DNA, which thus demonstrates the importance of biomonitoring of workers as a strategy of occupational health surveillance in the state of Piauí.
Descrição: RODRIGUES, Vera Regina Cavalcante Barros. Avaliação das alterações hematológicas, bioquímicas e genotóxicas nos trabalhadores expostos a agrotóxicos em municípios do estado do Piauí. 2011. 138 f. Dissertação (Mestrado em Farmacologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2011.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2642
Aparece nas coleções:DFIFA - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2011_dis_vrcbrodrigues.pdf2,47 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.