Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/31948
Título: Adoção do CPC PME e conhecimento do padrão IFRS for SME: percepção dos agentes
Autor(es): Arruda, Amanda Thássya Ferreira Félix Pompeu
Orientador(es): Coelho, Antonio Carlos Dias
Palavras-chave: CPC
Padrão Contábil
Contabilidade - Normas
Indicadores contábeis
Informações contábeis
Data do documento: 2016
Citação: ARRUDA, A. T. F. P. (2016)
Resumo: Este trabalho investigou a percepção de contadores, de empresários e de gestores quanto aos fatores que os impulsionaram a conhecer e concordar com o IFRS for SME e à decisão por adotar ou não tal padrão contábil em pequenas e médias empresas brasileiras com relação à norma CPC PME. A literatura contábil tem se dedicado a tratar de diversos aspectos da adoção de padrão contábil internacional (IFRS) dirigido a orientar práticas contábeis específicas para empresas de capital fechado, conceituadas como Pequena e Média Empresa (PME). Dada a variedade de percepções quanto à obrigatoriedade, legalidade, benefícios e custos decorrentes da implantação desse novo padrão contábil e considerando a decisão por parte do empresário e do contador em adotar ou não tais normas, a pesquisa diferencia-se pela abordagem positiva, com cerne na utilidade da informação contábil, intentando para os fatores associados à decisão quanto à adoção do padrão IFRS for SME. Os dados que permitiram tal estudo foram coletados por intermédio de questionários destinados a contadores e empresários de pequenas e médias empresas, totalizando 142 e 102 respondentes respectivamente. As respostas foram analisadas mediante análise de cluster; relação com tabulação cruzada e análise multivariada não paramétrica denominada CHI-SQUARED AUTOMATIC INTERACTION DETECTION (CHAID). Os achados da pesquisa permitiram relacionar os fatores influenciadores ou impeditivos na decisão por conhecer e adotar o CPC PME. No que tange à percepção dos contadores, identificou-se como características associadas à concordância e à adoção dos preceitos do CPC PME, a formação profissional e o enquadramento das PME no Simples Nacional. Ainda na percepção de contadores, os fatores que influenciam positiva ou negativamente a concordância com o CPC PME foram o reforço para obtenção de crédito e/ou redução de custos financeiros; a obtenção de vantagem competitiva; a exigência por parte do proprietário/gestor; a baixa capacitação por falta de treinamentos e o aumento nos gastos com os serviços contábeis; para a adoção da norma, os fatores incentivadores ou impeditivos foram a contribuição para expansão de negócios da empresa; a exigência por parte do proprietário/gestor; a obtenção de vantagem competitiva; o reforço para obtenção de crédito e/ou redução de custos financeiros e a prioridade em atender o Fisco. Na percepção dos empresários, o responsável pela firma e sua escolaridade; a quantidade de filiais da empresa; o setor e o mercado de atuação; o faturamento da empresa; a destinação da informação contábil; o enquadramento da PME no Simples Nacional e a execução da contabilidade se apresentaram como características associadas significativamente com o conhecimento sobre o CPC PME. Com relação à adoção, de todas as características já citadas, apenas a quantidade de filiais da empresa não apresentou relação significativa. Quanto aos fatores que influenciam no conhecimento do CPC PME, na percepção dos empresários, apurou-se apenas fatores impeditivos, dos quais a ausência de interesse por parte da empresa; a prioridade em atender o Fisco; e a ausência de interesse por parte do contador, bem como na análise dos fatores com relação à adoção, a ausência de interesse por parte da empresa e a expansão dos negócios surgem como determinantes da adoção ou não do normativo. Destaca-se que a prioridade em atender o Fisco; a expansão dos negócios da empresa e a formação profissional/acadêmica são os fatores e características que predominam na relação com o conhecimento/concordância e com a adoção. Esses resultados corroboram os estudos de Menezes et al (2014), Masera e Orth (2012), Pinto, Costa e Santos (2015), Mandilas, Nikolaisdis e Valsamidis (2010), Antunes, Grecco e Formigoni (2012) e Santos (2011). Ademais, ressalta-se a baixa concordância/conhecimento e baixa adoção do CPC PME por parte dos agentes (contadores e empresários), permitindo confirmar a hipótese de que tais características e fatores apontados contribuem para a baixa aceitação e adoção do CPC PME. Ressalta-se ainda que a adoção caminha na mesma direção que o conhecimento/concordância sobre o padrão IFRS for SME, na percepção de ambos os agentes.
