Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2908
Título: O riso diabólico residual n’As Pelejas de Ojuara: o homem que desafiou o diabo
Autor(es): Gomes, Carolina de Aquino
Orientador(es): Martins, Elizabeth Dias
Palavras-chave: Literatura Comparada
Diabo
Riso
Residualidade
Hibridação Cultural
Castro,Nei Leandro de,1940- .As Pelejas de Ojuara:O Homem que Desafiou o Diabo - Crítica e Interpretação
Teoria da Residualidade(Literatura)
Demônio na Literatura
Riso na Literatura
Pecado na Literatura
Literatura Medieval
Diable
Rire
Résidualité
Hybridation Culturel
Data do documento: 2011
Editor: http://www.teses.ufc.br:
Citação: GOMES, C. A. ; MARTINS, E. D. (2011)
Resumo: O presente estudo, vinculado à linha de pesquisa Literatura Regional, tem como objetivos verificar como a Idade Média pensava o riso relacionado ao pecado e ao Diabo, e investigar a remanescência dessa mentalidade e de crenças populares medievais no romance As Pelejas de Ojuara: o homem que desafiou o Diabo, de Nei Leandro de Castro, e na literatura popular contemporânea em verso. Para identificarmos como o imaginário e a mentalidade medieval, no tocante às crenças no Inferno e no Diabo, estão presentes em forma de resíduos na cultura popular nordestina representada no romance, utilizamos o arcabouço teórico-metodológico da Teoria da Residualidade, desenvolvido por Roberto Pontes. Esse método investigativo está certificado junto à Universidade Federal do Ceará e ao Diretório de Pesquisa do CNPq, sob o título Estudos de Residualidade Cultural e Literária, e vem sendo aplicado e desenvolvido em diversos trabalhos acadêmicos, como: teses, dissertações, artigos publicados em periódicos, palestras e comunicações orais. O sistematizador da Teoria da Residualidade aponta quatro conceitos essenciais para a sua compreensão, a partir do grau de relevância que cada definição exerce dentro da teoria. São eles, respectivamente: residualidade, cristalização, mentalidade e hibridismo cultural, os quais nos ajudaram a compreender como o riso é relacionado ao Diabo atualmente através da literatura popular em verso e em obras da literatura erudita que se baseiam em preceitos populares, como é o caso de As Pelejas de Ojuara: o homem que desafiou o Diabo. Este trabalho divide-se em três momentos: o primeiro, no qual discorremos sobre a origem do Mal e a do Diabo, como se deu a formação da imagem do Demônio desde a Antiguidade Clássica e sua consolidação na Idade Média; em seguida, a representação do Diabo no imaginário sertanejo nordestino, com base nas crenças populares representadas no romance, ressaltando o hibridismo cultural que envolve essa entidade diabólica; e, por fim, verificamos a derrisão e o escarnecimento do Diabo, pois o riso é utilizado como arma contra o medo do Inferno e do Demônio, através do cômico, do grotesco e do obsceno. Para essa análise destacamos aspectos referentes ao Diabo na Bíblia Sagrada, em documentos e em estudos históricos e culturais a respeito das crenças populares europeias medievais e nordestinas contemporâneas, assim como há em cordéis do Ciclo do Demônio Logrado, representações pictóricas do Príncipe das Trevas e estudos relacionados ao riso na Idade Média, no Renascimento e na contemporaneidade. Compreende-se a presença de resíduos culturais dos valores e crenças europeias medievais no universo do sertanejo nordestino, principalmente do norte-rio-grandense, a fim de tornar evidente a hibridação cultural que percebemos na leitura do romance de Nei Leandro de Castro.
Descrição: GOMES, Carolina de Aquino, O Riso diabólico residual n’ As pelejas de Ojuara: o homem que desafiou o diabo. 2011. 215 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal do Ceará, Departamento de Literatura, Programa de Pós-Graduação em Letras, Fortaleza-CE, 2011.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2908
Aparece nas coleções:PPGLE- Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2011_DIS_CAGOMES.pdf2,83 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.