Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/27068
Title in Portuguese: Determinantes da estrutura de capital: evidências na América Latina
Author: Pinheiro, Bruno Goes
Advisor(s): Crisóstomo, Vicente Lima
Keywords: Administração financeira - América Latina
Sociedades comerciais - Finanças
Issue Date: 2017
Citation: PINHEIRO, Bruno Goes. Determinantes da estrutura de capital: evidências na América Latina. 2017. 86 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Ceará, Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade, Programa de Pós-Graduação em Administração e Controladoria, Fortaleza-CE, 2017.
Abstract in Portuguese: A Teoria moderna da estrutura de capital tem como marco inicial as proposições que sugerem que, sob algumas condições de mercado perfeito, a estrutura de capital é irrelevante para o valor da empresa. Entretanto, sob distintas proposições teóricas, Trade-off, Pecking order, Agência e Market timing, vários fatores têm sido propostos como capazes de influenciar a estrutura de capital da empresa. O estudo objetiva identificar os determinantes da estrutura de capital da empresa latino-americana, seguindo vasta literatura que aponta a importância do tema em mercados em desenvolvimento. A amostra compreende 885 empresas não financeiras listadas em bolsa no período 1996-2015. Foram realizadas análises descritivas e estimados modelos econométricos considerando endividamento e emissão de ação como variáveis dependentes. Os resultados indicam que concentração de propriedade não afeta o endividamento destas empresas. A análise individual da concentração de propriedade de cada país sinaliza efeitos contrários em diferentes mercados, o que indica a existência de aspectos institucionais específicos que são capazes de afetar os custos de agência relativos ao acesso à dívida. Os resultados sinalizam efeito adverso da concentração de propriedade sobre emissão de ação de empresas latino-americanas, que pode ser explicado pelo possível receio de perda de controle por grandes acionistas, como também dificuldade de captação de fundos por emissão de ações nestes mercados nos quais acionistas minoritários são ainda pouco protegidos. A rentabilidade apresentou efeito negativo sobre endividamento e emissão de ação, sendo indicação de que a empresa latino-americana estaria utilizando lucro retido para financiar-se, o que está de acordo com a teoria Pecking order. O tamanho da empresa favorece acesso à dívida e à capacidade de emissão de ação como esperado, possivelmente devido ao histórico e reputação da empresa. Adicionalmente, o grau de tangibilidade dos ativos também favorece a contratação de dívida como proposto na literatura. Por outro lado, a tangibilidade é desfavorável à emissão de ação, sinalizando que de fato estas empresas preferem dívida a emitir ações. Por fim, os resultados indicam que as oportunidades de crescimento destas empresas são fatores que propiciam tanto a emissão de dívida, como de ações. Este resultado sinaliza que este coletivo de empresas está realmente tentando suprir sua necessidade de fundos para financiar seus projetos de investimento com emissão de dívida ou de ações na insuficiência de fluxo de caixa suficiente.
Abstract: The modern theory of capital structure has as its starting point the propositions that suggest that, under some perfect market conditions, the capital structure is irrelevant to the value of the firm. However, under different theoretical propositions, Trade-off, Pecking order, Agency and Market timing, several factors have been proposed as capable of influencing the capital structure of the firm. The study aims to identify the determinants of the capital structure of the Latin American firm, following a large literature that points out the importance of the subject in developing markets. The sample comprises 885 listed firms in the period 1996-2015. Descriptive analyzes and estimated econometric models were performed considering leverage and the stock issue as dependent variables. The results indicate that the ownership concentration does not affect the leverage of these firms. The individual analysis of the ownership concentration of each country signals opposite effects in different markets, indicating the existence of specific institutional aspects that are capable of affecting agency costs related to access to debt. The results point to an adverse effect of the ownership concentration on the stock issue of Latin American firms, which can be explained by a possible fear of loss of control by large shareholders, as well as difficulty in raising funds by stock issue in these companies markets in which minority shareholders are still poorly protected. Profitability had a negative effect on debt and stock issue, an indication that the Latin American firm would be using retained earnings to finance itself, which is in accordance with the Pecking order theory. The size of the firm favors access to debt and the ability to stock issue as expected, possibly due to the company's history and reputation. In addition, the degree of tangibility of the assets also favors the contracting of debt as proposed in the literature. On the other hand, tangibility is unfavorable to the stock issue, signaling that in fact these firms prefer debt to stock issue. Finally, the results indicate that the growth opportunities of these firms are factors that allow both debt issue and stock issue. This result signals that this group of firms is really trying to meet their need for funds to finance their investment projects with debt or stock issue in insufficient cash flow.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/27068
Appears in Collections:PPAC - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2017_dis_bgpinheiro.pdf1,72 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.