Abstract: This study investigated the perception of accountants, entrepreneurs and managers regarding factors that boosted know and agree with the IFRS for SME and the decision to adopt or not this accounting standard for small and medium Brazilian companies regarding the adoption of the standard CPC PME. The accounting literature has been devoted to dealing with various aspects of international accounting standards for adoption (IFRS) for guiding specific accounting practices for private companies, renowned as Small and Medium Enterprises (SMEs). Given the variety of perceptions about the requirement, legality, benefits and costs of implementing this new accounting standards and considering the decision by the manager and the accountant to adopt or not such rules, the survey differs from the positive approach, with heart the use of accounting information, attempting to factors associated with the decision on the adoption of IFRS for SME.The data that allowed this study were collected through questionnaires intended for accountants and entrepreneurs of small and medium enterprises, totaling 142 and 102 respondents respectively. Responses were analyzed by cluster analysis; relation with crosstab and multivariate nonparametric called CHI-SQUARED AUTOMATIC INTERACTION DETECTION (CHAID). The findings allowed to relate the influencers or impeding factors in the decision to know and adopt the CPC PME. Regarding the perception of accountants, it has been identified as characteristics associated with agreement and the adoption of the provisions of the CPC PME, vocational training and the environment for SMEs in th National Simple. Even the perception of accountants, the factors that influence positively or negatively the agreement with CPC PME were strengthening for credit and / or reduction of financial costs; gaining competitive advantage; the requirement for the owner / manager; low capacity for lack of training and the increase in expenses with accounting services; for the adoption of the standard, the instigators or impeding factors were contributing to the company's business expansion; the requirement for the owner / manager; gaining competitive advantage; strengthening for credit and / or reduction of financial costs and the priority to meet the taxman. In the perception of entrepreneurs, responsible for the firm and their education; the amount of the company's subsidiaries; the sector and the market segment; the company's revenues; the allocation of accounting information; the framework for SMEs in the National Simple and implementation of accounting is presented as variables associated with knowledge about the CPC PME. Concerning the adoption of all the aforementioned features, only the number of branches of the company showed no significant relationship. As for the factors that influence the knowledge of the CPC PME, in the perception of entrepreneurs, it was found only impediments, including the lack of interest by the company; the priority to meet the tax authorities; and the lack of interest from the counter and the analysis of factors regarding the adoption, the lack of interest by the company and the expansion of business emerge as determinants of adoption or not of this standard. It is noteworthy that the priority to meet the tax authorities; the expansion of the business and professional / academic education are the factors and characteristics that predominate in relation to knowledge / agreement and adoption. These results corroborate studies Menezes et al (2014), Masera and Orth (2012), Pinto, Costa and Santos (2015), Mandilas, Nikolaisdis and Valsamidis (2010), Antunes, Grecco and Formigoni (2012) and Santos (2011). Moreover, it emphasizes the low agreement / knowledge and low adoption of CPC PME by agents (accountants and entrepreneurs), allowing confirm the hypothesis that such features and pointed factors contribute to the low acceptance and adoption of CPC PME. It is noteworthy that the adoption walks in the same direction as the knowledge / consent of the IFRS for SME, in the perception of both agents.
Descrição: ARRUDA, Amanda Thássya Ferreira Félix Pompeu. Adoção do CPC PME e conhecimento do padrão IFRS for SME: percepção dos agentes. 2016. 104f. Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Ceará, Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade, Programa de Pós-graduação em Administração e Controladoria, Fortaleza-CE, 2016.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/31948
Aparece nas coleções:PPAC - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_dis_atffparruda.pdf1,37 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.