Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/31017
Title in Portuguese: Estrutura de capital e concentração de propriedade: um estudo da empresa brasileira
Author: Pinheiro, Bruno Goes
Advisor(s): Crisóstomo, Vicente Lima
Keywords: Empresas
Infraestrutura (Economia)
Issue Date: 2014
Citation: PINHEIRO, Bruno Goes. Estrutura de capital e concentração de propriedade: um estudo da empresa brasileira. 2014. TCC (graduação em Ciências Contábeis) - Universidade Federal do Ceará, Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade, Fortaleza-CE, 2014.
Abstract in Portuguese: De acordo com a teoria de Modigliani e Miller é irrelevante a forma de financiamento para o valor da empresa de modo que seria indiferente para a empresa a decisão sobre a fonte de financiamento. Entretanto, a literatura tem proposto teorias e documentado evidência de fatores que interferem nesta escolha. Neste arcabouço de pesquisa, estão as teorias Trade-off, Pecking order, Custos de agência e Market timing. Sob o marco teórico da Teoria da Agência, prevê-se que os Custos de agência são capazes de interferir na decisão sobre a forma de financiamento. O objetivo deste trabalho é analisar os possíveis fatores determinantes da estrutura de capital da empresa brasileira, sob distintos enfoques teóricos, com foco nas proposições associadas aos Custos de agência. O trabalho analisa o efeito da estrutura de propriedade, especificamente da concentração propriedade, sobre a estrutura de capital. Sob este arcabouço teórico, hipotetiza-se que acionistas controladores podem fazer uso da política de endividamento como instrumento de monitoramento da direção executiva, como também forma de financiamento preferencial para evitar ameaça ao poder de controle com a emissão de ações. A estimação de modelos explicativos da estrutura de capital foi realizada por mínimos quadrados ordinários (OLS), mínimos quadrados generalizados para dados em painel (XTGLS) e método generalizado de momentos (GMM). Para uma amostra de 2.324 observações anuais de 266 empresas listadas na BOVESPA, no período de 1996 a 2012. Os resultados indicam que, de fato, a concentração de propriedade tem uma influência positiva forte sobre o endividamento. Quando é analisado o efeito quadrático da concentração de propriedade, verifica-se uma relação negativa quadrática entre concentração de propriedade e capacidade de endividamento da empresa. Esta relação indica que a concentração tem um efeito positivo até certo ponto limite, quando, a partir de então, o excesso de concentração tem um efeito adverso sobre a capacidade de financiamento externo da empresa, provavelmente devido a problemas de assimetria informativa, e de custos de falência. Adicionalmente, é destacado o forte efeito positivo do tamanho da empresa, da oportunidade de investimento e do grau de tangibilidade dos ativos sobre a capacidade de endividamento, conforme previsto teoricamente. Por outro lado, a rentabilidade apresenta efeito negativo sobre o endividamento, sendo uma indicação de que a empresa brasileira está utilizando lucro retido para financiar-se o que está de acordo com a teoria Pecking order.
Abstract: According to the theory of Modigliani and Miller's irrelevant how to finance the value of the company so that the company would be indifferent to the decision on the funding source. However, the literature has proposed theories and documented evidence of factors affecting this choice. In this framework of research are theories Trade-off, Pecking order, Agency costs and timing Market. In the theoretical framework of the Theory of Agency, is expected that agency costs are likely to interfere in the decision on how to finance. The objective of this paper is to analyze the possible determinants of capital structure of Brazilian company, under different theoretical approaches, focusing on propositions associated with agency costs. This study examines the effect of ownership structure, specifically the ownership concentration on capital structure. Under this theoretical framework hypothesized that controlling shareholders can make use of debt policy as an instrument for monitoring the executive management, as well as form of preferential financing to avoid the threat of power control with the issuing of shares. The estimation of explanatory models of capital structure was performed by ordinary least squares (OLS), generalized least squares for data in panel (XTGLS) and generalized method of moments (GMM). For a sample of 2.324 annual observations of 266 companies listed on the BOVESPA, from 1996 to 2012. The results indicate that, in fact, the ownership concentration has a strong positive influence on leverage. When we analyze the quadratic effect of ownership concentration, there is a negative quadratic relationship between ownership concentration and debt capacity of the company. This relationship indicates that concentration has a positive effect to some extent limit when, thereafter, the excess concentration has an adverse effect on the ability of external finance company, probably due to problems of information asymmetry and cost bankruptcy. Additionally, it highlighted the strong positive effect of firm size, investment opportunity and the degree of asset tangibility on debt capacity, as predicted theoretically. On the other hand, profitability has a negative effect on the debt, being an indication that the Brazilian company is using retained earnings to fund itself which is in agreement with the theory Pecking order.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/31017
metadata.dc.type: TCC
Appears in Collections:CIÊNCIAS CONTÁBEIS - Monografias

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2014_tcc_bgpinheiro.pdf2,57 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.