Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/33076
Title in Portuguese: O jogo simbólico como mediador das relações entre crianças com e sem deficiência no contexto da sala de aula
Author: Figueiredo, Eliene Vieira
Poulin, Jean-Robert
Figueiredo, Rita Vieira de
Fernandes, Anna Costa
Keywords: Educação Inclusiva
Jogo Simbólico
Interação Social
Issue Date: 2013
Citation: FIGUEIREDO, Eliene Vieira; POULIN, Jean-Robert; FIGUEIREDO, Rita Vieira; FERNANDES, Anna Costa. O jogo simbólico como mediador das relações entre crianças com e sem deficiência no contexto da sala de aula. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 11., SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE REPRESENTAÇÕES SOCIAIS, SUBJETIVIDADE E EDUCAÇÃO, 2., SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE PROFISSIONALIZAÇÃO DOCENTE, 4., 23-26 set. 2013, Curitiba. Anais... Curitiba: PUCPR, 2013. p. 19745-19759.
Abstract in Portuguese: Este texto analisa dados resultantes de um estudo sobre o jogo simbólico no contexto escolar. O objetivo da pesquisa era investigar as possibilidades de interação entre os alunos com e sem deficiência intelectual por meio do desenvolvimento de ateliês e do jogo simbólico. O estudo fundamentou-se na concepção sócio-construtivista de desenvolvimento e de aprendizagem, destacando as teorias de Vygotsky e Piaget. A metodologia se caracterizou por uma pesquisa do tipo colaborativa. Participou desse estudo uma professora e todos os alunos de uma turma de primeiro ano do ensino fundamental de uma escola municipal de Fortaleza. A motivação para a pesquisa partiu da professora que tinha o desafio de incluir dois alunos com deficiência intelectual em sua sala de aula. A análise inicial da situação da classe indicou a necessidade de mudanças profundas na gestão pedagógica da sala, o que elucidou a proposição dos ateliês e dos trabalhos com o jogo simbólico. Os resultados da pesquisa mostraram que a partir do desenvolvimento dessas estratégias didáticas implementadas em sala de aula a professora conquistou uma melhor gestão da classe, com maior domínio das regras de convivência da turma. Os dados indicaram ainda que o jogo simbólico favorece o desenvolvimento de atitudes de aceitação dos alunos com deficiência pelos colegas considerados normais na sala de aula, bem como favorece a autonomia, concentração, interação e participação de todos os alunos nas atividades escolares. Estes aspectos são de grande relevância para a inclusão escolar de alunos com deficiência intelectual. Destaca-se, portanto, a necessidade e a importância de se conceber a brincadeira de faz-de-conta como fonte inesgotável de prazer, socialização, criatividade e imaginação, por isso, merecedora de espaços e tempos significativos na rotina escolar das crianças.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/33076
metadata.dc.type: Artigo de Evento
ISSN: 2176 1396
Appears in Collections:PPGEB - Trabalhos apresentados em eventos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2013_eve_evfigueiredojrpoulinrvfigueiredoacfernandes.pdf281 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.